Início » Brasil » Dono da Havan é proibido de fazer atos políticos para funcionários
JUSTIÇA DO TRABALHO

Dono da Havan é proibido de fazer atos políticos para funcionários

Para juiz, atos políticos de Luciano Hang direcionados aos funcionários e pressão em prol de um candidato se assemelham ao voto de cabresto

Dono da Havan é proibido de fazer atos políticos para funcionários
Hang chegou a fazer um levantamento das intenções de voto dos funcionários (Foto: Luciano Hang/Twitter)

A Justiça do Trabalho determinou que o empresário e dono das lojas Havan, Luciano Hang, não poderá realizar atos direcionados aos seus empregados, em apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro, ou a qualquer outro candidato.

Para o juiz Carlos Alberto Pereira de Castro, o empresário teve uma “conduta flagrantemente amedrontadora”, ao divulgar vídeos e organizar eventos, com os funcionários, em prol de seu voto ao candidato. Em suas declarações, ele sugere que, caso o candidato não vencesse, o futuro da Havan e de seus empregados, estaria em risco. “Revela-se aí, sem dúvidas, conduta que se enquadra como assédio moral”, afirma Castro.

O juiz compara a atitude de Hang à prática do “voto do cabresto” e diz que, em função da relação de subordinação dos empregados e da sugestão de risco de demissões, ele se intrometeu na privacidade e intimidade de seus funcionários.

Além da divulgação de vídeos, Hang promoveu pelo menos dois “atos cívicos” nas dependências de suas lojas, que emprega cerca de 15 mil pessoas em todo país. Nesses atos, foi feito um levantamento das intenções de voto dos funcionários, alegando que, dependendo do resultado das eleições, ele poderia deixar de abrir novas lojas e, também, fechar unidades.

Na decisão sobre o processo, Castro afirmou que o direito de manifestação de Hang é livre, porém, expressar essa opinião em ambiente de trabalho, como uma manipulação, exerce relação de subordinação. “Não cabe ao empregador, no ambiente de trabalho de seus empregados, promover atos políticos em favor ou desfavor de candidatos ou agremiações, fazendo-os de ‘claque’”, escreveu o juiz.

O magistrado afirma que a frase “Conto com cada um de vocês”, utilizada por Hang no final de seu discurso, “indica a intenção de ordenar o comportamento de votar em um candidato, o de sua predileção”.

O juiz estabeleceu a multa de R$ 500 mil em caso de descumprimento, e Hang ainda terá de gravar e divulgar um vídeo em suas redes sociais, lendo a decisão judicial, de acordo com a liminar. Essa decisão é provisória e cabe recurso.

Hang afirmou que apenas exerceu o direito de liberdade de expressão, como empresário e dono de uma empresa privada. “Setores do governo querem me calar porque sabem que tenho força”, afirmou, dizendo que o Brasil “ainda não é uma Venezuela”.

Fontes:
Folha de S.Paulo-Justiça proíbe dono da Havan de realizar atos políticos com funcionários e compara a 'voto de cabresto'

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Yevgeni disse:

    Enquanto isso, reitores de Universidades Federais pedem aos seus súditos que votem no reizinho controlado pelo Lulu Nove Dedos, direto da carceragem. Pelo visto, “voto de cabresto” só se aplica à iniciativa privada…

  2. Francisco Taborda disse:

    Interessante! Pensei que o voto fosse secreto e que cada um pudesse votar de acordo com a sua consciência, apesar de qualquer pedido ou indução feita por outrém. Parece que estou enganado.

    Lembram-se daquela propaganda insistente e onipresente do PT, lá no Nordeste, que informava que se o Aécio (de triste lembrança) ganhasse a eleição o programa Bolsa Família seria cancelado? Por este mesmo critério, ela deveria ter sido proibida e a presidanta deveria ter sido obrigada a gravar um vídeo dizendo que nada daquilo era verdade. Que bom que vivemos em um país como o nosso.

  3. Eduardo Calixto disse:

    Basta estudar o perfil e a formação escolar dos eleitores do PT e seu curral eleitoral de mal esclarecidos ou fanáticos.
    Bem interessante observar o porque nos últimos 13 anos o ensino médio brasileiro desmoronou de tal forma.
    Querem nivelar por baixo para ter mais ainda massa de manobra.
    Dar bolsinhas isto e aquilo para comprar indiretamente a grande massa da população de baixa renda.
    Que vão continuar assim, com a bela política do PT.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *