Início » Brasil » Livro revela a postura imperialista do Brasil na África
Relação Brasil-Moçambique

Livro revela a postura imperialista do Brasil na África

Em ‘Moçambique, o Brasil é Aqui’, Amanda Rossi mostra como o avanço das empresas brasileiras no país desalojou e trouxe pobreza à população local

Livro revela a postura imperialista do Brasil na África
Avanço da Vale e de outras empresas privadas do Brasil prejudicou a população local (Foto: Flickr)

Nos últimos 10 anos, o Brasil redescobriu Moçambique como um país promissor para investimentos, parceiras comerciais e exploração de recursos naturais. Os projetos brasileiros no país saltaram fazendo o Brasil superar Portugal como maior investidor de Moçambique.

A princípio, os moçambicanos enxergaram esse redescobrimento como uma chance única para livrar o país da miséria com a ajuda brasileira. Porém, esse cenário mudou completamente.

Lançado no início deste mês, o livro Moçambique, o Brasil é Aqui, da jornalista Amanda Rossi, revela uma postura altamente imperialista do Brasil no país africano.

Segundo Amanda, os investimentos brasileiros no país acabaram gerando desalojamentos e pobreza. Por conta desse efeito colateral, os moçambicanos deixaram de ver os brasileiros como parceiros e passaram a desconfiar de qualquer um de seus projetos.

Essa mudança ficou clara quando a autora entrevistou fabricantes de tijolos e oleiros desalojados por uma mina de carvão da Vale no interior do país. O receio dos brasileiros também foi visto em produtores de frango e camponeses assustados com o avanço do agronegócio brasileiro em Moçambique.

Para escrever o livro, Amanda se baseou em telegramas secretos do Itamaraty, aos quais teve acesso. Os documentos mostram uma intensa atuação do governo, em especial do ex-presidente Lula, em prol de projetos de empresas privadas do Brasil em Moçambique.

O material mostra o lobby do governo brasileiro para fazer a Vale vencer uma concessão para explorar uma mina de carvão em Moatize, no noroeste de Moçambique.

Decidido a ajudar a mineradora, Lula recebeu o presidente moçambicano em Brasília e enviou ao país o chefe do BNDES para anunciar o perdão da divida moçambicana com o Brasil. Ao mesmo tempo, a embaixadora do Brasil em Maputo, capital e maior cidade de Moçambique, comandou a concessão de uma bolsa de estudos no Brasil para a filha de um membro do governo moçambicano que tinha poder de veto na concessão.

O livro também mostra que há boas iniciativas do Brasil em Moçambique, porém elas esbarram na falta de conhecimento da realidade moçambicana. Exemplo disso é o curso universitário oferecido no país pelo governo brasileiro. Baseado em aulas online, o curso ignora o fato de o acesso à internet ainda ser precário no país.

Fontes:
Folha-Em livro, jornalista narra história do 'imperialismo brasileiro na África

2 Opiniões

  1. Felipe M T disse:

    Escolhi e fui comprar o livro com título MOÇAMBIQUE, O BRASIL É AQUI. Bem, indico essa leitura para você, foi uma jornalista que escreveu e a autora é chamada Amanda Rossi. Editora Record.
    Aborda assuntos sobre das relações do Brasil com Moçambique na África. Conta o livro que o Brasil fez investimentos instaurando a exploração de carvão pela Vale, construção de uma fábrica de medicamentos para os cidadãos de Moçambique, programa criado pelo Brasil chamado PROSAVANA que desenvolveu a agricultura local, isso com o envolvimento da Embrapa. Eles viveram uma grande e demorada guerra civil que tinha um lado da FRELIMO ( que tinha questões comunistas) e do outro a RENAMO com ideais inversos. Fala da enxada curta que é um símbolo do país e está na bandeira de Moçambique. Os chineses exploram recursos naturais e não usam mão de obra local. E os brasileiros abriram até uma universidade para os africanos. Tem muitos assuntos diplomáticos que o Brasil fez, tendo o Roberto Azevedo como presidente da OMC, ele ajudou nas relações, assim como outros( as) embaixadores. O Conselho de Segurança é fator importante. O Lula e seu Instituto Lula foi citado e é dito que foi o presidente que mais visitou a África, 34 vezes. Tem entrevistas com Lula e um autor do jornal e livros africano.
    Fala das questões políticas e diplomáticas com a África, em especial com Moçambique onde o idioma é Português e a moeda é chamada de Metical. Li e é um livro sério, diz sobre os caminhos do Brasil encontrados para fazer parcerias com países africanos. E do perdão da dívida dos africanos. O Brasil com Lula perdoou uma dívida de 315 milhões em 2004 e a Dilma a maior de todas em 2013 uns 900 milhões. Fala das doações do Brasil com alimentos e dinheiro para a África, muitos desviam essas doações.

  2. helo disse:

    É isso aí, Lula prejudica o Brasil e até Moçambique. O importante não é o fora Dilma, mas o fora Lula, o imperialista por excelência.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *