Início » Brasil » Moro aceita convite para ser ministro de Bolsonaro
MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

Moro aceita convite para ser ministro de Bolsonaro

Juiz anunciou sua decisão após se reunir com o presidente eleito na manhã desta quinta-feira, 1º, em sua residência no Rio de Janeiro

Moro aceita convite para ser ministro de Bolsonaro
‘Aceitei o honrado convite’, afirmou Moro, em nota (Foto: EBC)

O juiz federal Sergio Moro aceitou nesta quinta-feira, 1, o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para ocupar o cargo de ministro da Justiça.

Moro se reuniu com Bolsonaro na manhã desta quinta-feira, no Rio de Janeiro, para discutir o convite. O encontro ocorreu na residência de Bolsonaro, na Barra da Tijuca. A reunião durou cerca de uma hora e meia. “Após reunião pessoal, na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite”, afirmou Moro, em nota.

Bolsonaro confirmou o nome de Moro no ministério. “O juiz federal Sergio Moro aceitou nosso convite para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Sua agenda anti-corrupção, anti-crime organizado, bem como respeito à Constituição e às leis será o nosso norte”, escreveu Bolsonaro nas redes sociais.

Bolsonaro expressou a intenção de convidar Moro para seu governo em uma entrevista concedida à Record TV, na última segunda-feira, 29. Na última quarta-feira, 31, o juiz afirmou, em nota, que o convite seria “objeto de ponderada discussão e reflexão”.

Leia mais: Moro diz que vai ponderar convite de Bolsonaro
Leia mais: Bolsonaro quer Moro no Ministério da Justiça ou STF

Fontes:
Agência Brasil-Moro aceita convite para ser ministro da Justiça no governo Bolsonaro

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Moura disse:

    Não vejo nenhum problema na decisão do Moro aceitar o novo ministério. Lamento pela Lava Jato, que vai perder um juiz sério, que colocou muitos corruptos na cadeia, em particular, o apedeuta de Garanhuns, o político preso que gosta de aparecer na mídia como “preso politico”.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *