Início » Brasil » Mercedes Benz inicia demissão em massa em São Paulo
REFLEXOS DA CRISE

Mercedes Benz inicia demissão em massa em São Paulo

Fábrica da empresa em São Bernardo do Campo demite 1.400 funcionários e suspende a produção de ônibus e caminhões

Mercedes Benz inicia demissão em massa em São Paulo
Medidas são reflexos da queda na venda de caminhões e ônibus (Foto: Mercedes Benz)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A fábrica da Mercedes Benz em São Bernardo do Campo, São Paulo, suspendeu por tempo indeterminado a produção de ônibus e caminhões e iniciou a demissão em massa de mais de mil trabalhadores.

A medida foi tomada na última segunda-feira, 15. A empresa não informou quantos funcionários serão demitidos, mas disse que os primeiros a serem cortados fazem parte do grupo de 1.400 trabalhadores que foram colocados em regime de layoff (licença coletiva remunerada) em fevereiro deste ano. Eles já receberam telegramas da empresa informando da demissão.

A suspensão da produção e as demissões são reflexos da queda na venda de caminhões e ônibus. De janeiro a julho deste ano, as vendas de caminhões da empresa caíram 23,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Já as de ônibus, caíram 27,7%.

A redução nas vendas diminuiu o ritmo da produção na fábrica de São Bernardo do Campo. Atualmente, ela opera com menos da metade de sua capacidade de produção. Com isso, o número de trabalhadores ociosos no quadro de pessoal saltou, e a estratégia de colocar funcionários em regime de layoff não surtiu o efeito esperado.

No total, a fábrica tem 9.800 trabalhadores em regime de layoff que não sabem quando ou se retornarão ao trabalho. No início deste mês, a Mercedes Benz divulgou um comunicado afirmando que “diante do cenário que tem se agravado cada vez mais, não há outra alternativa a não ser a redução do quadro de pessoal”.

Fontes:
Estadão-Após licenças, férias coletivas e PPE, Mercedes Benz começa a demitir

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    É notável que justamente o lugar em que a serpente sindicalista deu à luz um partido de quinta e um político de sexta seja o palco destas demissões em massa. Todavia, se perguntarem aos demitidos em quem votaram e que partido votarão, certamente encontraremos o eleitorado do petê.

  2. FERNANDO disse:

    AGORA VÃO À PORTA DA CASA DO VULGARÓIDE DA SILVA O EX-PELEGO DAS MONTADORAS, O MOLUSCO-CHEFE DA QUADRILHA PETISTA E RECLAMEM COM SEU ÍDOLO, O PÉ QUE OS ALEMÃES DERAM EM VOCES. 10.000 X 0.

  3. Hector disse:

    é, parece que cansaram de deixar esse povo todo em casa ganhando para não fazer nada, só um, setor protegido pelo governo e que mantém os preços nas alturas consegue fazer um negócio desse e o maior absurdo é que quem paga esse oba-oba é o povo.

  4. Carlos N. P. Guerraiz disse:

    Vão para a porta do Lularapio, e peçam para trabalhar com ele, muitos dos trabalhodores das Montadors idolatram esse Canalha, ladrao, cachaceiro, esse é o legado que o Cachaceiro deixou para os metalúrgicos, isso é só o começo, essas montadoras em breve deixarão o País.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *