Início » Brasil » Maia anula moção de repúdio contra Alberto Fernández
CÂMARA DOS DEPUTADOS

Maia anula moção de repúdio contra Alberto Fernández

Moção foi movida pelo deputado Orleans e Bragança e aprovada por maioria simbólica na Comissão de Relações Exteriores, presidida por Eduardo Bolsonaro

Maia anula moção de repúdio contra Alberto Fernández
Maia considerou também as possíveis ‘consequências diplomáticas’ (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anulou uma moção de repúdio ao presidente eleito na Argentina, Alberto Fernández. A moção está sendo movida pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (Creden), presidida pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

A moção em questão é movida através do Requerimento 139/2019, de autoria do deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP). Segundo a ação, Alberto Fernández desrespeitou as “decisões das instituições judiciais do Estado brasileiro” e praticou “ativismo político em questões internas do Brasil”.

Em diferentes oportunidades, Alberto Fernández se posicionou a favor da soltura do ex-presidente Lula, concretizada na última sexta-feira, 8, por considerá-lo um preso político. Em julho, o então presidenciável argentino chegou a ir em Curitiba para visitar Lula na prisão.

Nas redes sociais, Fernández também conta com diferentes postagens favoráveis a Lula. No último dia 27 de outubro, data da eleição na Argentina, Fernández postou uma imagem, com diferentes apoiadores, parabenizando Lula pelo seu aniversário e fazendo um sinal de “L” com as mãos, que ganhou conotação de “Lula Livre” com o passar dos meses nos quais o ex-presidente esteve preso.

Na moção, Orleans e Bragança destacou a escolha do povo argentino por Fernández, admitindo que é “preocupante do ponto de vista das relações bilaterais entre Brasil e Argentina”, mas é legítima.

“O que atinge nosso país diretamente é a menção explícita do senhor Fernández a ex-presidente brasileiro como preso político, questionando a Justiça brasileira sobre sua decisão imparcial. Questionar a lisura do sistema judiciário brasileiro e as instituições democráticas de nosso país é, no mínimo, afrontoso. Assim como é afrontoso ao povo brasileiro que ainda se recupera dos graves danos causados por esses maus governantes, mostrando desrespeito a nosso país e às nossas instituições”, destaca o deputado federal no Requerimento.

Após ser aprovado na Creden – com votos contrários dos deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP), Henrique Fontana (PT-RS) e Perpétua Almeida (PCdoB-AC) -, o Requerimento seguiu para o plenário da Câmara. Rodrigo Maia, porém, considerou que a Comissão não obedeceu o regimento interno e retornou a moção para ser novamente votada. A decisão de Maia data da última sexta-feira.

O regimento interno da Câmara prevê que as moções precisam ser aprovadas por maioria absoluta e não simbólica, como foi o caso do Requerimento impetrado por Orleans e Bragança. Devido a isso, Maia retornou a moção à Creden, que tem previsão de voltar a analisar o Requerimento nesta terça-feira, 12.

“Não seria razoável adotar regramento diverso para manifestações de repúdio, as quais, em regra, acarretam consequências diplomáticas mais gravosas à imagem institucional e nacional”, afirmou Maia, segundo noticiou o jornal Globo.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Rafael de Barros Faria disse:

    Brasil se isolando cada vez mais da AL.

  2. Dinarte da Costa Passos disse:

    Tinha que ser um Jumento para tentar criar embaraço nas relações diplomáticas com nossos vizinho. Eu tenho falado esta geração de políticos do Século XXI é uma escória da sociedade brasileira. Gente odiosa que só prega o ódio e a confusão. Desde que este malfadado governo se instalou é só problema com os vizinhos e com as relações internacionais.

    Primeiro foi a intervenção nos assuntos internos da Venezuela, segundo confronto diplomáticos com os países civilizados da União Europeia. Agora querem criar confronto com a Argentina a todo custo.

    Na hora que chover de gringos contra o Brasil e seus exércitos começar a atravessar as fronteiras, não venham me convocar para esta guerra. Estou disposto a defender o Brasil, mas não esta corja de odiosos que tomaram o poder de assalto. Essa gente é uma vergonha nacional, ainda se dizem patriotas. Ora! Ser patriotas e defender o Brasil, não arrumar confusão para o povo brasileiro.

    Aprendam a viver com nossa vizinhança que buscou uma Paz duradoura para fazer da América Latina a maior potência mundial. Não deem ouvido a Voz dos fascistas belicosos e odiosos que querem ver sangue vertendo na sua frente. Lutei tanto na década de 1980 para a construção do Brasil, mas confesso que estou decepcionado com esta geração do Século XXI. É só ódio no coração, nada de razão… Parem com isso… aprendam a conviver em paz consigo mesmo e com nossos vizinhos.

  3. GERALDO S ROMANO disse:

    É muito fácil destruir um país em 16 anos,com governos corruptos que não respeitaram o povo brasileiro, gerando o maior DESEMPREGO, com mais de 14 milhões de famílias vivendo de favores, migalhas,pois queriam e querem fazer do Brasil uma nova e desgraçada Venezuela. Pior, querem destruir a família e os cristãos. Quem é contra este governo, vá para Cuba, Irã,Venezuela,etc. Lá que é lugar de comunista, onde 70% das pessoas passam FOME.TEM DÓ!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *