Início » Brasil » Novo ministro do Meio Ambiente vai rever acordo com a Samarco
TRAGÉDIA EM MARIANA

Novo ministro do Meio Ambiente vai rever acordo com a Samarco

O acordo havia sido fechado pelo governo da presidente afastada Dilma Rousseff

Novo ministro do Meio Ambiente vai rever acordo com a Samarco
Novo ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (Foto: Luís Macedo/ Câmara dos Deputados)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Depois do rompimento da barragem de Mariana, em 5 de novembro de 2015, o  governo da presidente afastada Dilma Rousseff fechou um acordo com os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, a mineradora Samarco, e suas acionistas Vale e BHP Billiton para recuperação socieconômica e ambiental da tragédia em Mariana. Só que o novo ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), vai revê-lo.

Leia mais: Ações da Samarco não têm sido suficientes, avalia Ibama
Leia mais: Samarco sabia que barragem estava em risco, diz MP

Na última segunda, 16, ele sobrevoou os 120 km da área atingida e afirmou que a lama da barragem da Samarco continua poluindo o Rio Doce. O ministro resolveu, portanto, se recusar a assinar um documento proposto pela prefeitura de Mariana pedindo o retorno do funcionamento da Samarco no município.

Embora ele tenha anunciado que pretende rediscutir o acordo entre o governo e as mineradoras, que já foi homologado pela Justiça Federal, o ministro negou que o termo poderá ser modificado em sua essência.

Antes de se tornar ministro, Sarney Filho coordenou a comissão na Câmara, que acompanhava os desdobramentos da tragédia em Mariana. Ele protocolou moção de repúdio ao acordo, que prevê investimentos de R$ 20 bilhões pelas mineradoras ao longo de 15 anos. O texto dizia que o termo “pode acabar por eximir as empresas do cumprimento de suas obrigações legais, o que é inadmissível”.

Segundo o ministro, a sociedade civil organizada não foi devidamente ouvida, algo essencial numa tragédia que matou 18 pessoas e destruiu o distrito de Bento Rodrigues. A lama chegou ao litoral do Espírito Santo, onde o Rio Doce deságua.

De acordo com o ministro, a empresa, os atingidos e os representantes do poder público vão se reunir no dia 31 de maio. O próximo passo do Ministério do Meio Ambiente será fiscalizar o que a Samarco vem fazendo para tentar barrar o vazamento de lama.

Fontes:
O Estado de S.Paulo-Ministro do Meio Ambiente vai rever acordo com a Samarco
Valor Econômico-Acordo da Samarco com a União será revisto, diz Sarney Filho
EBC-Sarney Filho sobrevoa Mariana e se recusa a autorizar volta da Samarco

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *