Início » Brasil » Ministério Público abre inquérito contra Geraldo Alckmin
SÃO PAULO

Ministério Público abre inquérito contra Geraldo Alckmin

Presidenciável do PSDB é acusado de supostas irregularidades em desapropriações feitas em 2013 e 2014, quando era governador de São Paulo

Ministério Público abre inquérito contra Geraldo Alckmin
As ações teriam rendido, pelo menos, R$ 3,8 milhões em indenizações (Foto: Wikimedia)

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) abriu um inquérito contra o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB). A investigação, iniciada na última segunda-feira, 24, tem como base uma matéria da Folha de São Paulo, que denuncia supostas irregularidades cometidas em 2013 e 2014 pelo então governador de São Paulo.

Segundo as denúncias feitas pelo jornal, Alckmin teria promovido duas desapropriações em propriedades de Othon Cesar Ribeiro, sobrinho do candidato. As ações teriam rendido, pelo menos, R$ 3,8 milhões em indenizações. As desapropriações foram feitas para a construção uma rodovia em São Roque (SP).

Através de uma nota, divulgada pela Folha de São Paulo, Alckmin afirmou que acusação é “descabida e ofende o bom senso”. Segundo o presidenciável, foram assinados centenas de decretos durante os seus mandatos como governador do estado, sempre amparados por pareceres técnicos e jurídicos.

O inquérito foi aberto a pedido do promotor Marcelo Milani, que deu um prazo de 20 dias para que Alckmin, Othon Cesar Ribeiro e a concessionária prestem depoimentos esclarecendo as acusações.

 

Leia também: Folha acusa Alckmin de tentar censurar pesquisa
Leia também: Depois de Haddad, Alckmin também é alvo de denúncia do MP
Leia também: MP-SP abre inquérito para investigar Geraldo Alckmin

Fontes:
Folha de São Paulo-Ministério Público abre inquérito contra Alckmin para investigar desapropriação que beneficiou familiares
DW-MP abre inquérito contra Alckmin

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *