Início » Brasil » Lorenzoni compara risco de armas a acidentes com liquidificador
RISCO PARA CRIANÇAS

Lorenzoni compara risco de armas a acidentes com liquidificador

‘Então, nós vamos proibir os liquidificadores?’, questionou o ministro da Casa Civil, fazendo um paralelo entre o risco de acidentes com armas e o aparelho doméstico

Lorenzoni compara risco de armas a acidentes com liquidificador
PF precisará acreditar que as pessoas terão cofres em casa (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, comparou o risco, para uma criança, de se ter uma arma de fogo em casa ao de se machucar em um liquidificador. A comparação foi feita na última terça-feira, 15, após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinar o decreto que flexibiliza a posse de arma.

“A gente vê criança pequena botar o dedo dentro do liquidificador e ligar o liquidificador e perder o dedinho. Então, nós vamos proibir os liquidificadores? Não. É uma questão de educação, é uma questão de orientação. No caso da arma, é a mesma coisa. Então, a gente colocou isso [a exigência de cofre] para mais uma vez alertar e proteger as crianças e os adolescentes”, apontou o ministro Onyx Lorenzoni.

O ministro afirmou ainda que criou quatro filhos tendo armas dentro de casa. Sobre a exigência do cofre para residências, Lorenzoni admitiu que a Polícia Federal será “obrigada” a acreditar na declaração das pessoas, pois não é possível “ir na casa de todo mundo” para realizar a fiscalização.

“Ele [cidadão] diz que tem cofre em casa. Aí um dia tem assalto, a polícia vai lá e não tem cofre coisa nenhuma, não tem gaveta com chave. Nesses dois casos, dá o poder de tirar a arma e o certificado”, afirmou, segundo noticiou o portal G1.

Lorenzoni revelou ainda que o governo já analisa a modificação de regras para o porte de armas na área rural. A flexibilização deve ser feita pelo Congresso Nacional. O ministro não citou projetos específicos, mas lembrou, entre exemplos, uma proposta do deputado Afonso Hamm (PP-RS), que permite que proprietário ou trabalhador rural maior de 21 anos tenha direito ao porte.

“A gente sabe que o sujeito sai para o campo, às vezes a propriedade tem quatro, cinco, seis, sete, oito, dez hectares, quilômetros de distância da sede. E aí a pessoa tem que se deslocar. Precisa ter uma arma. Se aparecer uma cobra na tua frente, ou aqui no Centro-Oeste uma onça, aí como é que tu faz [sic]? Ou um bandido mesmo?”, explanou Lorenzoni.

Também na última terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para prometer continuar analisando a situação das armas após o Fórum Econômico Mundial, que acontece entre os dias 22 e 25 de janeiro em Davos, na Suíça.

“Após voltarmos de Davos, continuaremos conversando com os ministros, para que juntos, evoluamos nos anseios dos CACs, porte, monopólio e variações sobre o assunto, além de modificações pertinentes ao Congresso, como redução da idade mínima! O trabalho não pode parar”, escreveu.

Fontes:
G1-Arma em casa é risco para criança tanto quanto liquidificador, compara Onyx
O Globo-Onyx equipara arma a liquidificador ao falar de risco para crianças

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *