Início » Brasil » Juíza suspende licitação do STF para compra de lagosta e vinhos
COMPRA BARRADA

Juíza suspende licitação do STF para compra de lagosta e vinhos

Magistrada afirmou que licitação afronta princípio da moralidade administrativa

Juíza suspende licitação do STF para compra de lagosta e vinhos
STF informou que a Advocacia-Geral da União vai recorrer (Fonte: Reprodução/SCO/Nelson Jr/STF)

A juíza federal Solange Salgado, da Justiça do Distrito Federal, decidiu nesta segunda-feira, 6, suspender a licitação do STF para compra de menu com lagosta e vinhos. 

Em sua decisão, a juíza afirmou que a licitação afronta o princípio da moralidade administrativa. “A par de o objeto licitado no Pregão Eletrônico em comento não se inserir como necessário para a manutenção do bom e relevante funcionamento do Supremo Tribunal Federal, os itens exigidos destoam sobremaneira da realidade socioeconômico brasileira, configurando um desprestígio ao cidadão brasileiro que arduamente recolhe seus impostos para manter a máquina pública funcionando a seu benefício”, ressaltou Solange Salgado.

Além de lagosta e vinhos, os pedidos dos ministros do STF incluem uísque 18 anos, camarão à baiana, bacalhau à Gomes de Sá, frigideira de siri, arroz de pato, pato assado, tournedos de filé e pernil de cordeiro assado.

A juíza ressaltou que a ação “narra e comprova a prática de ato com potencial lesivo à moralidade administrativa”. 

Ainda de acordo com a juíza, o edital prevê “refeições e bebidas alcoólicas de apurado/elevado padrão gastronômico, com alto custo de dinheiro público – e que, em tese, o referido ato, caso seja concretizado por meio da celebração de contrato, pode vir a ser efetivamente prejudicial ao patrimônio público e, especialmente, à moralidade administrativa, verifico a presença da probabilidade do direito a justificar a concessão da medida liminar”.

O STF informou que a Advocacia-Geral da União vai recorrer.

Fontes:
G1 - Juíza do DF suspende licitação do STF que prevê compra de vinhos e lagosta

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Moura disse:

    Num país em crise econômica séria os briosos magistrados, que não dão nenhum retorno à altura para sociedade (apesar dos altos salários e custo surreal do Judiciário), continuam agindo como uma “corte” especial com direito a mordomias da época da Monarquia… Só no nosso infeliz Brasil.

  2. carlos alberto martins disse:

    para mim a única refeição que eles tem direito,é o já famoso vale refeiçao com todo o direito ao BANDEJÃO.canalhas do poder público,vivem como nababos as custas de nossos impostos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *