Início » Brasil » Investigações da Lava-Jato afetarão o lucro dos acionistas da Petrobras
Caso Petrobras

Investigações da Lava-Jato afetarão o lucro dos acionistas da Petrobras

Ações perderam quase 50% do valor de mercado e a empresa, que antes era a mais valiosa do país, passou a ser somente a quarta

As delações premiadas da Operação Lava-Jato devem prejudicar a margem de lucro dos acionistas da Petrobras. Além da queda no valor das ações, que saíram de R$ 24,56 para R$ 12,80, o adiamento do balanço financeiro, para incluir o impacto dos desvios, trará ainda mais prejuízos. A parcela de lucro que é distribuída aos acionistas deve cair, pouco tempo depois de um repasse recorde de R$ 8,731 bilhões no primeiro semestre.

A contabilização da corrupção fará com que a empresa reveja seus investimentos para 2015 e sua folga no caixa. Dos 290 mil investidores da estatal, 279 mil são pessoas físicas. O valor destinado aos acionistas não preferenciais (ON), que não têm preferência na distribuição dos dividendos, por ação cairá R$ 0,20 em relação ao previsto anteriormente pelo Itaú BBA. Queda que se deve aos desvios, ao aumento do dólar e à queda do preço do petróleo.

Os acionistas preferenciais devem ter uma perda ínfima, pois a legislação obriga que eles recebam pelo menos 25% do lucro o que, segundo o relatório do Itaú BBA, reduzirá o prejuízo deles. A baixa se deve às obras superfaturadas, que inflam os investimentos. A maior parte das ON’s pertence ao governo e ao BNDES. Já as preferenciais estão nas mãos de pessoas físicas e investidores estrangeiros.

A Petrobras perdeu o posto de empresa com maior valor de mercado no país, sendo ultrapassada pela AMBEV, Itaú Unibanco e o Bradesco. Segundo o operador sênior da Guide Investimentos, Fabio Galdino, a única opção da empresa é fazer o ajuste no ativo.

“Isso vai aparecer na demonstração de resultados e terá impacto no lucro, afetando os investidores. Se tiver corte de dividendo, fatalmente será maior nas ações ordinárias”, concluiu Galdino, que também disse que, em caso de prejuízo no balanço, os detentores de ações preferenciais dividirão o prejuízo.

Segundo estimativa da empresa internacional de serviços financeiros Morgan Stanley, o prejuízo varia de R$ 5 a 21 bilhões. Nessa estimativa, a multinacional apontou que os acionistas preferenciais devem receber R$ 0,93 por ação, já os detentores de ON receberão R$ 0,38. Segundo o autor do cálculo, a investigação deve atrapalhar a estatal a ter acesso a recursos internacionais, algo tradicional no início do ano.

Fontes:
O Globo-Ajuste contábil da Petrobras por corrupção deve reduzir parcela do lucro dos investidores

2 Opiniões

  1. Joma Bastos disse:

    Há três décadas atrás, os EUA provocaram a queda dos preços do petróleo e levaram a União Soviética à falência.
    Hoje, os EUA e a Arábia Saudita, estão a provocar a queda dos preços do petróleo e irão causar a ruína da atual Rússia, a qual financia pelo menos 45% de seu orçamento com as receitas da exportação de combustíveis Os países que não tenham sustentabilidade e que estejam atrelados à economia russa, que se preparem para entrarem em crise profunda, que é o caso da Venezuela, Irã e alguns países africanos que vivem quase exclusivamente das exportações de combustíveis, mas também poderá ser do Brasil se o governo promover políticas econômicas erradas.

  2. DJALMA P BENTES disse:

    Os dirigentes em todos os níveis, tão regiamente pagos, deviam todos, responder civil e criminalmente pelos danos causados aos acionistas, afinal eles lá estavam para zelar pelo interesses da empresa e consequentemente dos acionistas. Não existe essa de não sabia, não li, não vi, fui mal informada. Então todos: a começar dos presidentes desde o início da gatunagem com os diversos diretores e Conselheiros(sic). Muita gente se locupletando.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *