Início » Brasil » Leitor comenta o referendo sobre maioridade penal sugerido por Cunha
Opinião Pública

Leitor comenta o referendo sobre maioridade penal sugerido por Cunha

Mauricio é o Opinião Pública da semana. Participe você também!

Leitor comenta o referendo sobre maioridade penal sugerido por Cunha
Comente e participe!

Mauricio comentou a matéria “Eduardo Cunha sugere referendo sobre maioridade penal” e foi eleito o Opinião Pública da semana. E você? Já deu a sua opinião hoje?

Se é para ser decidido por referendo, para que elegermos deputados e senadores? Com essa atitude, o deputado Eduardo Cunha assina o atestado de incompetência dele e dos demais, além de confirmar a tese que trabalham totalmente desalinhados dos interesses e anseios de seus eleitores.

Ele sabe muito bem por que nossos jovens cada vez mais se envolvem com a criminalidade. Não é simplesmente a idade, mas esse contexto todo de desigualdade, falta de oportunidades e inoperância do atendimento básico (saúde e educação).

Mas, se corrigirem esses fatores, não terão mais argumentos para se perpetuarem nos cargos eletivos. Acaba, simplesmente, a mamata…. Parabéns aos eleitores dessa figura….

6 Opiniões

  1. olbe disse:

    Independente de idade, quem mata alguém deve ser retirado da sociedade para não continuar matando…simples assim.
    Adolescencia é uma fase na vida de todos nós que ADORÁVAMOS TRANSGREDIR ..quem não se lembra do que “APRONTOU”na adolescência? Mas matar uma pessoa, acabar com a alegria de uma família para sempre? Isto deve ser severamente reprimido.

  2. Guilherme disse:

    Os menores devem ser punidos sim, mas não junto aos adultos. Esses adolescentes sabem que cada ação tem uma consequência e esta consequência não pode ser ficar algumas horas na delegacia ou alguns dias em uma “instituição” e depois ser liberado como se nada tivesse acontecido.
    Mas no estado atual do sistema penitenciário, juntar essas crianças aos adultos é uma proposta imediatista, que pune o criminosos agora, mas projeta um futuro ainda mais violento e sem perspectivas para esse jovem, e logicamente, para a sociedade. Isso sem considerar que nossa polícia civil e promotores só conseguem solucionar 10% dos assassinatos, sem contar quando condenam a pessoa errada.
    Os sistema penal tem uma base, uma raiz, muito precária e estamos brigando por uma mudança lá na ponta.
    Referendo para melhorar o trabalho da polícia, melhorar a educação e saúde dessas crianças ninguém cobra, programa de TV (estilo Datena) nem comenta.

  3. Vitafer disse:

    Se entram porque querem, têm de pagar o pato. Concordo com o Henrique, maioridade penal aos 12 anos.

  4. Ludwig Von Drake disse:

    No mesmo contexto de exclusão social, alguns jovens (a minoria) sucumbem à marginalidade, outros ( a maioria) não; então não podemos atribuir exclusão como causa, mas como pretexto. Penso que assim como o políticos não legislam sobre esse assunto porque não querem, alguns jovens entram para o crime simplesmente porque querem.

  5. Henrique de Almeida Lara disse:

    Concordo que o “contexto de desigualdade e a falta de oportunidade”, a péssima qualidade da educação brasileira podem contribuir para o aumento da violência. E jamais se deve esquecer que a educação começa no lar. Por isso não se pode, em sã consciência, negar que há uma cultura aética, que dá pouco valor ao respeito às leis. Eliminar esses problemas todos é o ideal. Porém, as pessoas que julgam os problemas sócio-culturais do Brasil com imparcialidade, racionalidade e conhecimento de causa, sabem que, mesmo com muito esforço e seriedade, os resultados satisfatórios vêm a longo prazo. Os gestores não podem nem devem agir com leviandade nem com improvisação.
    Por outro lado, o sofrimento da sociedade é grande e clama por providências urgentes. Pais de família, mães de família, trabalhadores, jovens estudantes, pessoas de bem estão sendo agradidos e mortos nas ruas, nas calçadas, nas casas, nas escolas, no trabalho, no lazer. A sociedade está amedrontada, insegura, alarmada, sentindo-se desamparada e a toda hora agredida. Sabe-se que criminosos aliciam menores, porque estes não são punidos! Há o monstro da impunidade!
    A Psicologia do Desenvolvimento Humano (é Ciência, não é palpite) afirma que a pessoa humana ao atingir a idade de 11 (onze) anos, atingde a idade da razão: É capaz de raciocinar e julgar o que é certo e o que é errado. Portanto, esses “menores inimputáveis” sabem muito bem o que estão fazendo. Sabem que estão voluntariamente praticcando crimes.
    Ora, o ideólogo romântico defende a sua impunidade! Não quer consulta popular porque sabe que o povo sofredor, num instinto de autodefesa, vai aprovar a diminuição da idade inimputável. O povo está sofrendo na pele todo esse terror da criminalidade. Anseia por segurança e paz. Mas o ideólogo romântico quer impor ao povo a continuação do seu sofrimento terrivelmente desesperador! Pensa que sem consulta popular a lei que diminue a maioridade sofrerá derrota no Congresso. Isso é postura ditatorial: impor ao povo algo que ele não quer. Pessoalmente, penso que a maioridade imputável deveria ser baixada, não a 16 anos, mas a 12 anos. Tenho dito.

  6. Troiano disse:

    Será tão difícil os deputados e senadores entenderem que 93% da população quer a redução da maioridade penal que já deveria ter sido votada “ontem” e não pode esperar mais 4 meses para que se inicie tudo de novo? O interessante da coisa é que quando são projetos que lhes interessem tal como o aumento do próprio salário, eles se reúnem do dia para a noite e aumentam o salário na maior agilidade. Por que quando são projetos de interesse do povo eles não agem com a mesma presteza?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *