Início » Brasil » Michel Temer endossa insatisfação de PMDB com PT
Manifesto

Michel Temer endossa insatisfação de PMDB com PT

Vice-presidente declarou ser a favor da liberdade das coligações para as disputas municipais e admitiu que é mais fácil para o PT ter acesso aos programas e recursos do governo

Michel Temer endossa insatisfação de PMDB com PT
Vice-presidente Michel Temer recebeu manifesto na terça-feira, 6 (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O vice-presidente, Michel Temer, aderiu ao protesto de membros do PMDB contra o projeto do PT de ampliar sua estrutura governamental para ultrapassar o PMDB no número de prefeituras. Temer recebeu um manifesto na última terça-feira, 6, e deu razão aos colegas de partido sobre as queixas. O vice-presidente reconheceu que a pressão do PT sobre o PMDB é grande e afirmou que não cederá: “Temos que trabalhar para eleger o maior número de prefeitos”, disse.

Leia também: Rebelião no PMDB
Leia também: Temer soube de novo ministro pela TV

O líder da Câmara, Henrique Alves (RN), solicitou que Temer organize uma reunião com ele, o senador Renan Calheiros (AL) – líder do partido – e as ministras Ideli Salvatti (Relações Internacionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) para que eles possam se posicionar  sobre as insatisfações da legenda.

Ato contínuo, o líder na Câmara, Henrique Alves (RN), sugeriu que Temer organizasse uma reunião dos dois líderes peemedebistas – ele e o senador Renan Calheiros (AL) – com as ministras Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) para passar ao governo as insatisfações do partido.

Com o objetivo de mostrar a unidade partidária do partido, Temer convidou o líder da Câmara e o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO) para junto com ele, receberem o manifesto com as reclamações da legenda.

Uma das maiores críticas do manifesto se refere a falta de autonomia e de recursos dos ministros do PMDB, que são obrigados a consultar o Palácio do Planalto a cada decisão tomada. Por exemplo, o ministro do Turismo, Gastão Vieira, precisa se reportar à ministra Ideli sobre as medidas que pretende implantar.

Fontes:
Estadão - Vice-presidente Michel Temer adere ao manifesto do PMDB contra o PT

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *