Início » Brasil » Justiça manda fechar garimpo no MT
GARIMPO ILEGAL

Justiça manda fechar garimpo no MT

Além de fechar garimpo, juiz manda que as forças da segurança nacional tomem de volta todo ouro extraído sem autorização do Departamento Nacional de Produção Mineral

Justiça manda fechar garimpo no MT
Poucos conseguem achar alguma coisa no garimpo ilegal (Foto: Pixabay)

Depois de boatos sobre pepitas gigantes criarem uma nova corrida do ouro em Mato Grosso, a Justiça Federal mandou fechar o garimpo ilegal na cidade interiorana de Pontes e Lacerda, que tem atraído garimpeiros amadores e experientes de todo o Brasil nos últimos dois meses.

Para os parlamentares de Mato Grosso, a movimentação, que vai além de garimpeiros profissionais, traz um problema social, já que 90% destas pessoas vão ao local sem nenhum dinheiro e poucos conseguem achar alguma coisa. Têm mecânicos, professores, médicos, vereadores e até prefeitos escavando o solo na Serra do Caldeirão, a 30 quilômetros de Pontes e Lacerda, no intuito de achar ouro e enriquecer.

Na última sexta-feira (16), o Ministério Público Federal (MPF) do Mato Grosso, que havia pedido a interdição do garimpo, se reuniu com a Polícia Federal, Exército e parlamentares para encontrar uma saída pacífica para o problema, já que a retirada imediata poderia provocar conflito e violência.

Depois da reunião, o juiz federal Mauro César Garcia Patini, da 1ª Vara de Cáceres, comarca que reponde pela área da Serra do Caldeirão, determinou pela interdição e deu 10 dias de prazo para que os garimpeiros sejam notificados da determinação e saiam da área. Além disso, o juiz manda que as forças da segurança nacional tomem de volta todo ouro extraído sem autorização do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Afinal, o subsolo do país é patrimônio de todos os brasileiros e o controle da exploração e pesquisa uma responsabilidade do governo federal, por meio do DNPM.

Fontes:
Terra-Após corrida do ouro, Justiça manda fechar garimpo no MT

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *