Início » Brasil » João Cândido e mais 17 revoltosos são presos na Ilha das Cobras
Nesta Data

João Cândido e mais 17 revoltosos são presos na Ilha das Cobras

O estopim para revolta foi a punição de 250 chibatadas infligida ao marujo Marcelino Menezes

João Cândido e mais 17 revoltosos são presos na Ilha das Cobras
João Cândido foi preso ao desembarcar do Minas Gerais, sob a alegação de ter desobedecido ordens superiores (Reprodução/Internet)

João Cândido Felisberto, conhecido como “Almirante Negro” foi um marinheiro brasileiro notório por ter liderado a Revolta da Chibata.

O uso da chibata como castigo na Marinha brasileira já havia sido abolido em um dos primeiros atos do regime republicano, no decreto número 3, de 16 de Novembro de 1889, assinado pelo então presidente marechal Deodoro da Fonseca. Mesmo assim, o castigo cruel continuava de fato a ser aplicado, a critério dos oficiais da Marinha de Guerra do Brasil.

Em uma viagem à Grã-Bretanha, os marinheiros que lá estiveram para acompanhar a construção dos encouraçados Minas Gerais e São Paulo, e do cruzador Bahia, iniciaram um movimento conspiratório para tomar uma atitude mais efetiva no sentido de acabar com a chibata na Marinha de Guerra do Brasil.

O estopim para revolta foi a punição de 250 chibatadas infligida ao marujo Marcelino Menezes. Seis dias depois, em 22 de novembro de 1910, os marinheiros, sob liderança de João Cândido, protestaram contra as condições a que estavam relegados: os baixos salários, a ausência de um plano de carreira e, sobretudo, contra o castigo de impor chicotadas naqueles que cometiam as menores falhas.

Logo após o ocorrido, João Cândido foi preso ao desembarcar do Minas Gerais, sob a alegação de ter desobedecido ordens superiores. O Almirante Negro foi então transferido ao lado de outros dezessete marujos para a Ilha das Cobras, onde todos foram trancados em uma solitária, no dia 24 de dezembro de 1910.

Fontes:
Museu Afro Brasil

2 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Sob sua liderança, João Cândido impediu que os revoltosos bombardeassem o Rio de Janeiro. A Marinha deveria dar-lhe uma medalha….mas era um negro, ganhou foi a masmorra.

  2. Correia Filho disse:

    Infelizmente o ser humano não pode ter poder. Quando o poder é entregue a alguém, essa pessoa, senão todos, quase todos, pensam logo que são deuses, que são intocáveis, e aí, logo iniciam o seu rosário de abusos. Mas os abusos são apenas com os mais fracos, com os desvalidos e sem apoio. Isso continua, ainda hoje, a acontecer..

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *