Início » Brasil » Mulheres brasileiras estão sendo mães mais tarde, confirma IBGE
MATERNIDADE

Mulheres brasileiras estão sendo mães mais tarde, confirma IBGE

Em 2005, 30,9% dos nascimentos eram concentrados em mães com idades entre 20 e 24 anos; em 2015, taxa caiu para 25,1%

Mulheres brasileiras estão sendo mães mais tarde, confirma IBGE
Ainda há no país diferenças regionais significativas (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 24, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmou a tendência de que as mulheres brasileiras estão sendo mães mais tarde.

De acordo com a pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2015, enquanto em 2005 30,9% dos nascimentos no país eram concentrados em mães com idades entre 20 e 24 anos, em 2015 a taxa caiu para 25,1%.

Já os nascimentos em mães com idades entre 25 e 29 anos entre 2005 e 2015 mantiveram-se estáveis, de 24,3% para 24,5%.

O aumento dos nascimentos em mães com idades entre 30 e 39 anos também pôde ser evidenciado no estudo, passando de 22,5% em 2005 para 30,8%, em 2015. A pesquisa revelou ainda uma queda no percentual de nascimentos em mães com idades entre 15 a 19 anos, de 20,3% em 2005 para 17% em 2015.

Ainda há no país diferenças regionais significativas, segundo o estudo do IBGE. O conhecimento de tais diferenças é de grande importância para o desenvolvimento e a aplicação de políticas públicas. Na região Norte, por exemplo, as mulheres tiveram filhos mais novas em 2015, com 23,3% dos nascimentos entre mães de 15 a 19 anos, e 29,7% relativos a mães de 20 a 24 anos.

A região Sudeste concentrou os nascimentos relativos a mães com idades entre 30 e 34 anos, com 22,4%, e a região Sul com 22%. Os nascimentos em mães na faixa de 35 a 39 anos também se concentraram no Sudeste, com 12,3%, e no Sul, com 11,7%.

Fontes:
EBC - IBGE: Mulheres brasileiras têm filhos mais tarde

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Essa pesquisa do IBGE teria mais credibilidade se eles divulgassem se essa mulheres estão sendo mães pela primeira vez e a taxa de aborto entre as adolescentes. E o governo faz política pública com pesquisas malfeitas. É por isso que não se resolve nada.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *