Início » Brasil » Mensaleiros na cadeia e uma Justiça menos seletiva
pagando pelo crime

Mensaleiros na cadeia e uma Justiça menos seletiva

No começo de 2012, ninguém acreditava que o julgamento do mensalão ia acontecer. Não só o processo andou como a justiça começou a melhorar no Brasil

Mensaleiros na cadeia e uma Justiça menos seletiva
Cresce a esperança de que a impunidade dos poderosos diminua no Brasil (Reprodução/Internet)

Algumas pessoas zombavam nas manifestações que fizemos nas ruas para colher assinaturas na petição pelo início do julgamento do mensalão. Outras nos evitavam. Outras apoiavam, aplaudiam, assinavam, mas a maioria dizia que aquilo não ia dar em nada. Insistimos.

Merecemos reconhecer que demos a nossa ajuda para o processo do mensalão sair da gaveta do Ministro Ricardo Lewandowski. No começo de 2012, ninguém acreditava que o julgamento ia acontecer. Quase todos apostavam na prescrição. Nós, do Movimento 31 de Julho, fomos os malucos que começaram a dizer não. Depois empurramos o processo dia a dia, com a campanha SOS STF e tudo mais: o abaixo assinado, dezenas de manifestações na rua, centenas de reuniões, a briga para conquistar espaço na imprensa, o blog De Olho no mensalão e toda a guerra na Internet, junto com outros movimentos da rede contra a corrupção e a impunidade, principalmente o Queremos Ética na Política. Não demos sossego.

Poucos acreditavam que o julgamento do mensalão acontecesse. Depois não acreditavam que os réus seriam condenados. E mesmo após as condenações não acreditavam que haveria prisões.

Não só o processo andou como a justiça começou a melhorar no Brasil. É claro que teve o Ayres de Brito, o Joaquim Barbosa, o Antônio Fernando de Souza, o Roberto Gurgel, a preciosa ajuda do Lula chantageando o Gilmar Mendes, o trabalho de muitos brasileiros na polícia, no MP, nos tribunais e na imprensa. Imaginem a barra pesada que esses caras tiveram de enfrentar!

Depois muita gente entrou na corrente e ajudou na pressão por todo o Brasil. Mas nós começamos uma parte importante dessa história no II Congresso Contra a Corrupção realizado em março de 2012 em São Paulo, organizado pelo movimento Nas Ruas. Redigimos e propusemos a petição e convencemos dezenas de outros movimentos e entidades a participar.

Com as ações corpo a corpo em várias cidades e na Internet, conseguimos 37 mil assinaturas na petição pelo início do julgamento. Entregamos e protocolamos o abaixo-assinado no Supremo Tribunal Federal na hora certa, em maio de 2012. Ajudamos a tornar realidade o resultado que está aí: os primeiros mensaleiros foram presos e pode ser que tenham de devolver ao povo o dinheiro roubado.

Esperneiam, dizem que são presos políticos, alegam que não tiveram direito de defesa, atacam os juízes que os condenaram, mesmo os que foram colocados por eles no Supremo. Mas já estão pagando pelos crimes e cresce a esperança de que a impunidade dos poderosos diminua no Brasil.

Fizemos a nossa parte. A frase do ministro Luís Roberto Barroso define a situação: “Temos milhares de condenados por pequenas quantidades de maconha, e pouquíssimos condenados por golpes imensos. Para ir preso no Brasil é preciso ser muito pobre e muito mal defendido. O sistema é seletivo, quase de castas”. Se isso começar mesmo a mudar, o Brasil será um país mais justo. Tem muito bandido poderoso solto e zombando da gente. Continuam nos roubando e sacrificando a população pobre e toda a sociedade. A fila da cadeia tem de andar.

 

* Texto publicado originalmente no blog Este Mundo Possível.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *