Início » Brasil » Marcelo Odebrecht nega ter acertado valores com Temer
BRASIL

Marcelo Odebrecht nega ter acertado valores com Temer

Empreiteiro confirma caixa dois para campanha Dilma-Temer na eleição de 2014

Marcelo Odebrecht nega ter acertado valores com Temer
Marcelo Odebrecht está preso desde junho de 2015 (Foto: Flickr/worldsteel)

Na última quarta-feira, 1º, o empreiteiro Marcelo Odebrecht confirmou ao Tribunal Superior Eleitoral que jantou com o presidente Michel Temer durante a campanha presidencial e que discutiu uma contribuição para a campanha eleitoral de 2014 ao PMDB. Entretanto, ele negou ter acertado um valor com Temer. Marcelo Odebrecht acredita que os montantes tenham sido acertados previamente entre o atual ministro da Casa Civil Eliseu Padilha e o ex-diretor das Relações Internacionais da Odebrecht, Claudio Melo Filho. Ele afirmou que parte do valor pode ter sido feita via caixa dois. Temer era candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff.

Leia mais: Padilha pede licença médica em momento complicado

O empreiteiro também disse que antes de jantar com Temer, recebeu um pedido de contribuição do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que era candidato ao governo de São Paulo. O empresário pediu R$ 6 milhões. Os dois são amigos pessoais e Odebrecht prometeu ajudá-lo.

Segundo Marcelo Odebrecht, ele disse a Padilha e Mello que reservassem uma parte do dinheiro destinado ao PMDB para Skaf. Mas, depois soube que Skaf recebeu menos do que os R$ 6 milhões pedidos. Odebrecht ainda afirmou que o publicitário Duda Mendonça, que fez a campanha de Skaf, teria aparecido para tentar receber uma parte dos recursos.

Melo Filho disse, em sua delação premiada, que o acerto do montante foi feito diretamente por Marcelo Odebrecht no encontro com Temer.

Marcelo Odebrecht disse também ter se encontrado várias vezes com Dilma Rousseff. Segundo a TV Globo, o empreiteiro diz ter doado R$ 150 milhões à chapa Dilma-Temer na eleição de 2014. Deste valor, R$ 50 milhões eram uma contrapartida pela aprovação da medida provisória do Refis, que beneficiou o grupo. Segundo ele, 4/5 dos pagamentos destinados pela empresa para chapa Dilma-Temer tiveram como origem o caixa dois. Marcelo Odebrecht também afirmou que Dilma sabia da contribuição e dos pagamentos, também feitos por caixa dois, ao então marqueteiro do PT, João Santana.

A assessoria de imprensa da ex-presidente Dilma Rousseff afirmou, em nota, que a informação de que ela teria pedido recursos a Marcelo Odebrecht ou a qualquer outro empresário, ou tenha autorizado pagamentos a prestadores de serviços fora do Brasil ou por meio de caixa 2 nas campanhas de 2010 e 2014 é “mentirosa”.

Odebrecht disse ainda que, na reta final da campanha de 2014, foi procurado por Aécio Neves (PSDB-MG), candidato à presidência pelo PSDB. Ele disse que acertou uma ajuda para candidatos apoiados pelo tucano. O interlocutor de Aécio era Osvaldo Borges, que foi presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) durante o governo Aécio (2003-2010).

Fontes:
Folha de S.Paulo-Marcelo Odebrecht confirma à Lava Jato versão de delator sobre Temer
Estadão-Odebrecht confirma caixa 2 para campanha Dilma-Temer
O Globo-Dilma diz que é ‘mentirosa’ alegação de que pediu recursos a Odebrecht

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. Beraldo disse:

    Como já está tudo destrambelado mesmo, o menos mal neste momento é impedir qualquer espaço ao Aécio Neves, hipócrita, traidor do avô e corrupto. E pensar que este pilantra pretendeu um dia, ser um novo JK. O Gilmar Mendes tem de repensar o notório apoio que vem dando a esta figureta da pior especie, a exemplo de todos os seus convivas.

  2. Beraldo disse:

    O Paulo Skaf ja tem credenciais suficientes para assumir um Ministerio na corte de Sua Alteza Michel Temer. Seria reforço de peso para a corruptela encastelada em Brasília. Eita!!!!!!!!!!

  3. Luiz Alberto Franco disse:

    A chamada da matéria diz: “Marcelo Odebrecht nega ter acertado valores com Temer”. Usando o próprio texto, podia ter sido “Marcelo Odebrecht…discutiu com Temer uma contribuição para a campanha eleitoral de 2014 ao PMDB.”

    Parece fala do Cunha: “não acertei valor, só discuti”.

  4. Áureo Ramos de Souza disse:

    O POVO TEM QUE IR AS RUAS E PEDIR A SAÍDA DE TEMER E EXPULSAR TODOS QUE SE ENCONTRAM CITADOS NA ODEBRECHT. LADRÃO SEMPRE DIZ QUE NÃO SABIA DE NADA E QUE NÃO FEZ NADA, É O CASO DE NOSSOS POLÍTICOS E O PAÍS ESTA AÍ NO FUNDO DO POÇO E MICHEL TEMER FAZENDO O QUE NÃO SABE E COM CONCHAVOS COM TODOS OS PARTIDOS DIVIDINDO PARA NO FINAL DIVIDIR UM NO PLANO PARA ROUBAR O PAÍ E O POVO QUE SE EXPLODA. VEJAM COMO QUEREM APOSENTAR O POVO MULHER E HOMEM COM 65 E 49 ANOS DE TRABALHO E COM CENTO E TANTOS ANOS MORTO PODE RECEBER O QUE. TEMER COM 55 ANOS JÁ É APOSENTADO E GANHA R$ 30.000.00 E AINDA TEM O SALÁRIO DE PRESIDENTE E FORA AS MORDOMIAS. TEMOS QUE LUTAR PARA DIMINUIR OS SALÁRIOS DELES E ACABAR COM, AS MORDOMIAS. CHEGA NÓS TODOS SE FU… E ELES NOS FAZENDO DE PALHAÇO.

  5. Lucinda Telles disse:

    Estás claro que as grandes empresas determinam quem vai ganhar as eleições através de patrocínio espúrio. A Democracia é apenas um discurso para enganar os tolos.

  6. Beraldo disse:

    É! Se encontraram para tratar de uma propina, mas não acertaram o valor.

    Então tá!!

    O O&N abusa da inteligência dos seus leitores, com um título que pretende, acima de tudo, proteger Sua Alteza Michel Temer.

    Pelas fontes citadas, o título mais correto seria: Marcelo Odebrecht confirma encontro com Temer para tratar de doação ao PMDB, via Caixa 2.

    Se as fontes não valem nada, não deveriam nem ter sido citadas ao final do artigo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *