Início » Brasil » MPF aponta superfaturamento de R$ 613 mi em obras de Abreu e Lima
Corrupção na Petrobras

MPF aponta superfaturamento de R$ 613 mi em obras de Abreu e Lima

Parecer do Ministério Público Federal revela um superfaturamento de R$ 631 milhões em contrato firmado entre a Petrobras e a empreiteira Camargo Correia

MPF aponta superfaturamento de R$ 613 mi em obras de Abreu e Lima
As obras da refinaria Abreu e Lima são alvo da Operação Lava Jato, da Polícia Federal (Reprodução/CBN)

O Ministério Público Federal (MPF) concluiu a existência de superfaturamento de R$ 613 milhões nas obras da Unidade de Coqueamento Retardado (UCR), da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Leia mais: Refinaria Abreu e Lima apresenta superfaturamento de R$ 367 mi, diz TCU
Leia mais: Paulo Roberto Costa irá depor sobre refinaria Abreu e Lima
Leia mais: Custo da Refinaria Abreu e Lima salta de US$ 2 bilhões para US$ 20 bilhões

Orçadas em R$ 3,4 bilhões, as obras foram realizadas pela empreiteira Consórcio Nacional Camargo Correia (CNCC). De acordo com o parecer do MPF, houve um superfaturamento de 16% em relação ao valor final do contrato firmado entre a empreiteira e a Petrobras.

“A relação entre as receitas e o custo pode alcançar um patamar de 26%, dos quais 16% de forma irregular. Valendo-se de metodologias consolidadas da engenharia de custos e atuações técnicas do Tribunal de Contas da União (TCU), vislumbrou-se um superfaturamento de até R$ 631,25 milhões, 16% do valor final do contrato”, disse um parecer emitido pelo engenheiro Rafael Martins, assistente técnico do MPF.

As obras da refinaria Abreu e Lima são alvo da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga um grande esquema de corrupção na Petrobras. De acordo com a operação, o esquema consistia em superfaturar contratos firmados entre a estatal e empreiteiras para pagar propina a parlamentares. Entre os principais nomes envolvidos no esquema está o do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, e o do doleiro Alberto Youssef.

Fontes:
Estadão-Parecer aponta superfaturamento de R$ 613 milhões em obras de Abreu e Lima

3 Opiniões

  1. André Luiz D. Queiroz disse:

    helo,
    Sejamos realistas em uma coisa: eleito Aécio, isso não significa que o país da noite pro dia já estará ‘saneado’. Pelo contrário! Esse primeiro ano de governo será uma dureza, pra qualquer um dos candidatos! No caso de Aécio, ele terá que lidar com um Congresso no qual não terá maioria; terá que acomodar todas as demandas dos aliados, de primeira e de ‘segunda hora’ (alguém tem alguma dúvida que o PMDB de Sarney, Temer, Lobão, Calheiros e cia. irá e bandear rapidinho para a situação?…), terá que implantar medidas econômicas impopulares (o controle da inflação não virá por decreto!) e brigar ferozmente para diminuir o tamanho do Estado, eliminar a burocracia, fortalecer as instituições republicanas, etc; e também terá de enfrentar as circunstâncias de economia mundial novamente em uma fase ruim… Ou seja: não é fácil consertar em 4 anos o que o PT ‘estragou’ ao longo de 12!…

  2. Sandra disse:

    Hoje cedo comecei o dia com uma leitura que me estragou a manhã.Chama atenção para a parte do depoimento de Costa , aqui vou abrir aspas para a matéria : “Num dado momento, do depoimento, o juiz Sérgio Moro pergunta a Paulo Roberto se as empresas que se encarregavam do pagamento da propina sempre cumpriam com a sua parte. E Costa diz o seguinte, leiam com atenção:
    “Essas empresas, excelência, elas tinham interesses não só dentro da Petrobras, mas em vários outros órgãos de governo, não é?Vários órgãos de governo, a nível de ministérios, a nível de secretarias etc., compostas por elementos dos partidos. Então, vamos dizer: se elas deixassem de contribuir com determinado partido naquele momento, isso ia refletir em outras obras a nível de governo, que os partidos não iam olhar isso com muito bons olhos. Então, seria um interesse mútuo dos partidos, dos políticos e das empresas, porque não visava só a Petrobras, visava hidrovias, ferrovias, rodovias, hidrelétricas etc.”
    O que Paulo Roberto está a nos dizer é que a falcatrua, nos entes do estado, é universal. A Petrobras, então, nesse caso, era, de fato, apenas a ponta do iceberg.A sua fala não deixa dúvida: há uma estrutura gigantesca, organizada e treinada para drenar os recursos públicos.
    Se o PT vencer a disputa, é evidente que as coisas ficarão como estão — afinal, os companheiros não veem motivos para mudar, orgulhosos que são de sua obra, como se nota pelo horário eleitoral.”
    Fora Dilma!Fora o PT!

  3. helo disse:

    Afinal começam a se nomes aos bois dessa maracutaia sem fim. Quem será que recebeu? O Aécio já está na frente, menos por essas notícias e mais porque a vida está cada dia mias cara e difícil. Sem Dilma e sem PT o país vai melhorar muito.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *