Início » Brasil » Modelo de captação de água do Brasil está superado, diz especialista
Seca no Brasil

Modelo de captação de água do Brasil está superado, diz especialista

Segundo o coordenador da ONG WWF, a proteção de mananciais que fornecem água às grandes cidades e a reutilização de água das chuvas podem contornar a crise hídrica

Modelo de captação de água do Brasil está superado, diz especialista
Cisternas utilizadas no nordeste brasileiro. É necessário também conscientizar a população para reduzir o consumo, que no Brasil é bem acima da média ideal (Foto: Reprodução/Internet)

A falta d’água, um problema recorrente no Brasil que hoje castiga toda a região Sudeste do país, pode ser solucionada com simples medidas para aumentar a captação de água. É o que sugere o especialista Glauco Kimura de Freitas, diretor do programa “Água para a vida” em entrevista à radio CBN nesta quinta-feira, 29. Segundo Kimura, o modelo de captação de água do Brasil está ultrapassado e precisa ser modernizado.

Kimura afirma que é possível superar a crise hídrica com um trabalho bem feito de proteção no entorno de nascentes e mananciais — uma estratégia adotada com sucesso em Nova York –, e através da captação de chuvas, uma alternativa já em vigor no Nordeste brasileiro.

Leia também: Prefeitos querem multa para desperdício de água

Em Nova York, o governo economizou US$ 6,5 bilhões em tratamento de água adotando um programa de proteção às mananciais e nascentes que abastecem a cidade. Segundo o coordenador da WWF, também é importante o controle da ocupação do entorno dos reservatórios para evitar assoreamento.

Outra medida que pode ajudar é a utilização de cisternas para captação de chuva. O exemplo usado por Kimura foi o programa “Mil Cisternas” praticado no sertão do Brasil. Essa medida seria barata e eficiente, considerando o número de alagamentos nas principais cidades, em São Paulo principalmente.

Programas de conscientização da população também são necessários para amenizar os efeitos da estiagem. Segunda a ONU, a média de consumo de água ideal para uma grande cidade é de 100 litros por habitante em um dia. Em São Paulo essa média é de 175 litros por habitante, o que, segundo a previsão de população do IBGE para a cidade em 2014, totaliza 7 bilhões de litros de água gastos todo dia na maior metrópole brasileira.

Fontes:
CBN-É possível superarmos a crise hídrica com um trabalho bem feito em nascentes e mananciais

1 Opinião

  1. Ligia H L Harazim disse:

    No estado de São Paulo os prefeitos jogam coco na agua. Constroem prédios sem tratamento de esgoto que contaminam o solo para sempre…por exemplo, Granja Viana, Cotia.
    O Prefeito Haddad cedeu 300 mil metros de área na Guarapiranga para o “Casa deles, vida Deles”.
    Qualquer cidadão brasileiro trata bem uma nascente, uma bica, um fio de água. Somos um povo do bem.
    O poder público insustentável é uma espécie de “buraco negro” que consome tudo e todos e infelizmente enquanto ganharem dinheiro para fazer política podem esquecer a saúde, as nascentes, os mananciais e tudo o mais que houver…serão todos vendidos para encher o bolso Deles.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *