Início » Brasil » Leitor comenta internação forçada de viciados em crack
Opinião Pública

Leitor comenta internação forçada de viciados em crack

André Luiz D. Queiroz é o Opinião Pública da semana. Participe também!

Leitor comenta internação forçada de viciados em crack
Leitor comenta a ação da Prefeitura

André Luiz D. Queiroz comentou a notícia “Viciados em crack serão internados à força no Rio” e foi escolhido o Opinião Pública da semana. E você? Já deu sua opinião?

Sou a favor. Embora falando como leigo, parece-me evidente que os viciados em crack não tem capacidade para discernir, e sem a internação (compulsória ou voluntária) estão sujeitos a afundarem mais e mais no vício, até a morte. Raros são os que conseguem sair do vício, e nunca sem apoio. Moro perto das comunidades do Jacarezinho e Manguinhos, convivendo quase diariamente com a trágica realidade do crack. Já passou da hora há muito de tratar a questão do crack e outras drogas como problema de saúde pública, como se fosse a peste bubônica! E em tais circunstâncias, medidas ‘sanitárias’ são imperativas, mesmo que antipáticas, arbitrárias ou mesmo beirando a ‘inconstitucionalidade’. Não dá pra ‘brincar de democracia’, fazer plebiscito, quando o assunto envolve vidas!
A questão maior, é realmente com quais recursos a Prefeitura/Governo estadual podem acolher a legião de viciados. Em quais condições? Terão um mínimo de dignidade, recursos reais para curarem-se do vício? Ou os centros de tratamento se transformarão em ‘depósitos de gente’, a exemplo da triste memória dos asilos psiquiátricos de até pouco tempo?… É preciso ter cuidado com isso!


 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. Antonio Nunes Jr disse:

    André,

    Posicionamento corretíssimo e lúcido.
    Os usuários de crack, independentemente da idade, não podem ser deixados largados à própria sorte. Precisam e devem ser tratados. É uma questão de saúde pública. Quem é dependente dessa droga e está mergulhado no abismo de seu consumo não tem “forças”, vontade suficiente, determinação etc necessárias para deixar o vício. O final é, como você colocou, a morte. Assim, que se promova o efetivo tratamento voluntário ou involuntário.

    Antonio

  2. RAYMUNDO AUGUSTO D'ALMEIDA disse:

    É MUITO FÁCIL JOGAR PEDRA NO TELHADO DOS OUTROS, CONTUDO, É DIFÍCIL MOSTRAR AQUELE QUE ERROU O LADO HORRENDO DO ATO PRATICADO SEM NENHUMA CONSCIÊNCIA DAS CONSEQUÊNCIAS QUE PODERÃO SURGIR NO DECORRER DO TEMPO.
    USO DAS DROGAS, MUITAS VÊZES, OCORREM POR MOTIVOS QUE NÃO DAMOS IMPORTÂNCIA JUNTO COM A FAMÍLIA NUMA BRINCADEIRA QUE FAZEMOS PARA AQUELE JOVEM, TAXANDO COM AS CHAMADAS BRINCADEIRAS DE MAL GOSTO E QUE DENTRO DAQUELE CORAÇÃO, TORNA-SE UMA REVOLTA, UMA ESPÉCIE DE MÁGOA E SEM O APOIO DA FAMÍLIA O JOVEM PROCURA A ADOÇÃO DE UM ESTRANHO..
    É MUITO IMPORTANTE O EQUILÍBRIO NAS CONVERSAS DENTRO DE CASA, TENDO COMO PRINCIPAL FATOR O DIÁLOGO, O CARINHO E ATÉ MESMO NO SILÊNCIO, FALAR NAS HORAS PRÓPRIAS
    SERÁS QUE INTERNAÇÃO FORÇADA DE VICIADOS EM DROGAS EM GERAL, VAI RESOLVER O PROBLEMA?
    PRECISAMOS URGENTEMENTE ENFRENTAR ESTE PROBLEMA COM DIGNIDADE SUFICIENTE PARA QUE A SOLUÇÃO SEJA MESMO DE SAÚDE PÚBLICA.

  3. ADRIANO TOLEDO disse:

    Para ser digno do nome tratamento compulsório, como o André Queiroz colocou, a medida será eficaz apenas se as instalações e os recursos humanos forem minimamente adequados. Doutra forma, será ‘recolhimento compulsório’ e apenas demagogia e tropeço. Aliás, seriedade na gestão inclui melhorias constantes e reconhecidas pelos órgãos e sociedades técnicos: não se exige que começe de modo perfeito.

  4. AG disse:

    um primeiro passo. assim se caminha para chegar a qualquer lugar, um passo de cada vez.
    (fundamental saber onde quer chegar)

  5. julio soares da silva disse:

    não basta so tratar do viciado. sim isto é muito importante, mais O mais importante é combater trafico, para o governo obter sucesso neste projeto, as autorides tera que agir comas rigor contra o trafico.porque direitos humanos tem queser para humanos direito.

  6. Luis Pedro disse:

    SOCORRO É DIFERENTE DE AJUDA. AJUDA VOCÊ ACEITA OU NÃO. SOCORRO NÃO PRECISA DE PEDIDO, SE UMA PESSOA CAI NA RUA NÃO PRECISA PEDIR AUXÍLIO, TODOS VÃO AUTOMATICAMENTE EM SEU AUXÍLIO. O VICIADO EM CRACK PRECISA DE SOCORRO E NÃO SÓ DE AJUDA, ELE NÃO ESTÁ EM CONDIÇÕES DE PEDIR OU QUERER NADA.
    APOIO A INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA PROPOSTA PELO PREFEITO EDUARDO PAES, QUE ESTÁ RECONSTRUINDO O RIO DE JANEIRO, QUE É A VERDADEIRA CAPITAL DO BRASIL. JK SE ESTIVESSE VIVO NÃO IRIA GOSTAR NADA DISSO, POIS ELE LUTOU TANTO PARA TRANSFORMAR O RIO NUMA CIDADE DO 05º MUNDO.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *