Início » Brasil » Ideb: é preciso separar a presidente Dilma da candidata Dilma
ocultação de dados

Ideb: é preciso separar a presidente Dilma da candidata Dilma

Resultado consolidado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica está escondido há 15 dias nas gavetas do Planalto

Ideb: é preciso separar a presidente Dilma da candidata Dilma
Demora na divulgação pode levar à desconfiança de que os resultados não são positivos (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Principal indicador da qualidade do ensino que é ministrado no país, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é divulgado a cada dois anos. O índice considera a taxa de aprovação dos ensinos fundamental e médio e também o resultado de provas de Matemática e Português.

Conforme já informara Antônio Gois – jornalista especializado em Educação e filho do colunista Ancelmo Gois – o resultado consolidado do indicador está escondido há 15 dias nas gavetas do Planalto e não se torna público, mesmo já estando liberado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão subordinado ao Ministério da Educação.

A demora na divulgação pode levar à desconfiança de que os resultados não são positivos – caso contrário, entrariam no liquidificador da campanha de propaganda política. Seria uma carga de fogo amigo na já bombardeada campanha de reeleição.

É de se estranhar, e muito, a não divulgação destes números em nome de uma estratégia eleitoreira.

A divulgação de números negativos nesta reta final de campanha seria o tiro de misericórdia na campanha de Dilma e poderia ainda implodir caminhadas políticas até então bem sucedidas. A não evolução do indicador no país – e nos municípios – mostra o retrato do desinteresse de governos de que a educação evolua e forme cidadãos mais bem informados.

O último Ideb disponível refere-se a 2011 e foi publicado no dia 14 de agosto de 2012 – e já com atraso em relação aos dados de 2009 – tornados públicos em julho de 2010. Quanto mais o governo federal demorar a divulgar estes números tanto pior. As pesquisas de intenção de voto mostram um quadro praticamente irreversível de derrota da presidente Dilma no embate nas urnas contra Marina Silva – tanto no primeiro quanto no segundo turno.

É preciso separar a presidente Dilma da candidata Dilma. Se falta ao Governo Federal o espírito público da necessidade de divulgação dos dados do Ideb – sejam eles positivos ou negativos – estamos diante de uma grande sabotagem.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Mauricio Fernandez disse:

    Chegar em frente as câmeras de tv e falar “mais educação, saúde, segurança, estradas e blá, blá, blá….” está irritando mais ao povo brasileiro do que qualquer outra coisa. O engraçado e ao mesmo tempo triste é que ninguém se importa com o modelo surrado, falso e hipócrita.

  2. olbe disse:

    Quando na TV Globo ela foi perguntada o que achava da prisão dos ” mensaleiros “, ela respondeu como PRESIDENTA e não como candidata..pq naquele momento era conveniente…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *