Início » Brasil » Leitor comenta a legalização das drogas
OPINIÃO PÚBLICA

Leitor comenta a legalização das drogas

Rene Luiz Hirschmann é o Opinião Pública da semana. Participe você também!

Leitor comenta a legalização das drogas
Comente e participe!

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Rene Luiz Hirschmann comentou a matéria “Ministro do STF defende legalização das drogas e foi eleito o opinião pública da semana. E você? Já deu sua opinião hoje?

Até que um dia a sensatez bateu na porta do STF. Não podemos permitir que corporações interessadas em manter a criminalização das drogas impeçam o andamento dessa vontade, é uma questão de competência a legalização.

Sair atrás de traficante é como secar gelo, a razão do traficante é o consumidor, se o cara maior e pode votar, quer consumir que tenha regras como a bebida alcoólica e o cigarro, livre arbítrio, no mais são normas a seguir.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

8 Opiniões

  1. Christian disse:

    Não se pode combater a ineficiência de um sistema com permissibilidade, por não termos um sistema competente para prender o traficante devemos liberar as drogas? Isso soa igual a doar meu dinheiro voluntariamente para certos grupos pois não temos um sistema eficiente para combater a corrupção. Prefiro a “insensatez” que lhe parece, pois a proibição aos olhos de muitos é sensata. Não temos maturidade social para uma liberdade que só traz males, não há pontos positivos nas drogas.
    Sobre regras, há regras a seguir, são bem claras, não são obedecidas e continuarão não sendo, pois infelizmente a “Lei de Gerson” ainda vigora imponente no Brasil.
    As corporações interessadas na criminalização são àquelas interessadas na descriminalização ou acredita que o retorno positivo será pra grande massa consumidora dessas porcarias?

  2. olbe disse:

    Tenho 80 anos e concordo totalmente. 80% dos presidiários são pessoas que traficam drogas…

  3. carlos alberto martins disse:

    o certo é liberar a droga e,fazer doação das mesmas em grande quantidade para os consumidores das mesmas.quem sabe tenhamos sorte e esses viciados morram de overdose,acabando assim com o tráfico de drogas.outro tipo de droga,são os nossos politicos,quem infestam o governo,para esses,PAREDÂO.

  4. Áureo Ramos de Souza disse:

    Que venham as drogas e usam elas que as queira e procurem mais cedo seu caminho para o inferno LEGALIZEM JÁ pois pelo ao menos acabará com traficos

  5. WILLIAM ALVES DA ROCHA disse:

    Realmente legalizar as drogas é algo tentador. Mas como iremos sustentar os dependentes químicos pelo INSS. Será que a liberação acaba com o tráfico. Então por que a liberação de venda de CDs, apenas para lembrar um não acaba com a pirataria? Quem ira vender maconha, teremos a MACONHABRAS, mais uma Estatal? Na Holanda a liberação acabou com o tráfico? O problema esta não na venda ou trafico e sim no consumo, enquanto houver consumo, claro haverá venda e trafego. Mas ninguém quer responsabilizar o consumidor pois além de já esta enraizado na sociedade o consumo é lucro para muita gente e a maioria que defende liberar a droga é usuário que pensa que a sua droga baixara de preço com a legalização. Ledo engano vcs não conhecem a necessidade de impostos que existe no governo. Obrigado William Rocha

  6. laercio disse:

    Basta o álcool e o cigarro para gerar ônus públicos mesmo para quem não fuma ou bebe!

    Traficante, latrocida e político corrupto tem que ser condenados a morte.

    Quem se permitiu ficar viciado tratamento a base de trabalhos forçados. A constante ocupação trás a cura!

  7. Lucinda Telles disse:

    Quem apoia a liberação das drogas só pode ser usuário: o jovem brasileiro médio já é meio abestado (vejam as estatísticas sobre educação) de “cara-limpa”, imagina com a “cabeça-feita”.

  8. Markut disse:

    Para este insolúvel problema,só resta a eterna vigilância, para minimizar, tanto quanto possível, a sua nocividade social.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *