Início » Brasil » Manaus movimenta cerca de US$1,5 bilhão em tráfico de drogas anualmente
Tráfico de drogas

Manaus movimenta cerca de US$1,5 bilhão em tráfico de drogas anualmente

Capital amazonense se tornou um dos principais centros do tráfico de cocaína da região

Manaus movimenta cerca de US$1,5 bilhão em tráfico de drogas anualmente
Brasil é considerado o segundo maior consumidor de cocaína do mundo (Reprodução/Internet)

Com o Brasil emergendo como o segundo maior consumidor de cocaína do mundo atrás dos Estados Unidos, o Amazonas ganha importância no domínio do contrabando. O quilo da cocaína pura é adquirido dos produtores por US$ 1 mil e revendida por US$ 5 mil, em Manaus. Segundo dados da Polícia Federal, o comércio de drogas ilícitas resulta em uma evasão de divisas na faixa de US$ 300 milhões anuais. Segundo dados divulgados pelo portal Uol, o tráfico de drogas movimenta cerca de US$ 1,5 bilhão anualmente em Manaus, uma economia subterrânea gerada pelo narcotráfico. Os dados foram apresentados pelo delegado Mauro Spósito durante I Simpósio e Segurança Pública na Fronteira do Amazonas.

O crescimento das cidades de florestas tropicais no Brasil sustenta o “boom” do mercado brasileiro de cocaína e de outras substâncias como oxy, uma barata mistura de pasta de cocaína com gasolina e querosene. O resultado disso é visto na violência que acomete a população amazonense. Segundo dados publicados nesta quarta-feira, 10, no New York Times, para alguns moradores, Manaus cresceu quase que irreconhecivelmente desde a expansão industrial em 1970, durante o regime militar. Na época, muitos dos antigos prédios da cidade foram destruídos e migrantes vieram para a cidade à procura de empregos em fábricas.

“Partes de Manaus agora se assemelham a uma zona de conflito”, disse George Gomes, um alto funcionário antinarcóticos de Manaus entrevistado pelo New York Times. “Para cada traficante capturado, outro toma o seu lugar. Nossos adversários têm demonstrado uma impressionante capacidade de evoluir e prosperar”.

Uma característica marcante do comércio de drogas, em Manaus e em outras cidades do Amazonas, é o tamanho do território brasileiro que é três vezes maior que a Califórnia, por exemplo, o que facilita a difusão das gangues. Elas, geralmente, controlam o tráfico de cocaína de dentro das prisões, o que demonstra uma sofisticada estrutura de crime organizado com raízes em cidades maiores como São Paulo e Rio de Janeiro. Em Manaus, a gangue Família do Norte é uma das que exerce grande influência nas favelas da cidade, mesmo seus líderes estando presos. A guangue ainda exerce influência em uma teia organizada de operações dentro e fora das penitenciárias por conta do descuido na supervisão das cadeias, de acordo com os funcionários de segurança.

Enquanto a violência gerada pelo mercado das drogas aflinge Manaus e outras cidades, o Brasil opta por evitar grandes estratégias de intervenções como as que existem nos Estados Unidos e em países vizinhos que produzem cocaína. Ainda assim, a Polícia Federal, agência que luta contra o tráfico de drogas, instalou recentemente pelo menos 19 postos de fronteira para reforçar a operação antidrogas.

Fontes:
The New York Times- Drug Trade Transforms an Amazon Outpost
Acrítica Uol- Tráfico de drogas movimenta US$ 1,5 bilhão anualmente em negócios somente em Manaus

2 Opiniões

  1. Roberto Santhiago disse:

    No final do seu comentário, o sr. Ludwig Von Drake diz: “…os agentes se limitam a dizer que: “são ordens”.”. Será que tais “ordens” são para garantir que as “exportações” do “cumpanhêro” boliviano não sofram reduções de lucro, e assim ele não tenha mais interesse em ficar com mais uma instalação industrial brasileira, lá no seu país, como ficou, inpunemente, com uma refinaria da combalida Petrobras?

  2. Ludwig Von Drake disse:

    Só um exemplo: o posto da PRF na BR 174, em Manaus, faz revista rigorosa nos ônibus e seus passageiros que entram na cidade, mas deixa camionetes carregadas passarem livremente, com a caçamba coberta. Interpelados os agentes se limitam a dizer que: “são ordens”. Eu vi.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *