Início » Brasil » Mais 270 venezuelanos serão transferidos de Roraima
PROCESSO DE INTERIORIZAÇÃO

Mais 270 venezuelanos serão transferidos de Roraima

Com essa nova etapa do processo de interiorização, o número de venezuelanos transferidos para outros estados passará de mil

Mais 270 venezuelanos serão transferidos de Roraima
Antes de irem para outras cidades, todos são vacinados, examinados e regularizados (Foto: Romério Cunha/Casa Civil)

Os venezuelanos em Boa Vista (RR) passarão por um novo processo de interiorização ao longo desta semana. Nesta terça-feira, 28, 189 migrantes estão sendo transferidos para três outras cidades brasileiras. Na próxima quinta-feira, 30, será a vez de outros 89 venezuelanos deixarem Roraima a caminho de abrigos em outros estados.

Com essa nova etapa do processo de interiorização – como é chamada a medida de transferência voluntária de venezuelanos para outras cidades brasileiras -, o número de venezuelanos transferidos de Roraima passará de mil. O processo visa auxiliar os imigrantes em situação de vulnerabilidade e desafogar os serviços públicos de Roraima.

Nesta terça-feira, os imigrantes estão sendo levados para Manaus (AM) – onde chegaram por volta das 10h30 -, João Pessoa (PB) e São Paulo (SP). Já na próxima quinta-feira, os venezuelanos irão para Goioerê (PR), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF). Os venezuelanos são transferidos em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Antes de irem para outras cidades, todos são vacinados, examinados e regularizados, recebendo o Cadastro de Pessoa Física (CPF) e a Carteira de Trabalho.

Para serem transferidos, é necessário haver vagas em abrigos de outras cidades e que os municípios aceitem receber os venezuelanos. Mesmo assim, segundo um comunicado da Organização das Nações Unidas (ONU), a expectativa é que o processo seja fortalecido em setembro, com a transferência de aproximadamente 400 imigrantes por semana.

Ao realizar o processo de interiorização, o governo federal recebe o apoio da Agência da ONU para Refugiados (Acnur), que identifica os interessados e garante que eles estejam documentados; da Organização Internacional para as Migrações (OIM), que atua na orientação e informação prévia ao embarque; do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que promove diálogos com mulheres e a população LGBT; e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), que trabalha na conscientização da iniciativa privada.

Na última segunda-feira, 27, o governo federal já havia anunciado que 646 venezuelanos serão transferidos para cidades do Rio Grande do Sul em breve, mas as datas não foram divulgadas. De abril a julho, 820 pessoas passaram pelo processo de interiorização, indo para as cidades de São Paulo, Cuiabá (MT), Manaus, Rio de Janeiro, Igarassu (PE), Brasília e Conde (PB).

Segundo o site da Casa Civil, as ações para acolher os venezuelanos tiveram inicio há dois anos, em agosto de 2016, quando foram incorporados R$ 9,6 milhões ao setor de Saúde de Boa Vista. Por mais de um ano, equipes técnicas visitaram Roraima em diferentes oportunidades para definir a melhor estratégia e verificar a situação. Em março e maio deste ano, o estado de Roraima recebeu novas liberações de créditos para fortalecer os serviços públicos.

Medidas de apoio

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou, nesta terça-feira, que está disponível na plataforma digital de ensino a distância Escola do Trabalhador um curso de português voltado para hispanofalantes. Segundo o comunicado, a criação do curso surgiu pela demanda do Subcomitê Federal para Interiorização dos Imigrantes.

“O curso tem como finalidade a inserção de hispanofalantes no contexto do cotidiano brasileiro, abordando temas como cultura, gramática, vocabulário e comunicação. O ensino parte de uma proposta inovadora, aplicando conteúdos contextualizados, metodologias interativas e gamificação, que consiste na utilização de recursos de jogos em outros contextos, como na educação”, explica o MTE, lembrando que o curso é gratuito e não tem pré-requisitos.

Ao todo, a Escola do Trabalhador já conta com 24 cursos voltados para a população em geral. Cada um tem uma duração média de 40 horas. Ao final do curso, um documento de comprovação de finalização é emitido pela Universidade de Brasília (UnB).

 

Leia mais: ONU pede maior apoio a refugiados venezuelanos
Leia mais: Venezuelanos passam por novo processo de interiorização

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Aureo Ramos de Souza disse:

    Nada contra los Ermanos Venezuelanos, agora o Brasil tem 13.000 de desempregados onde irão trabalhar 2.700 Venezuelanos? e eles irão trabalhar onde na casa dos 13.00 brasileiros desempregados!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *