Início » Brasil » Justiça proíbe mídia de abordar extorsão a Marcela Temer
CENSURA

Justiça proíbe mídia de abordar extorsão a Marcela Temer

'Folha de S. Paulo' tem reportagem sobre chantagem sofrida por Marcela Temer censurada e outros veículos são proibidos de abordar o caso

Justiça proíbe mídia de abordar extorsão a Marcela Temer
Censura ocorreu a pedido do Palácio do Planalto (Foto: Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Justiça de Brasília censurou uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo sobre a tentativa de extorsão feita por um hacker contra primeira-dama Marcela Temer.

A reportagem cita o conteúdo das chantagens feitas a Marcela pelo hacker Silvonei José de Jesus Souza, que clonou o celular da primeira-dama obtendo áudios de conversas e fotos íntimas. O conteúdo foi citado na reportagem da Folha e replicado logo depois, pelo jornal Globo.

A pedido do Palácio do Planalto, o juiz Hilmar Castelo Branco Raposo Filho, da 21ª Vara Cível de Brasília, proibiu os jornais e outros meio de comunicação de divulgar o conteúdo sob “pena de multa de R$ 500.000,00 por acesso no site e edição vendida”. A decisão do juiz foi tomada em caráter de urgência na última sexta-feira, 11, horas após a Folha de S. Paulo divulgar a reportagem. Tanto a Folha como o Globo suprimiram o conteúdo do texto após a decisão.

Marcela Temer teve o celular clonado no ano passado e foi alvo de chantagens entre os dias 4 e 8 de abril. Silvonei foi preso no dia 11 de maio. Em 24 de outubro, ele foi condenado a cinco anos e 10 meses em regime fechado por extorsão e estelionato. Ele cumpre pena na penitenciária de Tremembé.

A prisão do hacker teve forte participação de Alexandre de Moraes, na época secretário de Segurança Pública de São Paulo e atual indicado de Michel Temer para assumir o lugar de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo a reportagem censurada da Folha, o empenho pessoal de Moraes foi crucial para a decisão de Temer de indicá-lo para o STF. A indicação de Moraes também teve grande apoio da primeira-dama.

Fontes:
Folha-Justiça censura reportagem da Folha sobre extorsão a Marcela Temer
Estadão-Juiz proíbe jornal de publicar reportagem sobre chantagem a Marcela Temer
O Antagonista-Marcela Temer atuou fortemente em favor de Alexandre de Moraes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. André Luiz.'. disse:

    Entendo a lógica por conta da proibição do tema: o hacker tentou chantagear Marcela Temer com a ameaça de vazar o conteúdo hackeado do celular. Se a imprensa der muita amplitude à cobertura jornalística do assunto, a curiosidade popular sobre qual seria o conteúdo das mensagens e fotos íntimas do celular hackeado de Marcela Temer pode criar embaraços ao governo (afinal, trata-se da 1ª Dama! Imagina o escândalo que imagens de, digamos, ‘sexting’ de Marcela Temer não causariam! Seria muito constrangedor!…)
    Além disso, há mais uma questão: falamos da capacidade do governo de manter o sigilo das comunicações do Presidente da República e das pessoas diretamente ligadas a ele — entendo que é responsabilidade do governo dar mostras claras de que atua para preservar a segurança das informações (mesmo que, como bem sabemos, não seja invulnerável a ações de espionagem…)

  2. Carlos Valoir simões disse:

    Medida corretíssima: não se pode permitir a divulgação de dados obtidos ilegalmente, de qualquer que seja; nem a divulgação do assunto, se o ofendido não permitir.

  3. Beraldo disse:

    Incomum a Globo e a Folha aceitam uma censura, sem estardalhaço.

  4. laercio disse:

    Reportagem censurada! não vi protestos nas ruas! não vi ninguém lembrando a ditadura!
    Muito boa a eficácia desta censura!
    Bom seria se pudéssemos censurar os interesses privados que estão levando a nação ao caos social.
    Há uma discrepância muito grande no nosso país, “podemos até dizer que há dois tipos de brasileiros”…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *