Início » Brasil » Morre o ex-ministro Eliezer Batista, pai de Eike Batista
'CONSTRUTOR DA VALE'

Morre o ex-ministro Eliezer Batista, pai de Eike Batista

Eliezer Batista foi um dos principais engenheiros do Brasil ao longo do século XX

Morre o ex-ministro Eliezer Batista, pai de Eike Batista
Além de ministro, Eliezer Batista também foi presidente da Vale do Rio Doce (Foto: Vale/YouTube)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Pai de Eike Batista e ex-presidente da Vale do Rio Doce, o ex-ministro de Minas e Energia Eliezer Batista morreu na última segunda-feira, 18, aos 94 anos. Mineiro de Nova Era (MG), Eliezer estava internado no Hospital Samaritano, na zona sul do Rio de Janeiro.

Eliezer Batista foi um dos principais engenheiros do Brasil ao longo do século XX. Foi nomeado presidente da Vale do Rio Doce pela primeira vez aos 36 anos, em 1961 – deixando o cargo em 1964. Depois, voltou à cadeira da presidência em 1979, saindo do cargo, mais uma vez, em 1986.

Um dos seus principais feitos à frente da Vale foi a assinatura de contrato, em 1962, com dez siderúrgicas japonesas, exportando 50 milhões de toneladas de minério de ferro em 15 anos. Em contrapartida, os japoneses reconheceram o trabalho de Eliezer Batista, premiaram o engenheiro e ajudaram a construir o Porto de Tubarão, no Espírito Santo. O porto permitiu que a Vale dobrasse o número de exportações no período.

Além disso, em sua segunda passagem pela empresa, Eliezer foi o responsável pela implantação do Projeto Grande Carajás, no meio da selva amazônica. Orçado inicialmente em US$ 4,2 bilhões, o projeto conseguiu ser finalizado por US$ 2,8 bilhões, sendo entregue dentro do prazo previsto.

Além de presidente da Vale, entre 1962 e 1964, Eliezer foi ministro de Minas e Energia no governo de Jânio Quadros. Mais tarde, voltaria a participar de um governo durante a gestão de Fernando Collor de Mello, quando foi secretário de Assuntos Estratégicos (SAE).

Eliezer Batista também exerceu sua função em outras empresas. Entre 1964 e 1968, o engenheiro foi diretor-presidente da Minerações Brasileiras Reunidas, assumindo depois a vice-presidência da Itabira International Company, em Nova York. Em 1968, assumiu a diretoria da Itabira Eisenerz GmbH, na Alemanha Ocidental, onde permaneceu até 1974.

A Vale divulgou uma nota nesta terça-feira, 19, lamentando a morte do ex-presidente da empresa. Durante todo o texto, a companhia destaca todo o grande trabalho do engenheiro e sua trajetória de sucesso. No fim, divulga um vídeo em homenagem a Eliezer Batista – que estará ao fim dessa matéria do Opinião e Notícia.

“Estamos consternados. Nosso maior engenheiro, o homem que teve a visão de preparar a Vale para ser a empresa que conhecemos hoje, se foi. Eliezer Batista, que um dia recebeu a alcunha de ‘Engenheiro do Brasil’, bem que poderia ser conhecido por: ‘o Construtor da Vale’. Sim, temos orgulho de dizer que fomos a sua principal obra”, afirmou Fabio Schvartsman, diretor-presidente da Vale, através de uma nota divulgada pela empresa.

O presidente Michel Temer usou as redes sociais para lamentar a morte de Eliezer Batista. De acordo com o chefe de Estado, o Brasil “perdeu um de seus maiores engenheiros”. Além disso, exaltou o trabalho do ex-ministro à frente da Vale, colocando-o como “um dos responsáveis” pelo sucesso da empresa no mundo.

Fontes:
Agência Brasil-Morre, no Rio, o empresário Eliezer Batista

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *