Início » Brasil » Moraes articulou com Alckmin candidatura ao Governo
COLUNA ESPLANADA

Moraes articulou com Alckmin candidatura ao Governo

Com a morte do ministro Teori, Temer avisou a Moraes que ele seria o indicado, e este informou a Alckmin que o projeto político estava abortado

Moraes articulou com Alckmin candidatura ao Governo
Alexandre de Moraes não quis comentar o caso (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Foi numa segunda-feira do fim de dezembro, na pizzaria Nico Pasta & Basta, no Ipiranga. Numa mesa em ala restrita capitaneada pelo governador Geraldo Alckmin e o então ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, sentaram-se sete delegados da cúpula da Polícia Civil. Alckmin contou que o ministro Moraes seria o candidato do PSDB ao Governo paulista, e gostaria de contar com o apoio da corporação.

Mote eleitoral

O grupo chegou a discutir a estratégia de Alexandre de Moraes ser lançado com o discurso de segurança e ordem nas ruas. Tinham o apoio de Michel Temer.

Voo abortado

Com a morte do ministro Teori Zavascki no acidente aéreo, Temer avisou a Moraes que ele seria o indicado, e este informou a Alckmin que o projeto político estava abortado.

Escola Serra

Embora crave que ficará na prefeitura quatro anos, com o novo cenário o cotado para a candidatura tucana ao Governo é o prefeito João Dória. José Serra fez escola.

Silêncio

Alexandre de Moraes não quis comentar o caso. O Governo de São Paulo não respondeu sobre a participação de Alckmin na reunião.

Lava Jato 2.0

Aos inocentes que especulam que políticos e representantes da PF e do Ministério da Justiça sentam-se à mesa para tratar do desmonte da Lava Jato: não é assim. Embora a PF negue veementemente, delegados que estavam na operação ficaram estafados. Ocorre quando não se tem a equipe e estrutura necessárias para um trabalho duro.

Radiografia oculta

Basta conferir a equipe em Curitiba. Delegados reclamavam, sigilosamente, que o Ministério Público Federal tinha 14 graduados procuradores na sua força-tarefa. A PF contava cinco delegados e poucos agentes de apoio.

Pé na estrada

A delegada Erika Marena deixou namorado e família para trás ao ser transferida para Florianópolis. O clima ficou ruim na direção da PF para Marena quando seu nome foi lançado para diretora-geral. Marcio Anselmo foi parar em Vitória como corregedor após atuação brilhante na LJ. Evidente, quem preza pela carreira, não reclama aos holofotes.

Salvaguarda

Por isso a direção da PF correu para avisar ontem que a Lava Jato terá o orçamento de 2017 integral e nova equipe de apoio que será solicitada — porém aprovada pela direção em Brasília.

Mineirinho

O senador Aécio Neves, padrinho da indicação de Carlos Velloso para o Ministério da Justiça, visitou o ministério três vezes nas últimas duas semanas. Segundo assessoria, o senador foi cuidar de projetos de segurança pública que a pasta analisa.

PMDB x PSDB

O PMDB não quer deixar barato para os tucanos a ‘posse’ do Palácio da Justiça. Pressiona Temer para criar um cargo de ‘vice-ministro’ para um nome do partido.

Tem mais

Assim que a PF pisou na sede da BrasilCap atrás de documentos pessoais do presidente da entidade do BB, Márcio Lobão, houve diretor que correu e sequer era alvo. Um deles se escondeu numa sala.

Piada pronta

Por coincidência: ontem, dia da operação da PF que lhe cercou, o filho de Lobão publicou artigo num jornal do Rio cravando que a “capitalização ainda tem muito o que crescer”. Agora se sabe de que tipo de capitalização falava…

Ah, o brasileiro…

O saque das contas inativas do FGTS remete a caso similar do início dos anos 90. Cid Moreira, no Jornal Nacional, avisou que o povo poderia ir às agências da Caixa no dia seguinte. Dito e feito. Filas dobravam esquinas. Mas boa parte nunca tinha assinado carteira de trabalho — e exigia seu dinheiro.

4 Opiniões

  1. Markut disse:

    Pasta e BASTA,nome sugestivo para esses encontros furtivos, onde o que menos se cogita é do interesse da maioria.
    São reuniões ao estilo dos “poderosos chefões”

  2. laercio disse:

    É notório que os sacrifícios políticos para se perpetuarem na política estão acima dos interesses do Brasil.
    Políticos se perpetuam através de sí próprios e ou por meio de nomes que são apoiados por aqueles.
    Tudo em nome de poder pois estão ai durante décadas e não resolveram problemas absolutamente simples; eles sempre vem com o mesmo jargão: falam sobre crise mundial, etc.
    Não existe crise para um país com dimensões continentais como o Brasil, o que falta aqui é democracia pois esta nunca se fez presente.
    As articulações feita por quaisquer políticos estão fadadas ao fracasso pois não visam a nação mas sim troca de favores.

  3. Afonso Schroeder disse:

    Vemos nos dias de hoje como a direita politiqueira foi e é acovardada praticando o golpe com traição comandado pelo chefão “Michel Temer” em abril/2016 vendo-se incapacitada de ganhar as eleições democraticamente para presidente lamentável esta (direita politiqueira) a cada dia retorna aos tempos nefasto do antes de 2003. Ate quando o (STF) vai ficar inerte a ação do senadores irresponsáveis fazendo a mãos limpas retornar ao comando do Brasil a presidente eleita pela maioria do povo brasileiro Dilma Rousseff.

  4. Beraldo disse:

    Pô! Então, agora a Polícia Federal atuando na Lava Jato, está cansada!?

    Ah, tá! A equipe vai ser reforçada com nomes aprovados pela corte em Brasília. Huum…

    Fala-se disto como se fosse a coisa mais natural do mundo.

    É o Brasil pós impeachment “juridicamente perfeito”, onde “manda quem pode e obedece quem tem juízo”.

    He he he!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *