Início » Brasil » Mantega diz que não haverá mudança radical na política econômica
Ajustes na economia

Mantega diz que não haverá mudança radical na política econômica

Ministro diz que o governo seguirá no ‘caminho do desenvolvimentismo’, mas abrirá espaço para uma política monetária mais flexível

Mantega diz que não haverá mudança radical na política econômica
O ministro, porém, não revelou quais medidas serão implantadas (Reprodução/Internet)

Prestes a ser substituído na reforma ministerial da presidente Dilma Rousseff, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o governo não pretende mudar sua política econômica.

Leia mais: ‘Economist’ aposta em Nelson Barbosa para o Ministério da Fazenda
Leia mais: Mantega rebate críticas de Marta Suplicy à política econômica
Leia mais: Governo estuda reduzir benefícios para conter gastos, diz Mantega

No último domingo, 16, em Brisbane, onde participou da cúpula do G20, o ministro reafirmou que o governo vai implantar medidas de ajuste ainda este ano, mas disse que não haverá uma mudança radical no rumo da política econômica.

Segundo Mantega, o governo abrirá espaço para “uma política monetária mais flexível”, mas seguirá no “caminho do desenvolvimentismo”. “A nossa estratégia não é ortodoxa, é uma estratégia desenvolvimentista. É uma estratégia que visa a criar mais empregos, que visa a diminuir as disparidades sociais e de renda, e isso vai continuar”, disse o ministro, em entrevista à BBC Brasil.

O ministro, porém, não revelou quais medidas serão implantadas. “Vamos anunciar no seu devido tempo os cortes que serão feitos. Não está pronto ainda. Está em estudo. O Brasil tem que fazer ajustes. Temos que reduzir a pressão inflacionária, e ela está sendo reduzida. Temos que fazer outros ajustes, como o fiscal, o que há muitos meses eu venho dizendo. Estamos preparando esses ajustes, quando estiverem prontos serão anunciados”, disse o ministro.

Mantega disse ainda que o governo pretende que o superávit fiscal de 2015 fique em torno de 2% do PIB. “O objetivo é caminhar para um superávit fiscal maior em 2015, do tamanho que já foi anunciado na proposta orçamentária que está tramitando no Congresso, em torno de 2% (do PIB) de superávit primário”.

Fontes:
O Globo-Mantega: governo vai assegurar mais crédito para elevar o consumo
BBC-Mantega: 'Governo vai continuar desenvolvimentista'

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *