Início » Brasil » Lula está sob custódia da Polícia Federal
PRISÃO DE LULA

Lula está sob custódia da Polícia Federal

Ex-presidente deixou a pé a sede do Sindicato dos Metalúrgicos, no ABC Paulista. Ele foi levado para a sede da PF em São Paulo e de lá seguirá para o aeroporto de Congonhas

Lula está sob custódia da Polícia Federal
O ex-presidente deixou a sede do sindicato a pé por conta de um bloqueio feito por apoiadores (Foto: Stringer/Reuters)

O ex-presidente Lula deixou o prédio do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo, no ABC paulista, e  se encontra sob custódia da Polícia Federal (PF). A saída se deu por volta das 18h40 deste sábado, 7.

Lula deixou o prédio do sindicato a pé e se dirigiu a uma rua próxima ao local, onde o aguardava um comboio de carros da PF destacados para levá-lo. Ele entrou em um dos carros e neste momento se encontra sobre custódia da PF. Lula foi levado para a sede da Polícia Federal em São Paulo. De lá, ele deve seguir para o aeroporto de Congonhas de onde irá embarcar para Curitiba.

O ex-presidente deixou o local a pé por conta de um bloqueio feito por manifestantes aos portões do prédio do sindicato. Mais cedo, por volta das 17h, Lula entrou em um carro prata para deixar o local. Porém, imediatamente, um grupo de manifestantes bloqueou os portões impedindo a saída do ex-presidente. Após tentativas de convencer os manifestantes a desbloquear a saída, Lula acabou saindo do carro e retornando ao prédio do sindicato.

Líderes do Partido dos Trabalhadores, como a senadora Gleisi Hoffmann, retornaram ao palanque montado no local, onde pela manhã Lula fez um discurso de agradecimento aos apoiadores pouco após uma missa em homenagem à ex-primeira-dama Dona Marisa Letícia, que faria aniversário neste sábado.

Os líderes do partido tentaram convencer os manifestantes a desbloquear as saídas, alertando que este era o acordo firmado com a PF e que a corporação havia dado um prazo de meia hora para que Lula deixasse o local. No entanto, a negociação não surtiu efeito e Lula decidiu deixar o prédio a pé, passando em meio aos manifestantes até o local onde o comboio da PF aguardava.

Lula teve a prisão decretada na noite da última quinta-feira, 5, pelo juiz federal Sérgio Moro, que deu ao ex-presidente um prazo até as 17h da última sexta-feira, 6, para se entregar à PF. Porém, Lula não cumpriu o prazo e seguiu para a sede do sindicato, onde recebeu a visita de aliados e apoiadores. Após um acordo com a PF, ele se comprometeu a se entregar neste sábado.

Lula foi condenado a 12 anos e um mês por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso Triplex. Ele é acusado de receber um triplex no litoral do Guarujá como propina da construtora OAS, que teria feito reformas no imóvel no valor de R$ 2,4 milhões. Condenado em primeira instância por Moro a nove anos e seis meses, o ex-presidente teve a pena aumentada para 12 anos e um mês em julgamento em segunda instância pelo TRF-4.

A defesa de Lula afirma que a confusão em torno da propriedade do apartamento surgiu porque a ex-primeira-dama Marisa Letícia, em 2005, comprou uma cota do empreendimento, que até então era da Bancoop. Com isso, a cooperativa reservou uma unidade de 82,5 metros quadrados para Marisa.

Quando a OAS assumiu as obras, Marisa teria parado de pagar as prestações e desistido do imóvel. A empreiteira, por sua vez, teria oferecido a Marisa que, ao invés de receber os valores de volta, mantivesse o investimento e adquirisse o triplex. Depois de visitar o local, a família teria decidido não fechar negócio, segundo a defesa.

Leia mais: Defesa de Lula recorre à ONU contra prisão
Leia mais: Moro decreta prisão de Lula

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *