Início » Brasil » Imigrantes haitianos trocam o Brasil pelo Chile
REFLEXO DA CRISE

Imigrantes haitianos trocam o Brasil pelo Chile

Afetados pela crise no Brasil, haitianos agora sonham em reconstruir suas vidas no Chile

Imigrantes haitianos trocam o Brasil pelo Chile
Dados da Polícia Federal apontam para a saída de 3.234 haitianos do Brasil entre janeiro e o final de abril deste ano (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Para fugir da crise econômica, imigrantes haitianos que vieram para o Brasil em busca de uma nova chance após o devastador terremoto em seu país em 2010 estão procurando uma nova promessa de futuro no Chile.

Leia também: Brasil autoriza residência permanente a mais de 43 mil haitianos

Após ingressarem aos milhares no país pelo Acre e desembarcarem nas rodoviárias de cidades como São Paulo e Curitiba, muitos haitianos agora sonham em reconstruir suas vidas no Chile. O salário mínimo por lá é cerca de US$ 100 mais alto do que aqui no Brasil. Bolivianos que viviam no Brasil também têm retornado ao seu país de origem, pois não conseguem mais viver aqui e juntar dinheiro para enviar a suas famílias.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o haitiano Jean Antonie Camille, de 42 anos, explica que não consegue mais pagar aluguel, luz, água e enviar dinheiro para sua família no Haiti. Ele deixou Cambé (PR) nesta semana para tentar a sorte no Chile.

Funcionários das duas empresas que ligam São Paulo a Santiago semanalmente disseram à reportagem da Folha que o movimento vem crescendo desde o final do ano passado.

Nem sempre, no entanto, os haitianos têm conseguido pisar em solo chileno. O número não é oficial, mas estima-se que quase toda semana um imigrante é retido na fronteira entre Chile e Argentina por não ter a documentação exigida. Para entrar no Chile, o haitiano precisa sair do Brasil com passagem de ida e volta, o Registro Nacional de Estrangeiro e uma carta convite de um residente chileno.

Dados da Polícia Federal apontam para a saída de 3.234 haitianos do Brasil entre janeiro e o final de abril deste ano. No mesmo período de 2015 foram 1.372.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas do Chile, a atual taxa de desemprego no país é de 5,9%. No Brasil, a taxa chegou a 10,2% no último trimestre. Os haitianos têm ocupado vagas que os chilenos não querem mais, como trabalhos em postos de combustível ou varrendo ruas em bairros pobres.

O governo chileno estima que há atualmente cerca de 9 mil haitianos no país. No Brasil, são mais de 45 mil.

Fontes:
Folha de S.Paulo - Para fugir da crise, haitianos trocam o Brasil pelo Chile

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    Nunca foi possível entender a razão dessas xxxxx invadirem um país à beira de um abismo econômico como o Brasil. A intenção era aumentar o nível de desemprego? As ruas de Porto Alegre, durante algum tempo livre dos incômodos camelôs, atualmente estão entupidas por estes “imigrantes” cuja chegada no Brasil através do Peru nunca foi explicada. O pior é que o prefeito de Caxias do Sul está sendo questionado na justiça por ter se revoltado com a invasão da cidades por esses elementos sem nenhuma qualificação profissional em um momento em que a cidade amarga altíssimos níveis de desemprego.

  2. Diego Silva disse:

    Roberto1776, o governo do PT acabou com nosso país. Tal partido, na pessoa da presidente Dilma Rousseff, transformou a imigração ilegal em algo banal e corriqueiro. Qualquer imigrante sem documentação, sem histórico de antecedentes criminais, que se declare refugiado, é imediatamente aceito pelo atual governo. Isso é absurdo! Aconteceram relatos de assassinatos, estupros, pedofilia, roubos e outros delitos da parte desses imigrantes. O que fez o governo Dilma? Ampliou a emissão de vistos mensais. Nada contra os haitianos em si, mas o Brasil já tem muitos pobres e problemas sociais para receber tanta gente necessitada.

  3. Daniel Santos disse:

    Nada contra os estrangeiros, mas esses Haitianos só ajudam a aumentar ainda mais o nível de pobreza e miséria no Brasil, diferente dos Bolivianos que já vem empregados pelas fábricas de costuras e dos Sírios que são acolhidos pelas suas pro´prias comunidades, e agora eles vem com essa mania de irem para o Chile, pelo amor de deus o Chile é um país rico e eles só irão contribuir para aumentar ainda mais o nível de corrupção, miséria e desemprego pois duvido muito que algum empresário irá contrata-los a não ser para serem escravizados

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *