Início » Brasil » Isenção eleitoreira
COLUNA ESPLANADA

Isenção eleitoreira

Damasceno classifica como eleitoreiras as propostas dos presidenciáveis para a atualização da tabela do IR

Isenção eleitoreira
Desde 2011, a entidade vem alertando para a necessidade de correção dos valores, mas não nos patamares defendidos por Bolsonar e Haddad (Fonte: Reprodução/TV Senado)

O presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), Cláudio Damasceno, classifica como mirabolantes e eleitoreiras as propostas dos presidenciáveis para a atualização da tabela do Imposto de Renda. O dirigente lembra  que, desde 2011, a entidade vem alertando para a necessidade de correção dos valores, mas não nos patamares defendidos pelos presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Estudos da entidade apontam para uma defasagem de 88,4% na tabela do IR. Por este critério, a faixa de isentos passaria dos atuais R$ 1.903,98 para R$ 3.556,56.

Contas públicas

Portanto, menos do que a faixa de isenção de R$ 5 mil que vem sendo vendida pelos candidatos. Cláudio Damasceno alerta que esse patamar poderia comprometer ainda mais as contas públicas.

Eles justificam…  

Bolsonaro tem admitido que a medida geraria uma perda de arrecadação, mas daria “gás” às empresas. Já Haddad sustenta que “os muito ricos não pagam absolutamente nada; pagam uma proporção muito pequena da sua renda”.

Oposição

Diante da iminente derrota nas urnas, deputados e senadores petistas contrariam a orientação do comando do partido e já admitem que as bancadas na Câmara e no Senado devem começar a traçar a estratégia de oposição ao governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Mea culpa

Parlamentares ouvidos pela Coluna ao longo da semana apontam que a campanha petista não se preparou adequadamente para enfrentar Bolsonaro nas redes sociais. Preveem que será uma oposição “árdua”, já que o Congresso a partir de 2019, principalmente a Câmara, terá maioria alinhada ao Planalto.

MP x WhatsApp

O embate entre o Ministério Público e o WhatsApp é antigo e tende a se agravar após as eleições. Há exatos dois anos, procuradores de todo o país defenderam o bloqueio e até mesmo a extinção do aplicativo no Brasil.

Marco Civil

Em dezenas de processos que tramitam na Justiça, o MP acusa o WhatsApp de não apresentar dados solicitados para auxílio nas investigações. Em tempo: o Marco Civil da Internet obriga os provedores de aplicações de internet a manter registro de atividades dos usuários por pelo menos seis meses e entregar os dados para a Justiça quando solicitado.

Abin & Forças Armadas

A Comissão de Controle de Atividades de Inteligência do Congresso Nacional quer turbinar o orçamento de 2019 para a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e Forças Armadas.

Caráter sigiloso

Deputados e senadores do colegiado aprovaram quatro emendas que preveem R$ 80 mi para a Abin; R$ 70 mi para o Comando do Exército, para implantação de sistema de defesa cibernético; e as outras duas para ações de caráter sigiloso da Marinha (R$ 5 milhões) e da Aeronáutica (R$ 20 milhões).

Na mira

Mais uma pasta entra na mira de extinção do eventual governo de Jair Bolsonaro (PSL). Assim como a Cultura, o Ministério dos Direitos Humanos deve ser transformado em secretaria.

Conselho

A pasta abriga o Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) que, ontem, se manifestou contra o “clima de violência que tem desencadeado práticas de agressão e ameaças a grupos minoritários, como mulheres, população LGBTI, negros, povos indígenas, quilombolas e nordestinos”.

Empreendedorismo

Na segunda-feira, 22, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e o secretário de Educação, Wagner Victer, se reúnem com o presidente do Conselho Federal de Administração, Wagner Siqueira, e o presidente do Conselho Regional de Administração, Leocir Dal Pai, para formalizar o registro – junto aos conselhos – dos Cursos de Técnico de Administração com ênfase em empreendedorismo desenvolvidos pela secretaria em parceria com o Sebrae.

Escolas  

No encontro, o governador Pezão também irá anunciar as 62 novas escolas que passarão a ter ensino em tempo integral profissionalizante, já com matrículas que serão abertas ao final de outubro.

______________________

ESPLANADEIRA

Antônio Neto, presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros, encontrou-se com Márcio França para anunciar o seu apoio ao candidato do PSB por São Paulo.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *