Início » Brasil » Marun diz se arrepender de devolver verba para Câmara
USO ILEGAL

Marun diz se arrepender de devolver verba para Câmara

Em evento, ministro diz se arrepender de ter devolvido a verba da cota parlamentar que usou para visitar Eduardo Cunha na prisão em 2016

Marun diz se arrepender de devolver verba para Câmara
‘Eu sou apaixonado por mim como político’, disse o ministro (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Um dos parlamentares mais polêmicos do Congresso, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB-MS) tornou a gerar controvérsia nesta semana, em um evento da Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig).

Em um café da manhã promovido pelo evento, Marun disse ser apaixonado por si mesmo como político e que seu único arrependimento na vida foi ter devolvido a verba da cota parlamentar da Câmara que usou para visitar o deputado cassado Eduardo Cunha (MDB-RJ) na prisão no Paraná, para onde voou e se hospedou no final de 2016.

“Eu sou apaixonado por mim como político. Se tivesse de votar em alguém, votava em mim. A verdade é essa. Não me arrependo de nada do que fiz. Não sei se é soberba. Faria de novo? Faria. ‘Ah, foi visitar o Cunha’. Visitava de novo. Só me arrependo de uma coisa: ter devolvido aqueles R$ 1 mil. Na verdade foi visita pública. Não devia ter devolvido. Deu 4 minutos no Jornal Nacional o fato de eu pegar R$ 1 mil da passagem pra visita lá. Só de ida, por sinal, para visitar o Eduardo Cunha. Só disso que me arrependo. Não devolveria. Teria batido boca. Mas na época…”, disse o ministro.

A declaração de Marun foi postada em um vídeo no site do Congresso em Foco, que acompanhou o evento. Os R$ 1.242 gastos por Marun na visita faziam parte da cota para o exercício da atividade parlamentar (Ceap), o chamado cotão. As regras da Câmara determinam que o cotão somente pode ser usado para compromissos do mandato.

A afirmação de Marun de que a visita a Cunha foi pública diverge da versão dada pelo próprio ministro à época, quando disse que devolveria a verba por ter se tratado de uma visita pessoal ao amigo. “A mesma não teve caráter político, tendo sido uma visita natalina de caráter solidário”, disse Marun na ocasião.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Carlos Valoir Simões disse:

    Marun é um ridículo, combina bem com esse governo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *