Início » Brasil » Leitora comenta a importação de médicos cubanos
Opinião Pública

Leitora comenta a importação de médicos cubanos

Helo é a Opinião Pública da semana. Participe também!

Leitora comenta a importação de médicos cubanos
Comente e participe! Você pode ser o próximo leitor em destaque no Opinião e Notícia!

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Helo comentou o artigo “Sobre déficits e superávits” e foi escolhida a Opinião Pública da semana. E você? Já deu sua opinião?

O certo ou errado na balança depende do que importamos e exportamos.

Importação feita pela indústria é bom quando ela vai bem: nossas indústrias vão mal, e importam o que já não conseguem produzir.

Importação de petróleo é bom quando o crescimento exige, porém não quando a nossa produção cai.

A importação de médicos cubanos sem qualificação para o serviço público é decorrente das péssimas condições oferecidas pelo governo aos médicos brasileiros jovens e bem formados. Não se trata de uma importação que soma mas que subtrai.

O aumento do estado, dos impostos, dos gastos do governo para sua própria manutenção, a queda na produção e da qualidade dos serviços, afetam a balança comercial.

Penso que sob esta ótica não haverá teoria econômica que classifique esta equação como virtuosa.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

21 Opiniões

  1. Elisa disse:

    Parabéns, Helô, pela lucidez. Poucos são os brasileiros que percebem os absurdos na Saúde cometidos pelo (des)governo brasileiro. A “importação” de médicos é uma afronta aos profissionais brasileiros, ao povo brasileiro, ao “pobre” brasileiro! Utilizado pelos maus políticos para as urnas, cada dia são menos atendidos em suas necessidades básicas, salvo nas propagandas eleitoreiras. Um dia tudo há de mudar!

  2. paulo henrique disse:

    O serviço publico brasileiro ia dar muita sorte ter em seus quadros profissionais dedicados, comprometidos, qualificados. O mundo sabe a diferença da medicina cubana para o resto da América latina. Os programas de saúde da familia, vitiligo, desintoxicação e etc,´são modelos para o resto do mundo. Eu só podia criticar se a nossa Saúde fosse chegar de perto ao rastro deles. Grato.

  3. MARCIA disse:

    penso igual esta leitora. parabéns pelas palavras verdadeiras…

  4. Rudy Lang disse:

    Certíssima, a HELO. Bem se vê que essa cambada de comunistas QUE NOS ATORMENTA nunca aproveitou um mínimo da filosofia cristã.
    Ensinamentos tais como AMARÁS O TEU PRÓXIMO não passam pela cabeça de esquerdistas.
    Em vez de valorizar os (médicos brasileiros) que estão perto e desempregados, agora importaremos auxiliares de enfermagem cubanos para realizar atos médicos. Só mesmo no Brasil do PT. Arre!!!
    Imagino o que o presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, Dr. Argollo, cujos filhos foram estudar “medicina” em Cuba, vai dizer.
    Quando é que vamos pôr essa cambada de terroristas disfarçados de políticos petistas para correr???
    Paulo Henrique, acorda! Em Cuba não tem nem esparadrapo. O Chávez poderia ter te dito isso, mas preferiu morrer nas mãos de cubanos a se tratar na Europa ou nos Estados Unidos ou até mesmo no Brasil.

  5. Luiz Andre Hayem Coutinho disse:

    Eduardo Paes ,apos manchetes,de repercussão mundial decide por decreto pribir vans no Rio
    Eduardo Paes ,apos ouvir queixas de turistas de bom gosto que chegam de transatlanticos,decide derrubar a Perimetral
    Dilma resolve importar medicos de Cuba.
    Eu proponho importar politicos com devida formação de planejament e gestão da coisa publica da Suiça.

  6. Mauricio Fernandez disse:

    Afronta aos verdadeiros profissionais de medicina e principalmente aos pobres brasileiros são as pessoas morrendo nos corredores dos hospitais, quando existem, por falta de atendimento e alunos de medicina estudando em bonecos plásticos e sem acesso a laboratórios onde não se exerça somente o ato de observar um grãozinho de feijão brotar em um frasco com algodão úmido. O nível de ensino nas faculdades de medicina como em outras é de sofrível para pior. E aqueles que dalí saem, preferem ficar gravitando em torno dos grandes centros deixando no mais completo abandono vastas populações no país inteiro. Existem, acima de qualquer dúvida, excelentes médicos no Brasil que cumprem com suas funções muito além do que lhes é requisitado. Verdadeiros herois nacionais que não poupam tempo em dedicação e salvar vidas. Competentes, vivem assoberbados não tendo mais como ampliar o número de atendimentos. Por outro lado, temos a praga disseminada dos postos de saúde onde a especialidade maior é acomodar na folha de pagamento apadrinhados políticos, medir a pressão arterial e receitar aspirina. Com esses, juntamente com os planos de saúde que optam sempre por conveniar os menos exigentes criou-se um campo fértil de trabalho para aqueles que notadamente tem dificuldade de diagnosticar uma enfermidade tanto quanto receitar o remédio adequado. É o caos da saúde. Verdadeira afronta a qualquer ser humano. Afirmar que os médicos cubanos são incompetentes necessita de uma bola de cristal poderosa o bastante para desmanchar uma imagem consolidada internacionalmente tanto quanto a afirmação de médicos brasileiros jovens e bem formados – uma equação que aguarda pela reencarnação de Albert Einsten.

  7. helo disse:

    Obrigada, Elisa.
    Paulo Henrique,
    Talvez o Sr. discorde por não ser um profissional na Saúde e acredite na propaganda. Cubanos há anos já trabalham aqui, sobretudo nos grandes centros onde com muito esforço e dedicação, aprendem e se atualizam, numa corrida contra o tempo e com as falhas provenientes da falta de amparo acadêmico. Muitos são até brasileiros. Nestes centros se constata o que o Mundo Médico já sabe: O modelo cubano é o do atraso devido ao longo período de isolamento, sem o benefício das pesquisas e avanços acelerados do conhecimento médico global interconectado, essenciais da área preventiva à curativa. Temos no Brasil carência de paramédicos aptos aos primeiros socorros, prevenção primária, desintoxicação, vacinação, atendimento domiciliar. Temos tratamentos contra o vitiligo mais eficientes que o de Cuba. Condenamos muitos tratamentos ineficazes que lá existem como o uso da barbatana de tubarão para cura do câncer. O Brasil deveria anistiar a dívida cubana ao invés de aceitar o envio destes profissionais como pagamento de empréstimos. A decisão custará mais caro que o oferecimento de condições de trabalho e remuneração que atraia m para o serviço público nossos jovens médicos modernos e qualificados.

  8. Jorge Christian Rodrigues Cunha disse:

    Não posso concordar com as objeções que estão sendo levantadas à vinda dos profissionais cubanos.

    Em primeiro lugar, observe-se de quem partiram os primeiros protestos: do Conselho Federal de Medicina. A Avermes, Associação de Vítimas de Erros Médicos, que representa as causas mais legítimas nessa história toda, não levantou objeções. No fundo, as críticas partem de propósitos de classe, propósitos que nada têm a ver com os pacientes, muito embora os médicos insistam que estão falando em nosso nome, não em nome de seus interesses.

    Ora, é evidente que um melhor atendimento médico na rede pública causará prejuízos às clínicas particulares dirigidas por empresários graduados em medicina. Vem daí a grita contra a vinda dos cubanos. Fosse uma preocupação com a população, com os pacientes, e não se veria a blindagem de impunidade do Conselho para com os maus profissionais: médicos faltosos, médicos que matam e mutilam. Eu mesmo já tentei ser atendido numa unidade de saúde, para uma consulta oftalmológica. O “profissional”, mal entrei na sala dele, rabiscou qualquer coisa no meu encaminhamento, e, sem mais delongas, me despachou do local. Simplesmente não fui examinado. Não sou o único. Já pensaram em perguntar nas filas dos postos de saúde se os pacientes são contra a vinda de médicos cubanos? O site tem meu e-mail. Dou o nome da unidade, o nome do profissional, data e hora, se isso me for autorizado.

    Antes de encerrar, quero lembrar um caso que ocorreu aqui no Rio. Foi no final do ano passado, por ocasião das festas de fim de ano. Uma garotinha foi atingida em cheio na cabeça por uma bala perdida. Passou oito horas esperando atendimento num hospital público (oito horas de espera com uma bala no juízo, imaginem o que é isso). O neurocirurgião, Adão Orlando Crespo Gonçalves, que deveria ter ido trabalhar, não foi. Estava em casa, ocupadíssimo, fatiando o peru de natal. Alguém ouviu falar em “medidas cabíveis” do Conselho Federal de Medicina contra esse médico? Nem eu. Alguém acha que a família dessa menina teria discordado se ela fosse atendida por um cubano? Também não acho.

  9. wandereley f.silva disse:

    CLINIQUEI ODONTO POR 40 ANOS EM SÃO PAULO.FIZ 19 CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA NA NOSSA A.P.C.D.-SE MORASSE FORA DO SUDESTE SERIA UM CRAQUE EM EXTRAÇÕES DENTÁRIAS
    E CONFECÇÃO DE DENTADURAS ARTIFICIAIS..
    SUGIRO QUE SE OFEREÇA AO MÉDICO ALÉM DOS HONORÁRIOS DIGNOS UM PERÍODO DE CURSOS ATUALIZANTES NUM GRANDE CENTRO OU NO EXTERIOR,SE O MÉDICO DOMINAR O INGLÊS
    OBSERVEM QUE NOSSOS CARTÕES DE PLANOS DE SAÚDE VIRARAM O S.U.S. DA CLASSE MÉDIA.
    A SALA DO MÉDICO ESTÁ SEMPRE LOTADA,MAS O PLANO REMUNERA-O MUITO MAL.
    VEMOS QUE RESTA AO PROFISSIONAL FECHAR UM DIAGNÓSTICO EM SETE MINUTO E DESCARTAR O PACIENTE PORQUE SUA AGENDA ESTÁ LOTADA.
    A DISTRIBUIÇÃO DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE NO BRASIL É ASSIMÉTRICA.
    SE PERMITIRMOS, VIRÃO TODOS OS MÉDICOS DE CUBA. -COM OU SEM FORMAÇÃO ACADÊMICA OS CUBANOS VIRÃO… ENFIM É MELHOR DO QUE NENHUM.
    NOSSOS CLÍNICOS SERTANEJOS FICAM COM O QUE MAL OU BEM ADQUIRIRAM NA ESCOLA.
    JAMAIS SE RECICLAM.
    OS TELECURSOS PODERIAM AMENIZAR,MAS .SÓ OS JOVENS DOMINAM O COMPUTADOR.
    OS JOVENS,ENTRETANTO, OPTAM POR RIO OU SÃO PAULO.

  10. helo disse:

    Wandereley tem razão.
    Pacientes e profissionais dos hospitais federais no Rio já constatam a piora do atendimento: piores condições de trabalho,burocratização crescente, falta de pessoal, pouco concurso, muita terceirização, baixos salários, falta de medicamentos etc. Há hoje muito cacique para pouco índio. Sou pela medicina pública de qualidade, e menos pelo SUS. O caso citado por Jorge Christian aconteceu no SUS, o médico criminoso condenado. É assustadora a prática cotidiana no SUS devido aos repasses vis, as vezes se paga 30 reais por uma cirurgia. O médico que aceita esse trabalho finge que trata, e o paciente finge que é tratado.
    A OMS que monitora as práticas médicas no planeta não tem acesso formal à prática em Cuba, cuja imagem internacional só é cantada e aplaudida entre autores, leitores e pacientes amigos e leigos.
    Que venham os médicos cubanos! Sem incentivos eles não irão para o nosso interior carente, com poucas chances da formação e aperfeiçoamento tão necessários. Partirão, como já o fazem e para exercer qualquer ofício, no destino sonhado, a América, sua segunda pátria.

  11. marcos disse:

    lindo seu texto minha amiga…agora vai falar tudo isso pra uma mãe
    lá do sertão ou da amazonia, que o filho que ela traz no colo quase
    desfalecido, talvez nao sobreviva porque os médicos brasileiros não
    vão poder atende-la devido a muitas variantes do sistema e teorias
    economicas conflitantes…….vai lá e fala pra essa mãe que ta com
    o filho morrendo nos braços que vc nao concorda que um médico
    “cubano ou marciano” tente salvar a vida dele ou diminuir sua dor….
    faça-me um favor…..vai lavar uma louça ta

  12. Marluizo Pires Cruz disse:

    A polêmica da importação parece ser de onde vem o produto, pois a quem vai servir é o que importa, por isso pouco se comentou da falta de atendimento das necessidades médicas das pessoas de baixa renda no país que tem medicina dos ditos países de primeiro mundo para quem tem condições de pagar. Devemos estar atentos para os interesses corporativos não perpetuar a falta de atendimento médico aos mais necessitados. Tenho lembranças que, um dia, uma senhora chamou atenção para o país dos desdentados. Os governos não se sensibilizaram, mas as iniciativas privada de criação das clínicas populares reduziu o problema. Porquanto todas as iniciativas para tentar solução para resolver o problema podem ser viáveis.

  13. helo disse:

    Marcos, eu atendo a mãe no sertão. Você não leu que a situação é mais trágica do que você pensa, e o governo não parece saber a solução. A mãe no interior não terá nem o médico cubano nem o brasileiro. Para ambos é preciso por ex. um posto médico ou uma remuneração acima de 4 mil.

  14. helo disse:

    O meu comentário escolhido era sobre um artigo que discute as teorias econômicas, e quis mostrar que se muitas vezes elas não acertam, existem soluções conhecidas mais diretas e simples. Os que trabalham com a miséria, a saúde e a doença, longe dos gabinetes de Brasília, sabem qual o caminho. Basta ter vontade e decisão. Tem muito jovem brasileiro disposto a atender essa mãe e lá ficar. Já o médico cubano quer ir para a América via Brasil. Isto é o que já acontece.

  15. PENSADOR disse:

    MÉDICOS BEM FORMADOS E QUALIFICADOS PELA NOSSA UNIVERSIDADE? VOCÊ PENSA QUE ESTÁ ONDE, MENINA?
    Será que estes “medicos qualificados” estão sendo prejudicados no teste prático? Assim como o exame de ordem da OAB reprovou cerca de 90% dos pseudo advogados mal-formados por nossas escolas, há bem pouco a mídia relatava que em SP, NÃO É NO PIAUI NÃO, UM ENTRE CADA SEIS MÉDICOS FORAM REPROVADOS NO EXAME PRÁTICO. Cada vez mais vemos médicos jovens que relegam a cultura e o bom senso relegando a programas de software de diagnóstico de seus notebooks o trabalho de receitar remédios e fazer anamnese do paciente. POR ISTO, MUITOS NÃO DESGRUDAM OS OLHOS DE SEUS NOTEBOOKS!!! Não é o médico que está analisando, é o software, o robô.
    Há pouco tempo minha esposa foi operada por um conceituado profissional formado pela USP e estranhou que o lado direito de seu rosto estava inchado após cirurgia e não o lado esquerdo. perguntou ao cirurgião e ele confirmou ser efeito da cirurgia. Só que o RX mostrava o lado esquerdo infeccionado NÃO O LADO DIREITO…. Leu a radiografia ao contrário na ãnsia de produzir mais cirurgias. Se um médico formado pela USP comete destas gafes, imagine as outras fábricas de diplomas que se tornaram nossas faculdades. Mais da metade dos médicos recém-formados do estado de São Paulo foi reprovada no exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), aplicado no dia 11 de novembro. Este foi o primeiro ano em que a prova foi obrigatória. Os resultados, no entanto, não impedirão a emissão de registros profissionais dos médicos.
    http://veja.abril.com.br/noticia/saude/mais-da-metade-dos-medicos-recem-formados-e-reprovada-no-exame-do-cremesp
    POR FALTA DE QUALIDADE PROFISSIONAL, ESTUDANTES QUEREM BOICOTAR O EXAME DE ORDEM DO CREMESP:
    http://veja.abril.com.br/noticia/saude/estudantes-de-medicina-prometem-boicotar-prova-do-cremesp
    (a mulher o está traindo no sofá? tira-se o sofá!!!!)
    BOA PARTE DE NOSSOS ESTUDANTES SE FORMAM NOS SITES MONOGRAFIA.COM. A MAIORIA DOS ESTUDANTES DO NÍVEL MÉDIO TERMINA O 2] GRAU ANALFABETOS FUNCIONAIS. NÃO SABEM LER E INTERPRETAR E QUANDO FAZEM UMA REDAÇÃO QUE MERECE 10 NO ENEM É TRANSCREVENDO RECEITAS DE BOLO, COMO NOTICIADO.

  16. PENSADOR disse:

    CORRIGINDO, QUASE SEIS ENTRE CADA DEZ MÉDICOS SÃO REPROVADOS NO EXAME DO CREMESP!!!!

  17. helo disse:

    Pensador,
    Você tem razão! A Educação está abandonada.
    A formação médica, a recente multiplicação de escolas produzem profissionais que como você diz 6 em cada 10 são reprovados. As escolas de medicina precisam ser inauguradas com hospital e professores. Entretanto os jovens fazem vestibular, cursam 7 anos, fazem concurso e exames do CRMs. Mais trágico seria se estudassem em Cuba onde não há vestibular, CRM, internet, universidades com conhecimento atualizado.
    Enfim, a educação é a prioridade primeira, e máxima, no combate à nossa trágica desvalia e desigualdade. Não dá certo ler o RX da questão às pressas.

  18. helo disse:

    Corrigindo. Precisamos nos apressar muito, e investir certo. O diagnóstico já existe. Basta querer.

  19. Maria disse:

    A Helo tem toda a razão em suas ponderações extremamente lúcidas. Vê-se que se trata de uma profissional da saúde com a preocupação exclusiva de esclarecer mais essa irresponsabilidade desse desgoverno. Lamentável a cegueira das pessoas que não enxergam que o nosso país já, já entrará numa crise sem precedentes na nossa história. Já desmantelaram o estado com tantos ministérios e cargos públicos, mas a saúde e a educação estão relegadas ao amadorismo petista com péssimos resultados em todas as áreas.

  20. helo disse:

    Maria,
    Li hoje na Folha que em 2012, 91,6% dos inscritos estrangeiros foram reprovados no Revalida. Diz:”Estrangeiros ou não, os médicos só fixam moradia onde há salário, condições de trabalho e perspectivas. Para isso é preciso uma política pública consistente. Sem ela, há o risco de adoção de medidas imediatistas ou pautadas pelo marketing, distanciadas das reais necessidades de saúde da população”.

  21. salomao disse:

    Não existem 6 mil médicos em Cuba:

    Existem apenas duas Universidades de medicina em Cuba:

    La Habana – Forma 200 médicos por ano

    Elam- Escuela Latino Americana de Medicina -Forma 100 por a

    Portanto seriam :200 + 100= 300 por ano

    Para juntar 6 mil médicos, seriam necessários todos os médicos formados nos

    últimos 20 anos, que teriam de estar disponíveis para vir trabalhar no Brasil.

    Vão imprimir 6 mil diplomas e mandar agentes da ditadura da família Castro para formar células revolucionárias no Brasil.
    Por José Gobbo Ferreira

    Em primeiro lugar, tenho que lhes pedir que não me considerem paranoico ou adepto de teorias conspirativas. Meu assunto hoje é gravíssimo e peço que o apreciem com profunda atenção.

    Fato portador de futuro: O governo pretende contratar 6.000 médicos cubanos para trabalhar nas áreas carentes do Brasil.

    Em primeiro lugar, chama a atenção o número. Cuba é um país muito pequeno. Nele é fácil ajustar a formação profissional com as necessidades da sociedade. É no mínimo estranho que haja tantos médicos sobrando, a ponto de nos serem oferecidos nessa quantidade.

    Depois, é preciso levar em conta a qualidade da formação desses profissionais. Estou anexando reportagem de “O Globo” de hoje, 8/05/2013, que discute esse assunto. A qualidade daqueles profissionais está abaixo da crítica.

    Em seguida, note-se que o destino dessas pessoas será os rincões mais atrasados do país, onde todos os serviços prestados pelo governo, que já são péssimos alhures, praticamente inexistem, em particular a segurança.

    Se forem de fato médicos, depois de militarem por algum tempo naqueles lugares, é perfeitamente compreensível que queiram um upgrade, ou seja, oportunidades em locais melhores, e aí com certeza o regime bolivariano brasileiro lhes facultará esse direito, que equivalerá a equipará-los aos profissionais formados nas faculdades brasileiras.

    Por todos esses motivos a vinda desses(as) senhores(as) deve ser abortada.

    Mas agora vem o mais importante: Esse pessoal pode se constituir em uma ameaça gravíssima à SegurançaNacional. Em outras palavras: nada me convence que eles, pelo menos em sua grande maioria SEJAM REALMENTE MÉDICOS, AINDA QUE APRESENTEM OS MAIS DIFERENTES DIPLOMAS CUBANOS.

    Raciocinem comigo. Qual a melhor maneira de infiltrar guerrilheiros cubanos em nosso território sem combate, sem defesa, e em locais onde a ação do Estado brasileiro é deficiente, ou mesmo ausente? Qual a melhor maneira para doutrinar grupos como o MST, por exemplo, do que infiltrar instrutores de guerrilha em seu meio, disfarçados de médicos? Ainda que não seja provável que o governo bolivariano brasileiro um dia quisesse fazê-lo, como fiscalizar a atuação dessas pessoas e, mesmo que ela se torne francamente indesejável, como destruir uma rede de pelo menos 6.000 (eles se multiplicam) pontos estrategicamente distribuída pelas áreas carentes e/ou remotas do país e já solidamente implantada?

    Por amor ao Brasil eu os concito a agir da maneira que estiver ao alcance de cada um, para fazer abortar essa inciativa do grupo bolivariano que nos governa. Repassem o mais possível, enviem e-mails para os CRM´s e para o CFM, mobilizem os médicos que possam ter em seus círculos de amizade e principalmente na família. Não é necessário (ainda) pegar em armas. No momento nossa arma é a internet e o boca a boca.

    Ainda que meus temores sejam indevidos, não há vantagem nenhuma em aceitar essa horda em nosso país. Não há porque correr esse risco pois até mesmo os possíveis benefícios não são compensadores. Isso me parece ser o maior cavalo de Troia da idade moderna.

    Estou anexando também um artigo que mostra a infiltração de guerrilheiros cubanos no Chile de Salvador Allende. Naquele tempo, a maior parte usou passaportes diplomáticos. Hoje, o governo do Brasil é exatamente o que era o governo Allende. E os cubanos usariam desta vez seus diplomas de péssima qualidade para se instalar.

    Acorda Brasil.

    José Gobbo Ferreira é Coronel Reformado do EB.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *