Início » Brasil » Lula terá de se explicar sobre BNDES
Coluna Esplanada

Lula terá de se explicar sobre BNDES

Diante da iminência da inevitável convocação do Barba, como é chamado o petista entre gabinetes, deputados vão cercá-lo devagar

Lula terá de se explicar sobre BNDES
CPI do BNDES tem dez requerimentos de convocação de Lula para avaliar (Fonte: Reprodução/Ricardo Stuckert/ Instituto Lula)

A CPI do BNDES tem dez requerimentos de convocação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e um para seu primogênito, Fábio Luiz, para avaliar. Há também pedido para quebra de sigilo fiscal. A pressão suprapartidária de deputados é grande e o PT perdeu poder na Comissão. Diante da iminência da inevitável convocação do Barba, como é chamado o petista entre gabinetes, deputados vão cercá-lo devagar. Serão aprovados requerimentos de informações sobre a atuação do presidente no cargo, e fora dele, a favor de empreiteiras — muitas enroladas com a Lava Jato.

Cautela

O presidente da CPI, deputado Marcos Rotta (PMDB-AM), acredita que aprovar convocação de Lula poderia piorar a crise com o Planalto.

Leiloado

O PMDB do Ceará perdeu um de seus quadros mais fortes eleitoralmente. O deputado Danilo Forte está a caminho do PSB. Mas estuda convites de outros dois partidos.

Oi, voltei

José Sarney vai fazer a primeira aparição do ano no Amapá, onde se elegeu senador. Será dia 11, e terá reunião fechada com bispo Dom Pedro Conte.

Dez anos depois

O chanceler Mauro Vieira confirmou para autoridades do Amapá que o Governo federal enfim vai inaugurar a ponte Oiapóque-São Jorge (Guiana), pronta há dez anos mas fechada do lado brasileiro por falta de, acredite, guaritas. Agora a União já tem servidores da Anvisa, Receita e Polícia Federal para a alfândega do lado de cá.

Mico

A situação da ponte — aberta há cinco anos do lado da Guiana Francesa — chegou a causar mico. Dois anos atrás, o presidente francês, François Hollande, em visita ao país vizinho, avisou que queria inaugurar, mas a presidente Dilma não apareceu.

Burocracia sem inovação

A morosidade, irmã da burocracia, cresce bonita no País. O Governo fala sobre investir em inovação e tecnologia, mas falta gente no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), que cuida das patentes. Registros têm demorado até 30 meses.

Lá em cima

Nos Estados Unidos, vanguarda do setor, um registro de marca ou patente não passa de um mês.

Colchão do Poder

De um senador que circula desde a fundação de Brasília, sobre a presidente Dilma: ‘Ninguém sonha com transformação dormindo no colchão do Palácio’.

UTI

As direções das Santas Casas de Misericórdia se reúnem com o presidente do Senado hoje para a sessão chororô. Estão todas deficitárias, algumas falidas. A de SP alega que atende 56,6% dos socorridos pelo SUS na capital.

Diário do faroeste

A Força Nacional de Segurança já tem 40 soldados na região de Antonio João (MS), onde fazendas foram invadidas por indígenas e os dois lados pegaram em armas. Os nativos franqueiam acesso apenas a jornalistas nas propriedades.

Perigo na pista

Mais um capítulo do desmonte da Infraero. Ofício nº 11956/15 da Superintendência de Segurança enviada à direção, de posse da Coluna, informa que serão cancelados, por falta de orçamento, os treinamentos do Corpo de Voluntários de Emergência (CVE).

A conferir

Os atuais 800 voluntários — servidores da estatal — são responsáveis por socorro e auxílio em eventuais emergências nas pistas ou terminais. A Infraero informa que os 60 aeroportos não correm risco de segurança e que há profissionais treinados pelos Exercícios Simulados de Emergência de Aeródromo.

Ela vai

A presidente Dilma ouviu a sugestão de sexteto de senadores que a visitou dia 13 de agosto e decidiu ir a uma sessão do Congresso abrir diálogo pessoalmente. Falta marcar.

Indicativos

Aliás, esse sexteto alertou à presidente que o ajuste fiscal deveria ser mais lento, ‘sem sacrificar os setores mais pobres e produtivos’, e com indicativos de investimentos.

Ponto Final

‘A família é pobre e a empresa é rica. Temos um histórico de baixa
distribuição de dividendos’.
Marcelo Odebrecht, presidente da holding de mais de 500 empresas (segundo ele próprio), para quem quiser acreditar.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

3 Opiniões

  1. Markut disse:

    Embora estejamos no olho do furacão, a necessidade de olhar horizontes mais amplos, talvez nos leve a tornar cada vez mais visível, o drama da perda da confiança na capacidade do sistema gestor .

    A burocracia histórica, o bacharelismo cultural herdado, a gigantesca corrupção sobre forma endêmica ,,o descaso quanto à infraestrutura física e moral deste país, a impunidade e uma das piores escolaridades do mundo começam a se tornar mais visíveis.

    Nesse sentido, as danosas consequências na vida cidadã, talvez sirvam de estímulo para tornar a pressão da opinião pública mais incisiva, fruto da necessidade de ativar o instinto de sobrevivência, amortecido pelos contínuos engodos com que a massa é mantida anestesiada e desinformada, nessa sequência de nefastos populismos.

    Temos, como fator novo e incipiente ainda, o poder da comunicação instantânea das redes sociais.

  2. ney disse:

    Sábio é aquele que não tocar o Lula.

  3. Roswyta Ribeiro disse:

    ……………. pois é, vivemos realmente em diversos brasis, o passado, o presente e o futuro. Remover e deixar a herança no mesmo solo??!!!! Ninguém mais aguenta ouvir ficção, poupe-nos !!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *