Início » Brasil » Mais de 170 venezuelanos são transferidos para o Rio Grande do Sul
INTERIORIZAÇÃO

Mais de 170 venezuelanos são transferidos para o Rio Grande do Sul

Venezuelanos estão passando pelo processo de interiorização do governo federal, que visa desafogar o estado de Roraima e dar mais oportunidades para os migrantes em outras cidades

Mais de 170 venezuelanos são transferidos para o Rio Grande do Sul
Mais de 1,9 mil venezuelanos foram transferidos para outras cidades (Foto: Romério Cunha/ Casa Civil)

Pelo menos 176 venezuelanos devem passar pelo processo de interiorização, promovido pelo governo federal, nesta quinta-feira, 13. Os migrantes deixarão a cidade de Boa vista (RR) e chegam ao Rio Grande do Sul, às cidades de Canoas e Esteio, no fim da tarde. Ao todo, 1,9 mil venezuelanos que entraram no Brasil por Roraima, fugindo da grave crise na Venezuela, já foram redirecionados para outros estados.

Na última quarta-feira, 12, cerca de 200 migrantes já haviam passado pelo processo, deixando a capital de Roraima com destino a Canoas. Anteriormente, o governo federal já havia informado que o Rio Grande do Sul deveria receber 646 migrantes nos próximos processos.

Agora, no novo processo, os venezuelanos viajam em um Boeing 767 da Força Aérea Brasileira (FAB). A previsão era que chegariam ao aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), às 14h40. Depois, 87 migrantes serão levados para Canoas e 89 para Esteio.

Além do Rio Grande do Sul, outros estados também estão recebendo venezuelanos desde abril, quando o processo de interiorização – como é chamada a medida de transferência voluntária de venezuelanos para outras cidades brasileiras – começou.

Para serem transferidos, é necessário haver vagas em abrigos de outras cidades e que os municípios aceitem receber os venezuelanos. Em agosto, a Organização das Nações Unidas (ONU) já havia adiantado que a expectativa é que o processo fosse acelerado em setembro, com a transferência de aproximadamente 400 imigrantes venezuelanos por semana. Na semana passada, nos dias 4 e 5, 408 venezuelanos foram enviados para Manaus (AM), Cuiabá (MT), São Paulo (SP), Esteio e Brasília (DF).

Antes de serem transferidos para outras cidades, todos os venezuelanos são vacinados, examinados e regularizados, recebendo o Cadastro de Pessoa Física (CPF) e a Carteira de Trabalho.

Ao realizar o processo de interiorização, o governo federal recebe o apoio da Agência da ONU para Refugiados (Acnur), que identifica os interessados e garante que eles estejam documentados; da Organização Internacional para as Migrações (OIM), que atua na orientação e informação prévias ao embarque; do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que promove diálogos com mulheres e a população LGBT; e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), que trabalha na conscientização da iniciativa privada.

 

Leia também: Maduro convida venezuelanos a voltarem para o país
Leia também: ONU pede maior apoio a refugiados venezuelanos
Leia também: Venezuelanos enviados para São Paulo encontram emprego

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. carlos alberto martins disse:

    sugiro que os 13 milhões de desempregados brasileiros que passem a fronteira em direção a Venezuela.pelo tratado assinado pelo governo venezuelano,eles tem obrigação a fornecer casa,comida,emprego,saúde e segurança aos que lá forem.boa viagem a todos,e,muitas felicidades.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *