Início » Brasil » Manchas de óleo continuam se espalhando pelo Nordeste
MEIO AMBIENTE

Manchas de óleo continuam se espalhando pelo Nordeste

Petrobras revelou que mais de 200 toneladas de resíduos já foram recolhidas. Ao todo, 187 áreas foram afetadas em todo o Nordeste

Manchas de óleo continuam se espalhando pelo Nordeste
Ao todo, 17 animais já morreram por causa do óleo (Foto: Marcos Rodrigues/Governo de Sergipe)

As misteriosas manchas de óleo continuam a se espalhar pelas praias do Nordeste brasileiro. Na última quinta-feira, 17, a Praias dos Carneiros e da Boca, em Tamandaré (PE), também foram atingidas.

As primeiras manchas de óleo apareceram no litoral do Nordeste no início do mês de setembro. Todos os estados da região foram afetados. Em um primeiro momento, a Bahia não tinha sido atingida, mas o óleo chegou ao litoral baiano dias depois. Ao todo, 187 áreas foram afetadas.

Ainda não se tem certeza sobre a procedência do óleo. Embalagens da Shell Brasil foram encontradas, mas a empresa disse que o material foi reutilizado por terceiros, se isentando da culpa pelo vazamento.

De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), análises do material mostraram que o trata-se de petróleo cru. A Petrobras confirmou que o óleo não é produzido no Brasil. A investigação da origem das manchas está sendo feita pela Marinha. Já a investigação criminal está sendo conduzida pela Polícia Federal.

“O Ibama realiza a avaliação do impacto ambiental e dá direcionamento de ações de resposta à fauna, bem como orienta sobre a destinação de resíduos e sobre a remoção do óleo, definindo prazos das ações de limpeza e quais os ambientes devem ser priorizados. O Instituto requisitou apoio da Petrobras para atuar na limpeza de praias”, afirmou o Instituto através de uma nota.

Até o momento, 29 animais, sendo três aves e 26 tartarugas marinhas foram atingidas pelo óleo. Destes, duas aves e 15 tartarugas morreram. Ademais, 486 tartarugas foram capturadas preventivamente, segundo os dados do Ibama.

Como um trabalho de prevenção, o estado de Pernambuco está adotando o trabalho de monitoramento feito por helicópteros e embarcações ao longo do litoral. Isso porque o estado é reincidente no aparecimento das manchas de óleo.

Através de um comunicado, a Petrobras revelou que, desde o último dia 12 de setembro, quando os trabalhos para o recolhimento de óleo foi iniciado em todo o Nordeste, já foram recolhidos mais de 200 toneladas de resíduos. Ademais, aproximadamente 1,7 mil agentes ambientais trabalham na limpeza das áreas.

“Nossa atuação na limpeza das praias é feita por solicitação e coordenação do Ibama, órgão responsável pela estratégia de contenção do óleo. Desta forma, estabeleceu-se uma rotina de comando coordenado, em que as decisões estratégicas de resposta são tomadas pelo Ibama, com nosso apoio técnico. A partir destas decisões, mobilizamos e implementamos no campo as atividades de limpeza nos locais prioritários indicados, bem como a destinação final do material recolhido”, afirmou a Petrobras.

Leia mais: Manchas de óleo do Nordeste podem ser petróleo da Venezuela, aponta relatório
Leia mais: Derramamento de óleo atinge oito estados do Nordeste

Fontes:
G1-Manchas de óleo avançam e atingem Praia dos Carneiros, em Tamandaré

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Rogerio de Oliveira Faria disse:

    Como custa caro manter estas forças armadas que de nada servem.
    Exército que não controla as fronteiras, amazônia em chamas.
    Marinha que deixa emporcalhar o nosso mar territorial.
    Aeronáutica, onde os aeroportos estão sem segurança. A criminalidade faz o que quer.
    Generais, almirantes e brigadeiros só estão servindo para sangrar os cofres públicos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *