Início » Brasil » Lojistas refutam dados sobre alta de vendas no Natal
ECONOMIA

Lojistas refutam dados sobre alta de vendas no Natal

Associação Brasileira dos Lojistas Satélites pretende contestar na Justiça pesquisa que apontou aumento de 9,5% nas vendas de Natal

Lojistas refutam dados sobre alta de vendas no Natal
Pesquisa da Ablos contradiz dados divulgados pela Alshop (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Divulgada há três dias, a pesquisa da Associação de Lojistas dos Shoppings (Alshop) que apontou um aumento de 9,5% nas vendas de Natal em relação a 2018 – o melhor desempenho desde 2014 – vem sendo contestada por pequenos e médios varejistas.

A Associação Brasileira dos Lojistas Satélites (Ablos) pretende entrar na Justiça para questionar a fonte de dados da Alshop sobre o crescimento das vendas. Isso porque uma pesquisa interna da Ablos apontou que 70% das lojas tiveram neste ano um desempenho igual ou pior que o registrado em 2018 – o que contradiz os números divulgados pela Alshop. Na sondagem da Ablos, apenas 30% dos lojistas afirmaram ter registrado desempenho melhor nas vendas.

“Mas esse pouco é 2% ou 1,5%. Não tem 9% de melhora. Pode ter acontecido pontualmente com alguém, mas falar que o varejo cresceu 9,5% é mentira”, disse o presidente da associação, Tito Bessa Jr., segundo noticiou a Folha de S.Paulo.

Para Bessa Jr., os números divulgados pela Alshop foram plantados. “Para mim, é um dado plantado. É uma mentira. Estamos desconfiados de que foi manipulação com alguma segunda intenção”, disse o empresário.

A desconfiança de Bessa Jr. não é isolada. Outros empresários do setor de varejo também disseram estranhar os números divulgados pela Alshop.

Entre eles está Fernando Kherlakian, diretor da rede Khlef. “A gente teve uma queda de 2% e eles estão falando que o mercado em geral cresceu 9%. Não é real isso”, disse o empresário.

A rede SideWalk também pretende contestar na Justiça os dados da Alshop. “No dia 2 vou enviar notificação extrajudicial, particular da SideWalk, pedindo explicações sobre esses números. Eu quero saber de onde veio esse número totalmente irreal”, disse o diretor da rede, Tinho Azambuja.

“Não sei de onde eles tiraram esse número, tenho conversado com vários lojistas e os mesmos disseram que tiveram queda”, disse Ângelo Campos, diretor da MOB.

As boas vendas registradas durante a Black Friday, em novembro, geraram em empresários do setor a expectativa de repetir o bom desempenho nas vendas de Natal. Porém, os números resultaram em desilusão. “Foi uma luta danada, fizemos promoção. Eu não sei de onde saiu esse número da Alshop”, disse Azambuja.

Dados econômicos geram discordância

O imbróglio envolvendo a pesquisa da Alshop vem na esteira de outra pesquisa, esta divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontou uma queda no desemprego de 11,6%, entre agosto e outubro, para 11,2%, entre setembro e novembro, o menor para o período desde 2016.

A pesquisa foi apontada como um reflexo da melhora da economia, fruto das medidas tomadas pela equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes. Porém, críticos argumentam que os números foram impulsionados pela alta expectativa de lojistas para as festas de fim de ano, somada a um salto na informalidade.

Ademais, os dados econômicos do Brasil não geram discordância apenas no país. No início deste mês, o jornal britânico Financial Times – referência entre liberais e economistas do mundo todo – colocou em xeque os números divulgados pelo governo brasileiro.

Um artigo publicado pelo jornal, intitulado “Falha nos dados econômicos brasileiros desperta preocupações entre analistas, levantou suspeita de maquiagem ou incompetência por parte da equipe econômica do Brasil.

O artigo aponta que tal fato coloca, pela primeira vez, a transparência do Brasil em xeque, “deixando analistas se perguntando se ainda devem confiar na segurança das estatísticas brasileiras”.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Carlos disse:

    Vou ser bem sincero, conversei com várias pessoas do comercio e me disseram que venderam menos que o ano passado, que foi muito ruim o Natal esse ano, e que não acreditavam nessa pesquisa, pois bem está explicado mais uma mentira desse governo ( Hahahaaaaa ), sinceramente tem que sorrir pra não chorar desses caras que estão no poder, além de incompetentes também são mentirosos, me desculpem a expressão mas estamos todos fodidos com esses caras.

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    O problema se ver logo que até uma pesquisa feita com sinceridade vira política. Vejam o caso do rapaz abaixo Carlos. Pesquisa não tem nada a ver com política. Deixa os homens trabalhar, quem és tu para dá pitaco, acredito que até desempregado és.Meu Deus deem compreensão aos brasileiros e deixe de tudo meter política no meio. Agora a vida é outra com homens probos e de capacidades, vamos esperar os resultados no futuro.

  3. Rogerio Faria disse:

    Possivelmente pesquisa paga pelo “véio” da Havan…

  4. VINNY VIEITES disse:

    SIM OS COLORIDINHOS DE CIMA PARA BAIXO E DE BAIXO PARA CIMA, QUE ESPERAVAM ENTREGAR OS KITS DA GUERRA SEMÂNTICA, particular da SideWalk, PERDERAM, ISSO IMPACTO ENORME ECONÔMICO… ACHARAM DENTRO DO VAREJO NEWS COLLECTION BRASILEIRO, SE QUEBRARAM – BUSINESS ADDRESS, r$45,90 A MENOS EM 365 DIAS + CORONAVIRUS, SÓ QUEBRANDO PASSANDO POR MAIS CRISE, PARA ACERTAR O PASSO:
    STREET 1: 300 RENAISSANCE CENTER
    CITY: DETROIT
    STATE: MI
    ZIP: 48265-3000
    BUSINESS PHONE: 313.556.5000

    MAIL ADDRESS CNN: regencytradeservice

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *