Início » Brasil » Leitor comenta a campanha contra biografias não autorizadas
Opinião Pública

Leitor comenta a campanha contra biografias não autorizadas

Malou von Muralt é o Opinião Pública da semana. Participe você também!

Leitor comenta a campanha contra biografias não autorizadas
Comente e participe!

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Malou von Muralt comentou o artigo “Roberto Carlos ataca biografias sem perder a majestade” e foi eleito o Opinião Pública da semana. E você? Já deu a sua opinião hoje?

Os pesquisadores se deparam constantemente com a questão dos direitos autorais e direitos de imagem. O debate sobre as biografias na verdade vai além: o que acontece com biografias de personalidades já falecidas? Precisa da autorização dos herdeiros. Por vezes o problema se torna ainda mais delicado, quando parte dos herdeiros concorda e a outra parte (ou um só) discorda e não autoriza determinada pesquisa ou publicação.

O medo em relação aos herdeiros é tamanho que até documentos livres de direitos autorais, como fotografias de obras em espaço público, não são fornecidos para os pesquisadores com receio de que um eventual herdeiro possa reclamar. No caso concreto que vivenciei, o medo foi mais forte do que a lei! As pessoas, as instituições querem evitar problemas. Então, dizem não. E os documentos ficam nas gavetas, prejudicando o trabalho do pesquisador. Acho importante ver como outros países – que também prezam o direito à privacidade – resolvem o equilíbrio entre o direito de expressão e publicação e o direito à privacidade. Em muitos países do mundo é possível publicar. Quem se sentir ofendido pode entrar na justiça.

Quanto aos membros do Procure Saber (não entendi este nome…), não entendo muito bem do que exatamente eles tem tanto medo… As invasões à privacidade não ocorrem todo dia, com os papparazzi, com fofocas na mídia, nos blogs, no twitter, em revistas que só fazem isto o dia inteiro? Quanto ao argumento que biógrafo fica rico, só fala isso quem não tem conhecimento de causa. Pesquisa representa anos de bibliotecas, arquivos, sebos, leituras, gravação de entrevistas, infinitos gastos com viagens, hospedagem, táxi, restaurante, xerox, escaneamentos, etc. etc. Pesquisar a vida e a obra de alguém requer muito amor e dedicação. Muito tempo e muito dinheiro. O “lucro” que temos é o prazer das descobertas, o achado de um documento raro, os encontros com os entrevistados ou com outros pesquisadores. É um belíssimo trabalho que merece respeito.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. bruno disse:

    Parafraseando a hoje famosa frase do Capitao Nascimento, aplicavel ao Brasil de ontem, de hoje e provavelmente do futuro, e a proposito de mais esse episodio que ilustra a resplandecente estupidez que domina esse triste pais, qual seja, esse grupelho de ‘luminares’ do ‘Procure Saber’, eu diria… NUNCA SEREMOS…
    Pra comeco de conversa, como esperar que um grupo composto exclusivamente de partes interessadas poderia resultar em algo diverso? Nunca. De onde vem a assunçao de que, alem de musicos, compositores, cantores, etc, o tal grupelho possua saber juridico? So mesmo nesse paiseco de faz de conta.
    Impressiona tambem a burrice galopante em aceitar a presenca da maior interessada nos resultados comerciais do assunto, qual seja, a tal Paula Lavigne, uma especie de tutora comercial do Caetano Veloso, cujos interessentes comerciais portanto sao obvios.
    O mais impressionante porem e perceber que tais ditos ‘homens’ – especialmente o poeta maior Chico Buarque tenham alegremente se sujeitado a essed papel, deixando-se levar por uma astuta labia que mistura seducao de poder, ego e… total falta de referencias eticas.
    Quem diria que, aos 45 do segundo tempo, esse gente que diz ter lutado bravamente contra a ditadura, a censura dos militares – nossa quanta bravura! Tenha facilmente estragado a suas proprias biografias de modo tao definitivo…. se ja nao o eram favoraveis, agora mesmo e que nao desejarao ter sua biografias publicadas… caso biografo fosse dessa gente, comecaria pelo fim… pateticos!.
    So resta a essa gente que tenha um gesto de coragem final e abandone a seducao (sedicao) do ilusrio poder, marca registrada da rale estupida, ressentida e recalcada e o que pior, incompetente, que assola este pais.
    Transcrevo aqui frase do finado Nelson rodrigues, – agora quero ver quem e capaz de refutar, afinal nao sou mais eu quem diz… ‘Subdesenvolvimento nao eh algo que se improvise… e obra de seculos’… nisso o Brasil e competente!
    …. ah como eu queria uma bolsa-emigracao… Canada, Italia, Australia, Nova Zelandia,

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    Esse debate vem sendo discutido a semana inteira e eu no meu mais humilde descrito só a favor dos biografados mesmo que não façam nada só autorizar, mais o queles autorizam é sua vida que seja honesta ou preguesa e o que traz mais atenção é que não sabe quando se trata de uma pessoa famosa. Outra se o Chico for biografado e forem mostra-lo o trabalho e sendo aceito, lógico que le terá direito aos royalties pois foi dele que escreveram mesmo tendo muito trabalho em pesquisa que para o Chico não interessava pois foi o seu passado e passado passou.!! Não se faz necessário ir ao congresso ou de advogados é só as partes interessadas se coadjuvarem no sentido do que possivelmente for publicado.

  3. helo disse:

    Que tal seguir a onda de autobiografias? Lula já deu a dica.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *