Início » Brasil » MPF pede anulação de sentença de Lula no caso do sítio de Atibaia
JUSTIÇA

MPF pede anulação de sentença de Lula no caso do sítio de Atibaia

MPF alegou decisão do STF de que os réus delatados têm o direito de falar por último em processos criminais, ou seja, após os delatores

MPF pede anulação de sentença de Lula no caso do sítio de Atibaia
Lula foi condenado a 12 anos e 11 meses no processo (Foto: Heinrich Aikawa/Instituto Lula)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul (MPF) pediu, na última quarta-feira, 23, a anulação da condenação do ex-presidente Lula no caso do sítio de Atibaia. A sentença, de 12 anos e 11 meses, foi anunciada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Mesmo que a condenação seja anulada, Lula não será colocado em liberdade. Isso porque o ex-presidente cumpre atualmente a condenação de 8 anos e 10 meses por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro devido ao triplex no Guarujá (SP). Ademais, a sentença de Atibaia ocorreu apenas em primeira instância.

A sentença de Lula no sítio de Atibaia levou em conta uma denúncia do MPF, que alegou que o ex-presidente recebeu propinas nos valores de R$ 128 milhões, da Odebrecht, e R$ 27 milhões, da OAS. Já as reformas e decorações na propriedade, que também seriam pagamento de propina, totalizaram R$ 1,02 milhão.

Para o pedido de anulação, o procurador Mauricio Gotardo Gerum alegou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiu que os réus delatados têm o direito de falar por último em processos criminais, ou seja, após os delatores. O STF já anulou duas ações com base nesse entendimento. Gerum pediu que o julgamento volte para a fase de alegações finais.

Caso o processo, que está marcado para ser julgado no próximo dia 30 de outubro, seja anulado, voltará à primeira instância. A decisão caberá ao desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da operação Lava Jato no TRF-4.

A defesa do ex-presidente Lula, porém, acusou o MPF de tentar “manipular a verdade nos processos”. Isso porque, segundo os advogados, o pedido de nulidade feito pelo MPF “busca atenuar as consequências jurídicas decorrentes das grosseiras violações perpetradas contra Lula”. A defesa do ex-presidente alega que a nulidade precisa ser feita através do processo impetrado pelos advogados do ex-chefe de Estado.

Fontes:
DW-MPF pede anulação de condenação de Lula no caso do sítio de Atibaia
G1-MPF pede que TRF-4 anule condenação de Lula no processo do sítio de Atibaia
Folha de São Paulo-Lava Jato pede anulação de condenação de Lula em ação do sítio de Atibaia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *