Início » Brasil » Índios receberão R$ 4 milhões em indenização por queda de avião da Gol
'DANOS ESPIRITUAIS'

Índios receberão R$ 4 milhões em indenização por queda de avião da Gol

Índios da etnia Kayapó serão indenizados por perdas materiais e espirituais

Índios receberão R$ 4 milhões em indenização por queda de avião da Gol
Destroços do Boeing da Gol (Fonte: Reprodução/Corpo de Bombeiros/ Sinop-MT)

A companhia aérea Gol vai pagar R$ 4 milhões aos índios da etnia Kayapó que vivem na Terra Indígena Capoto/Jarina, em Peixoto de Azevedo, a cerca de 690 km de Cuiabá, por perdas materiais e espirituais em decorrência da queda do Boeing 1907 em 2006, acidente que matou 154 pessoas.

O acordo judicial inédito foi formalizado entre a companhia aérea, os indígenas e o Ministério Público Federal.

Os destroços do avião da Gol, que se chocou contra um jato Legacy, ainda hoje estão na mata. Os índios argumentam que a terra ficou contaminada pelo querosene do avião e marcada para sempre pelo sangue das vítimas do acidente aéreo.

No pedido de indenização, os índios da etnia Kayapó ressaltaram que não podem mais caçar, pescar e montar aldeia na área do acidente em respeito aos mortos. Para eles, os espíritos dos mortos agora vivem naquela área.

O Boeing da Gol, que fazia o trajeto Manaus-Rio de Janeiro, caiu após se chocar com um jato Legacy que seguia para os EUA. Todas as 154 pessoas que estavam a bordo do Boeing morreram no acidente. O Legacy conseguiu pousar em uma base aérea no Pará. Todos os sete ocupantes do avião sobreviveram. Os pilotos do jato foram condenados por terem provocado o acidente.

Fontes:
Fantástico - Gol dá R$ 4 milhões a índios por 'danos espirituais' em acidente

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Carlos Valoir Simões disse:

    Essa crença dos indígenas é mal fundamentada: os espíritos dos mortos no acidente acreditam que vão para o paraíso cristão ou o inferno, que ficam lá no oriente-médio ou nas profundezas da terra, não no Mato-Grosso. E o combustível, o que não evaporou na queda, queimou no solo. Isso é coisa de ativista de ONG.

  2. laercio disse:

    Dinheiro, sempre dinheiro; não tem mais bobo!
    O que me surpreende é a lei que assiste a este tipo de causa mas não consegue manter um latrocida preso.
    Nacionalidade brasileira, hoje, é sinônimo de condenação.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *