Início » Brasil » Justiça condena arquidiocese da Paraíba por exploração sexual
INDENIZAÇÃO DE R$ 12 MILHÕES

Justiça condena arquidiocese da Paraíba por exploração sexual

Padres e até mesmo o então arcebispo do estado estariam envolvidos no escândalo

Justiça condena arquidiocese da Paraíba por exploração sexual
Na Justiça, todos os envolvidos na denúncia negaram os crimes (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

A Arquidiocese da Paraíba foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar uma indenização de R$ 12 milhões por exploração sexual contra menores de idade. A informação foi divulgada neste domingo, 20, pelo programa Fantástico, da Rede Globo.

De acordo com a reportagem, padres e até mesmo o então arcebispo, dom Aldo Pagotto, estariam envolvidos neste escândalo. Dom Aldo renunciou ao cargo de arcebispo da Paraíba em 2016 em meio às denúncias de escândalos sexuais.

Em entrevista ao programa, o procurador Eduardo Varandas afirmou que “o ato é gravíssimo. São adolescentes que acreditaram naquela instituição a representação de Deus”. Ainda segundo o promotor, “o que foi apurado, o que foi denunciado na imprensa, apurado pelo Ministério Público do Trabalho, foi de que havia inserido dentro da sistemática católica um grupo de sacerdotes de forma habitual que pagavam por sexo a flanelinhas, a coroinhas e também a seminaristas”.

Como o processo corre em segredo de justiça, o procurador disse ainda que não pode revelar alguns elementos concretos. Varandas ressaltou que a exploração sexual é caracterizada pela ausência da vontade livre para praticar o ato.

“Algo que tenha submissão ou algo que faça com que um estado de necessidade leve a criança ou adolescente a praticar esses atos. Que estado de necessidade é esse? É a miséria, é a fome, é a proteção do estado, é a ausência de políticas públicas. No caso de menores de 18 anos, independente da vontade deles, tanto o Estatuto da Criança do Adolescente, como o Código Penal consideram a exploração sexual exatamente porque eles não têm a vontade validada pelo direito pra praticar um ato dessa natureza”, disse ainda o procurador Eduardo Varandas em entrevista ao programa Fantástico.

Um ex-seminarista que falou ao programa sob condição de anonimato contou que se envolveu com três padres, cujos nomes são citados em diversos depoimentos e que estariam afastados de suas funções.

O procurador Eduardo Varandas explicou que os “R$ 12 milhões objeto a condenação serão revertidos para o fundo da infância, da adolescência e instituições congêneres que trabalham com crianças sexualmente exploradas e atuam na recuperação psicóloga, na reinserção social”.

Na Justiça, todos os envolvidos na denúncia negaram os crimes. Ainda há possibilidade de recurso.

Fontes:
G1 - Igreja Católica na PB é condenada a pagar indenização de R$ 12 milhões por exploração sexual

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Antônio Rodrigues disse:

    Que vergonha. Sendo mesmo verdade, o que parece ser, é um crime demasiado grave. Há que prender e não apenas dar sentenças sociais. São vários crimes englobados num só.

  2. carlos alberto martins disse:

    a igreja católica é totalmente culpada pela pedofilia e outros atos praticado pelo seus membros.se os mesmos pudessem casar,terem filhos isso não aconteceria.os padres na realidade não podem casar pelo fato de que se fizerem seus bens e suas provaveis aposentadorias,ficariam com seus herdeiros naturais,o que é totalmente contra o regulamento da igreja.a mesma quer tomar para sí tudo o que tirar de seus seguidores.isso para mim é mau caratismo puro.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *