Início » Brasil » Mensalão com os dias contados. Será?
Grita Brasil

Mensalão com os dias contados. Será?

Segundo Lewandowsky, em alguns casos pode acontecer a tão temida absolvição dos réus

Mensalão com os dias contados. Será?
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas-feiras

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um dos que podem se dar bem é o ex-ministro José Dirceu que já mostra como é bom ser livre

Agora que eu quero ver. Agora vai começar a verdadeira batalha. Isso me assusta, e já começo a temer pelo pior. Lembrando que estamos no Brasil  e que o fato de ter acontecido o julgamento do mensalão em si já foi um avanço e uma demonstração de seriedade da Justiça maior.

Mas, com esses recursos que podem ser apresentados, embargos de declaração e, posteriormente, embargos infringentes, eu temo pelo pior. Temo pela gargalhada de alguns dos réus acusados, dizendo que agora a justiça foi feita, que eles sempre tiveram a certeza que a verdade iria aparecer. Que verdade? Que justiça?

A fala do ministro Ricardo Lewandowsky acentua mais ainda a minha preocupação, por ele ter sido um dos que mais discordaram do ministro Joaquim Barbosa, relator do processo. Segundo Lewandowsky, pode acontecer de se caminhar, em alguns casos, para a – tão temida por quase todos nós – absolvição desses bandidos. Já a fala do ministro Gilmar Mendes não assusta tanto, mas deixa no ar um cheiro de dúvida, incerteza e medo para quem apostou na prisão desses meliantes.

Fora que o tempo deles agora é outro. Pelo visto, não há pressa, já que agora nada mais pode prescrever. Mas enquanto eles começam a discutir e analisar essa nova etapa de recursos, os réus ficam livres, leves e soltos, aproveitando tudo que a vida pode oferecer. E, claro, com um sorriso debochado no rosto, já certo de que assim ficarão pelo resto de suas vidas.

Além disso, existe um impasse. Os embargos infringentes não estão previstos na lei de 1990. Mas o Regimento Interno do STF, escrito antes da lei, prevê esses embargos infringentes que, se acatados, deverão ser julgados por um novo relator e um novo revisor. Ou seja, mais discussão, mais tempo e…

A coisa é complicada, e muito. Pois tem voto de ministro que já se aposentou, e o seu substituto poderia votar pela absolvição, por exemplo, de José Dirceu. Ele pode ser absolvido da formação de quadrilha, por exemplo, pois a votação ficou em 6 a 4 no STF, sendo que um dos votos foi do (agora aposentado) ministro Ayres Britto. Caso isso seja votado novamente e o seu substituo o absolva, a votação empata, o que em ações penais força o tribunal a favorecer o réu. No caso, a pena de Dirceu cairia de 10 anos e 10 meses para 7 anos e 11 meses e ele ficaria no regime semiaberto.

Estou em total acordo com Roberto Gurgel, procurador-geral da República, que disse que tem muitas decisões em que só cabe ao réu se conformar – e correr para a cela (esse último adendo é meu).

Agora sim, acho que podemos dizer que quem está fazendo joguinho político para desqualificar a condenação dos réus do mensalão são eles próprios e não quem fez a denúncia.

Ahn...

Antes tarde do que nunca!

Depois das denúncias envolvendo o Programa Minha Casa Minha vida, o governo estuda mudar alguns pontos, principalmente o que diz respeito ao repasse do dinheiro destinado à construção de casas populares para cidades com 50 mil habitantes, onde os lobos atuavam e faziam a festa. Lobos não, ratos.

Pelo menos nesse ponto temos que elogiar a presidente Dilma, que em vez de tapar os olhos e fechar os ouvidos como fez seu antecessor, Lula, com a questão do mensalão e outras coisitas mais, assumiu que houve falhas e que elas serão sanadas.

Mas, de qualquer modo, é bom ficar de olho para ver se tudo será mesmo investigado e se poderemos ver o dinheiro voltar ao seu destino. O que eu já acho mais complicado, mas… quem sabe né? Ainda mais agora que já se começa um movimento visando às próximas eleições.

Afif... Dilma.....

 

Será que vai rolar? (ou enquanto isso…)

Controlar o Programa Minha Casa Minha Vida é complicado devido à sua magnitude. Deveria já ter ficado claro para a presidente Dilma que criar mais um ministério é brincar com fogo.  Não é nem por quem vai assumir, mas pelo fato de que é mais um que pode um dia gerar algum “malfeito”, já considerando a nossa experiência em muitos ministérios. Fora que isso está com toda a cara de tentar aumentar a possibilidade de reeleição, num transparente joguinho (político) onde quem ganha é a banca, no caso, a Dilma, que tem se mostrado uma crupiê profissional. Claro que Dilma vai negar até a sua morte e vai sustentar que com a criação do 39º ministério, o da Micro e Pequena Empresa, que vai ter como ministro o vice-governador de São Paulo, Afif Domingos,  quis homenagear um brasileiro que colocou na pauta do país o apoio às pequenas e microempresas.

E vem cá, precisa criar um ministério só pra isso? Dá uma placa de bronze, manda fazer um busto, põe uma rua com o nome dele, um túnel, uma ponte, sei lá, mas todo um ministério?

A Dilma agora está parecendo nossos vereadores aqui do Rio que ficam criando homenagens sem nexo e dando medalhas Pedro Ernesto. Para com isso. Deixa disso.

Só falta agora ela querer homenagear o José Sarney pela vida política dele e pelo bem (mal) que ele fez pelo país criando o 40º ministério que ainda estaria sem nome, mas aceitam-se sugestões. Só não vale ser nada das Arábias que ia pegar mal. Muito mal.

Será que Freud explica?

Freud Godoy parece que não tem muito o que falar e faz a sua cara de sempre

 

A Polícia Federal ouviu o ex-assessor especial da Presidência durante o governo Lula, Freud Godoy, que andou recebendo uma graninha repassada a ele por Marco Valério, o operador do mensalão, que Lula diz que não aconteceu.

Mas nem precisa deitar no divã, só acompanha. Se Freud era assessor de Lula e uma pessoa bem próxima a ele, como é possível que Lula não tivesse conhecimento de que contas suas eram quitadas?

Já Freud disse que não era bem assim, não era bem isso. O que nós sabemos é que quanto mais se cava, mas se abre a lente, mais lama vem à tona e sempre com uma etiqueta com o nome de Lula. Mas ele (Lula) continua negando que a etiqueta é dele. Ela naturalmente foi plantada por pessoas covardes que querem acabar com sua ilibada imagem. E que a imprensa também tem a sua parcela. A oposição. E seus inimigos.

Talvez Lula também esteja preocupado em parar de ganhar prêmios – também não me perguntem, nem sei quem foi que começou a achar que ele merecia – como os sete que ele irá receber de uma só vez semana que vem de doutor honoris causa de universidades argentinas. Mas, cá entre nós, isso só poderia ser coisa de argentino. Com todo o respeito.

Se ficar complicado pra Freud, quem sabe Lacan?

 

Se Freud não explica, quem explica?

Quem explica como o presidente da Câmara do Rio, Jorge Felipe (PMDB), esqueceu – para não falar omitiu – de declarar que tem um apartamento de luxo na Barra da Tijuca que está avaliado entre R$ 1,7 e R$ 2,2 milhões? Ele justificou que nem considera dele o apartamento, pois quem comprou foi a sua esposa.

Quem explica essa ideia esdrúxula de importar médicos de Cuba? Nada contra, se antes, porém, o governo estudasse dar um salário digno para os nossos médicos, que precisam se sentir valorizados, pois eles salvam vidas.

Quem explica essa atitude insana do desembargador Siro Darlan de mandar soltar todos os bandidos que invadiram o Hotel Intercontinental em 2010? Para Darlan, ele apenas interpretou a lei. Que lei? Nessa ação uma pessoa morreu, seis ficaram feridas, fora a imagem de insegurança que passamos, uma vez que a ação aconteceu num hotel de luxo que recebe turistas do mundo todo. Mas para Darlan isso é nada. Imagina quando for tudo!

Salvem as baleias. Não joguem lixo no chão. Não fumem em ambiente fechado.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

18 Opiniões

  1. helo disse:

    O Brasil é muito desigual. Curiosamente nosso Poder Executivo escolhe os ministros do Poder Judiciário. Se os novos titulares absolverem o crime maior dos poderosos mensaleiros, ficará a suspeita de que não houve justiça, e que as nomeações foram feitas para este fim, consagrando a desigualdade na sua instância máxima.

  2. Mauricio Fernandez disse:

    A questão é a natureza da Lei. Quem a produz e com qual intenção. Em canal de tv aberta, recentemente um desembargador afirmou motivado por um vídeo que demonstrava um horroroso crime que o apresentado não constituía prova suficiente e definitiva de culpabilidade. Teria de examinar-se a Lei. A rotina dos tribunais reduziu-se em interpretar a Lei. O convencimento dos julgadores os levam muitas vezes a interpretarem que pedra é agua e água é pedra. Não foi diferente com o Mensalão. Portanto temos tido muitos julgamentos. Justiça é outra coisa.

  3. PENSADOR disse:

    POR ISTO MESMO RONALD BIGSS E OUTROS MELIANTES APOSTARAM EM FUGIR PARA O BRASIL. SÓ FOI EMBORA DEPOIS DE VELHO PORQUE OS HOSPITAIS DAQUI SÃO PIORES DO QUE AS PRIOSÕES DE LÁ. FOI DE VOLTA À INGLATERRA PARA SE TRATAR NO HOSPITAL DA PRISÃO, DEPOIS DE CURTIR LONGOS ANOS NAS BOATES DAQUI.

  4. helo disse:

    Justiça é quando se faz a interpretação correta da lei. A interpretação de que água é pedra cabe aos advogados de defesa. Somente uma ponta do mensalão foi julgada. Esta ponta é clara e consta na lei. O pior e o maior agravante é que foi cometido contra o dinheiro público.

  5. Honório Tonial disse:

    Na tribuna do Senado, hoje à tarde, um eminente Senador afirmmou, entre outro feitos do Governo do Pt, o aumento continuado do Salário Mínimo do trablhador brasileiro como participante da inclusão social .
    Que Salário Mínmo é este?
    Que tal um Senador ganhar 12 ( 12) salários mnsais?
    Este salário mínimo atual atende às necssidades previstas na Contituição?
    O salário mínimo é a transferência da escravatura física do trabalhador pela criminosa burla à Carta Magna.

  6. ISAAC J. A. CARMO disse:

    Pois é, Helo, se “somente uma ponta do mensalão foi julgada”, por que ainda não foi a outra? Será que ainda será? Por que fazer dois julgamentos, em momentos diferentes, de uma causa só? O desmembramento do processo único, em dois, tirou da opinião pública, até que não aconteça o segundo, a compreensão universal do assim chamado “mensalão” e de tudo que já foi dito até agora, quer pelos olofotes dos tribunais, quer pela mídia como um todo? E caso alguns desses “embargos infringentes” venham a ser acatados, nesse novo trâmite, a opinião pública, no geral, mudaria aquele seu primeiro conceito sobre a Justiça do nosso País? Como vê, são perguntas e perguntas.

  7. Joaquim Caldas disse:

    Desde que escalaram ou sortearam o Joaquim Barbosa para atuar como relator da ação penal470,conhecida como o “Mensalão” que foi dado inicio ao golpe do STF.Joaquim Barbosa passou 7 anos doente e de repente condena o núcleo do PT e é promovido a presidente do STF.Vocês não acham muito bom pra ser verdade? Pois,aí é onde está o golpe.A promoção de Joaquim Barbosa para presidente do STF! Na verdade todos os ministros já sabiam o que fazer,todos de cartas marcadas.As condenações foram todas ensaiadas transformando o STF no escritório de advocacia do PT.Os advogados de defesa da cúpula do PT foram instruídos pelo proprio STF e OAB para impetrar os embargos declaratório e infringentes,isso foi sopro jurídico.É visível que as nomeações de juízes medíocres jamais teriam tanto conhecimentos para esbanjar sapiências jurídicas.As alegações para que os embargos tenham aceite são a redistribuição dos embargos declaratórios,a enfatizar que o ministro Joaquim Barbosa,relator do processo do mensalão,assumiu a presidência do STF.Isso significa que afastaram Joaquim Barbosa do cargo de relator.E com a nomeação de mais dois ministros por Dilma a coisa terá transito em julgado quando eles quiserem e com penas brandas ou livres!

  8. ISAAC J. A. CARMO disse:

    Quanto ao Programa “Minha Casa Minha Vida”, é o mais importante programa de habitação popular já feito neste País. Lamento que essa cultura de se dar bem induza certos empresários do seguimento de construção civil a querer driblar o governo para tirar proveitos indevidos, e com isso tentar fragilizar o Programa e criar na opinião pública o descrédito que só favoreceria aqueles que não tem interesse que a iniciativa dê certo. Cabe ao governo exigir reparação de danos e descartar de seu canteiro de obras essa gente que só pensa em ganhar, e ganhar de qualquer forma. Não se admite que uma casa recém construída já apresente rachaduras em suas paredes e abalo em seus fundamentos.

  9. Rudy Lang disse:

    O Afif poderia viver sem essa humilhação auto imposta.
    Parece até o presidente da FIERGS, Heitor Müller, quando de sua posse, beijando a mão de Dilma.
    Que nojo desses líderes empresariais. Parece até que nunca ouviram os provérbios que pautaram a vida de nossos avós e nossos pais: dize-me com quem andas e dir-te-ei quem és.
    Disgusting!!!

  10. helo disse:

    Pois é Isaac, sem denúncias corajosas o trabalho fica difícil para o Ministério Público. Os réus atuais, e os possíveis futuros, talvez consideraram o risco e o congresso propôs uma lei para que só a polícia tenha o poder de investigação. A razão talvez seja porque a polícia pode sofrer mais pressão porque não é independente como o ministério público, sob o comando do Executivo.
    Todos os programas habitacionais são bem intencionados, mas precisam de fiscalização. As propinas de praxe cobradas parece que aumentaram, e para que o construtor tenha algum lucro, acaba por baixar a qualidade. Este programa MCMV é similar aos dos anos 60. Casas padrão em que morarão uma variedade enorme de famílias. Um urbanista comparou bem ao dizer que ao oferecer sapatos de número médio a todos, uns ficarão apertados, outros grandes. O melhor programa seria o que daria o terreno e emprestaria o dinheiro para o usuário construir. Um casal precisaria de um quarto, uma família de 10, mais. Os construtores das cidades são parte da população de baixa renda e sabe construir. Só não faz bem porque não pode escolher o terreno, não tem segurança da posse e não tem empréstimo.

  11. helo disse:

    Isaac, na pressa, desculpe, fiz erros de concordância. O governo não irá punir os construtores do programa MCMV. Foram escolhidos pelas grande empreiteiras, as clientes do governo, responsáveis por viagens, palestras milionárias, campanhas etc. O governo defende e contrata estes empreiteiros assim como torce por eles.
    Quanto ao mensalão é bom lembrar que todos os juízes foram nomeados pelo governo, e nem todos tem a mente independente e correta de Joaquim Barbosa. Considero o detalhe mais imoral neste crime, é fazer que o povo com tanta miséria pague o apto de luxo da ex do Dirceu e as viagens, poderes e que tais de Rose.

  12. Ariani disse:

    E onde está o povo? E OS CARAS PINTADAS !!!

    Uma geração que se impôs e teve consiência de ir às ruas brigar por justiça!! Esta justiça deve ser feita !!!

    Se os governantes ,senadores e judiciário não é ouvido o levante popular deve SER!!

    O povo deve sair ás ruas e exigir mais justiça ,segurança cumprimento de regras , Neste Brasil ninguém mais é preso

    pode-se até queimar roubar matar que não dá nada!!!!

  13. Mauricio Fernandez disse:

    Helo, quem sentenciou, foram os Ministros do Supremo ou seus advogados? Interpretações sobre o mesmo fato apontado para o sul enquanto outras apontam o norte via tv e você dizendo que não. Tenha paciência….!

  14. Carlos Alberto disse:

    Atenho-me, apenas, ao último parágrafo. Os bandidos foram soltos, segundo a autoridade, porque o processo foi mal fundamentado, ou seja: falta de provas – como se tudo aquilo que vimos pela televisão fosse mentira ou ilusão de ótica. A liberdade dos acusados foi um tapa na cara de toda a sociedade, só não se sente ofendido, quem têm interesse em promover o caos, ou interesses escusos.

    Um câncer se instalou em quase todos os seguimentos da vida pública, a justiça não está imune. Haja vista que um processo, quando é para beneficiar um trabalhador, demora anos e mais anos para ser julgado, mas no caso dos bandidos…

    .

  15. helo disse:

    Maurício, o STF fez julgamento/sentença/ justiça. Os advogados de defesa procuraram brechas/ firulas na sentença para mudar o resultado. Poderão se basear na lei sem fazer justiça, já que os poderosos seguirão como sempre impunes.
    Você assistiu na TV um desembargador que não era eu. Eu assisti ao vivo na TV a CPI e o julgamento do mensalão e o crime me pareceu claríssimo. É preciso paciência para se ouvir a sincera opinião contrária de um outro.
    Vou citar 1 bom exemplo de interpretação legal que conclui que pedra é água como apontado por você:
    O STF aceitou como verdade a afirmação de Dirceu de que não conhecia Valério. Em 1 mês, Valério de BH, compra à vista apto da mulher de Dirceu para que ela comprasse 1 apto bem maior. Valério então lhe arruma emprego no BMG (mensalão) produzindo a renda necessária para a aprovação de empréstimo que totalizasse a compra.

  16. Mauricio Fernandez disse:

    O STF fez um esforço descomunal por justiça. Todavia, não logrou que seus ministros frente a provas irrefutáveis, tal qual o demonstrado na televisão e testemunhado pelo país inteiro, tivessem entendimentos totalmente diversos. Portanto persiste o impasse, quais os que interpretaram de forma correta e assim fizeram justiça segundo tua ótica Helo? A sinceridade da opinião em momento algum foi ou poderá ser alvo de questionamentos.

  17. helo disse:

    Maurício, você tem razão, os ministros tiveram entendimentos diversos. Joaquim Barbosa me pareceu o mais convincente. E posso estar completamente equivocada, já que nem li os autos. Imagino a dificuldade ou constrangimento dos ministros para julgar um crime do executivo quando são escolhidos pelo próprio executivo, ou quando os réus são seus conhecidos ou amigos. Os réus também terão o sofrimento de que, se inocentes e absolvidos, reste a ideia de que sempre nesse país os poderosos ficam impunes.

  18. andralls disse:

    mensalão vergonhoso…não dá pra acreditar… a maioria foi inocentada por falta de provas… isso é uma vergonha….Brasil que anda a passos lentos…será que um dia isso vai mudar? acredito que não…vou envelhecer, morrer e o país parece que vai continuar a mesma coisa…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *