Início » Brasil » Lava Jato investiga cobertura usada por Lula em São Bernardo
COBERTURA EM SÃO BERNARDO

Lava Jato investiga cobertura usada por Lula em São Bernardo

Investigadores apuram se cobertura em São Bernardo foi comprada com dinheiro de construtora ligada à Odebrecht

Lava Jato investiga cobertura usada por Lula em São Bernardo
O imóvel fica no edifício Green Hill, mesmo prédio onde o ex-presidente mora, em São Bernardo do Campo (Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A força-tarefa da Operação Lava Jato investiga se uma cobertura usada pelo ex-presidente Lula foi comprada com dinheiro de construtora ligada à Odebrecht. O imóvel fica no edifício Green Hill, mesmo prédio onde o ex-presidente mora, em São Bernardo do Campo.

De acordo com o jornal Globo, Glaucos da Costamarques, primo de José Carlos Bumlai (pecuarista preso sob a acusação de forjar empréstimos e repassar dinheiro para o PT), teria recebido R$ 800 mil da DAG Construtora, que é investigada por ser usada pela Odebrecht para negócios ilícicos, em dezembro de 2010. Pouco tempo depois, já no início de 2011, Glaucos comprou a cobertura e alugou para o petista.

A suspeita é de que a operação de aluguel tenha sido apenas para simular um caráter formal ao uso do apartamento pelo ex-presidente.

A cobertura (apartamento 121) fica ao lado do apartamento 122, em que Lula é proprietário desde 2000. Segundo o jornal Estado de S. Paulo, o apartamento passou por uma reforma para se tornar um conjugado, possibilitando que o ex-presidente transite de um imóvel ao outro sem a necessidade de utilizar o corredor do edifício.

Enquanto Lula era presidente, o apartamento 121 abrigou agentes que cuidavam de sua segurança, e o aluguel era pago pelo Governo Federal. Em 2010, último ano em que esteve na presidência, Lula pagou R$ 54,6 mil pelo aluguel, uma quantia maior que a desembolsada nos anos seguintes.

De acordo com o seu Imposto de Renda, o ex-presidente declarou ter pago R$ 42 mil em 2011, R$ 46,2 mil em 2012 e 46,8 mil em 2013, R$ 49,8 mil em 2014 e R$ 51,3 mil em 2015 para Costamarques.

A cobertura já foi alvo de busca e apreensão na 24ª fase da Operação Lava Jato após o síndico do prédio ter confirmado que o apartamento também era utilizado por Lula. Na ocasião, os investigadores da Lava Jato encontraram documentos que reforçam indícios de que o sítio em Atibaia pertence a Lula.

Fontes:
O Globo-Lava-Jato investiga outra cobertura usada por Lula
Estado de S. Paulo-Lava Jato investiga contrato de cobertura

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *