Início » Brasil » Itamaraty inicia manobra para blindar Lula de investigação
Operação Lava-Jato

Itamaraty inicia manobra para blindar Lula de investigação

Ministério quer manter em sigilo documentos de livre acesso que relacionam Lula com a Odebrecht, uma das empreiteiras envolvidas na Operação Lava-Jato

O Itamaraty iniciou uma manobra para impedir a divulgação de documentos que relacionam o ex-presidente Lula com a empreiteira Odebrecht, investigada na Operação Lava-Jato.

Leia mais: Lula é suspeito de tráfico de influência internacional

A denúncia foi feita nesta sexta-feira, 12, pelo jornal Globo. Segundo a reportagem, o jornalista Filipe Coutinho, da revista Época, usou a Lei de Acesso à Informação para solicitar ao Itamaraty documentos que revelam as operações internacionais da Odebrecht entre 2003 e 2010.

Classificados como “Reservados”, categoria que perde sigilo em cinco anos, os documentos já estavam livre ao acesso público. Porém, um memorando enviado pelo diretor Departamento de Comunicações e Documentação do Itamaraty (DCD), o ministro João Pedro Corrêa Costa, pediu a mudança da classificação dos documentos para “Secretos”, aumentando em 15 anos o prazo para divulgação. Assim, os eles permaneceriam sigilosos por mais 10 anos.

Em um trecho do memorando, obtido pelo jornal, Costa pede a reavaliação do grau dos documentos. “Nos termos da Lei de Acesso à Informação (LAI), estes documentos já seriam de livre acesso público. Não obstante, dado ao fato de o referido jornalista já ter produzido matérias sobre a empresa Odebrecht e um suposto envolvimento do ex-presidente Lula em seus negócios internacionais, muito agradeceria a Vossa Excelência reavaliar a anexa coleção de documentos e determinar se há, ou não, necessidade de sua reclassificação para o grau de secreto”, diz Costa.

O departamento do Itamaraty responsável pela busca e entrega do material solicitado pela LAI já havia copilado os documentos para entregá-los ao jornalista, quando recebeu o memorando de Costa.

Em abril deste ano, o Ministério Público Federal (MPF) abriu um inquérito para investigar se Lula cometeu crime de tráfico de influência, ajudando a Odebrecht a obter contratos bilionários com o BNDES para projetos no exterior entre 2011 e 2014.

Fontes:
O Globo-Itamaraty deflagra operação para proteger Lula

4 Opiniões

  1. Henrique de Almeida Lara disse:

    Esse apego ao sigilo, a meu ver, é clara confissão de culpa. O provérbio popular é forte e verdadeiro: “Quem não deve, não teme”. Se está com medo, é porque deve. O uso desse instrumento chamado “sigilo” pode ser considerado inclusivel como um mecanismo de defesa e de auto-proteção. Defender é um direito. Mas quando é usado para conspurcar direitos sagrados do povo, é uma vilania. Por que sigilo para brindar personagens que deveriam ser, perante o povo, transparentes? Por que sigilo para camuflar transações de organizações públicas? O que há a esconder dentro dos porões indevassáveis da administração pública? Os órgãos públicos e os “servidores” públicos são mantidos e pagos pelo povo e por isso o povo tem o direito de saber o que acontece em seus meandros.

  2. rene luiz hirschmann disse:

    Que país é esse, o que torna esses fato mais temeroso é a omissão de instituições como a OAB, Ministério público, Congresso Nacional, CNBB e Judiciário, não se manifestam para continuar com as vantagens a eles auferidas, sou brasileiro.

  3. Roberto1776 disse:

    O Itamarati, afinal de contas, serve ao país ou ao petê? É um organismo do Estado ou do Governo petista?
    Este arremedo de partido conseguiu finalmente nos levar de volta ao século 19?

  4. Marluizo Pires Cruz disse:

    .Os Governos e gestores brasileiros se apoderam do ESTADO autointitulado poder, criando e revogando Leis e normas a seu bel-prazer e dos seus interesses, Por isso vivemos há 515 anos o subdesenvolvimento do país nestes ciclos de interesses de forças ocultas no poder administrativo e político eleitoral. O Brasil parece ser o País em que mais o Presidente vive em viagem no exterior

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *