Início » Brasil » MPF identifica mais de 870 mil suspeitos de fraudar Bolsa Família
LEVANTAMENTO

MPF identifica mais de 870 mil suspeitos de fraudar Bolsa Família

Levantamento do MPF encontra irregularidades em mais de 870 mil beneficiários. Os repasses totalizam R$ 3,31 bilhões

MPF identifica mais de 870 mil suspeitos de fraudar Bolsa Família
Segundo o MPF, mais de 870 mil beneficiários não se enquadravam nas normas do programa (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Ministério Público Federal (MPF) identificou suspeitas de pagamentos irregulares a mais de 870 mil beneficiários do programa Bolsa Família, entre 2013 e maio deste ano. De acordo com a apuração do órgão, os repasses a perfis suspeitos totalizam R$ 3,31 bilhões, o que equivale a 3,34% dos R$ 86 bilhões desembolsados durante o período.

Leia também: Fraudes no Bolsa Família podem chegar a R$ 2,5 bilhões, aponta MP
Leia também: Governo Temer quer mudar regras do Bolsa Família

Com base em dados do governo federal, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da Receita Federal e dos tribunais de contas dos estados e municípios, foram encontrados em 4,7 mil municípios casos de beneficiários já mortos, empresários, servidores públicos com famílias de até quatro pessoas, doadores de campanha, e servidores que também são doadores de campanhas eleitorais. Todos eles não se enquadram nas normas do programa, que exige um perfil de pobreza ou extrema pobreza.

Segundo o levantamento do MPF, os 874,1 mil perfis suspeitos de fraude equivalem a 4,07% dos do 21,5 milhões de titulares do benefício que foram monitorados durante o período de três anos. A maioria dos suspeitos são empresários – cerca de 56,2% –, que teriam recebido R$ 2,03 bilhões do programa. Em seguida, vêm servidores públicos, representando 37,6%, que receberam R$ 1,23 bilhões. O restante dos R$ 42,49 milhões foi distribuído para outros grupos de beneficiados suspeitos, equivalentes a menos de 2%.

A partir desses números, o MPF recomendou às prefeituras dos municípios onde foram encontradas as irregularidades que realizassem visitas nas casas dos suspeitos para averiguar as fraudes e cancelar os benefícios. Além disso, o órgão expediu recomendações entre julho e setembro para que as prefeituras informassem, com um prazo de 60 a 120 dias, o número de irregularidades confirmadas e benefícios cancelados.

O levantamento aponta que apenas 31 municípios não apresentaram indícios de fraude no programa. O estado que mais apresentou beneficiários suspeitos foi Roraima, com 8,87% dos casos. Já nas capitais, Palmas (TO) lidera o ranking, com 9,19%.

Fontes:
O Globo-MPF identifica suspeitas de irregularidades em mais de 870 mil benefícios do Bolsa Família
Ministério Público Federal-Raio-X Bolsa Família

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Rogerio Faria disse:

    O brasileiro e sua ídole já conhecida.

  2. ? disse:

    É FÁCIL COMO BOM ACABAR COM AS FRAUDES, OS FRAUDADORES TOMA TUDO DELES PARA QUE PAGUEM O QUE ELES ROUBARAM (SIM, ISTO É ROUBO) E OS PREFEITOS DAS CIDADES QUE SABIAM DISTO TUDO, CAÇADOS E PRESOS. REALIZAR VISITAS NAS CASAS DOS SUSPEITOS, SÓ SE FOR PARA PRENDÊ-LOS. VAMOS PARAR COM ESTA IDIOTICE DE FALAR O “POLITICAMENTE CORRETO” ISTO CHEIRA A POLITICAMENTE BANDITISMO. ELES SABIAM QUE ESTAVAM FRAUDANDO ENTÃO OS RIGORES DA LEI. SÓ QUE AQUI NESTE PAÍS TUPINIQUIM NÃO ACONTECERÁ ISTO, PORQUE? PORQUE O BANDITISMO TOMOU CONTA.SE O MAL NÃO FOR CORTADO PELA RAIZ, ELE FLORESCE.

  3. Áureo Ramos de Souza disse:

    Prisão aos que recebiam indevidamente o BOLSA FAMILIA e ou devolução do quanto receberam e presos.

  4. Ludwig Von Drake disse:

    Não se pode culpar “o brasileiro” e achar que todos são corruptos: as pessoas são “orientadas” pelo político de sua região e acham que é assim mesmo. São mais vítimas do que criminosos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *