Início » Brasil » Museu Nacional pode demorar dez anos para ser reconstruído
UNESCO

Museu Nacional pode demorar dez anos para ser reconstruído

Estimativa foi feita por representante da Unesco no Brasil

Museu Nacional pode demorar dez anos para ser reconstruído
Intensas chamas atingiram o Museu no último dia 2 de setembro (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

A restauração do Museu Nacional, que fica no Rio de Janeiro e pegou fogo no último dia 2 de setembro, deve demorar 10 anos. A estimativa foi feita pela diretora e representante da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, na última terça-feira, 18.

Uma equipe da Unesco chegou ao Brasil na última semana para analisar a situação estrutural e cultural do Museu Nacional. O incidente chocou o mundo, com vários países se disponibilizando a auxiliar na reconstrução e na “restauração” do acervo – muitas peças podem ser recriadas através de impressoras 3D.

“É um trabalho de muitos anos. Não existe neste momento nenhuma solução mágica que permita reconstruir o museu em alguns meses. Temos um longo trabalho de identificação dos escombros, o que são fragmentos de itens do museu”, explicou Marlova Noleto após uma entrevista coletiva da equipe da Unesco.

A Missão da Unesco no Brasil está sendo liderada pela italiana Cristina Menegazzi. Além delas, participou da entrevista coletiva o consultor do Centro Internacional de Estudos para a Conservação e Restauração de Bens Culturais (ICCROM, na sigla em inglês), José Luiz Pedersoli. Dois especialistas alemães também estão participando da missão.

De acordo com o Pedersoli, o primeiro passo é garantir a estabilidade estrutural do prédio, com o objetivo de evitar um possível colapso do histórico local. Apenas depois disso o trabalho de reestruturação poderá prosseguir.

Marlova Noleto explicou que a comunidade internacional está se estruturando para ajudar na reconstrução do Museu Nacional da melhor forma possível. De acordo com a diretora da Unesco no Brasil, os três principais pontos de partida econômicos são o Fundo de Emergência da Unesco, criado em 2015; o aporte de R$ 10 milhões do Ministério da Educação e doações de outros países.

Segundo a diretora, a Alemanha, por exemplo, já se dispôs a doar 10 milhões de euros, enquanto outros países disseram que poderão doar acervos e outros recursos. Já Cristina Menegazzi destacou que existem várias possibilidades para restaurar o acervo perdido nas chamas, como a utilização de impressores 3D e doações de duplicatas.

“É uma coleção muito variada. Alguns objetos são únicos e outros são duplicatas, há muitos objetos do mesmo tipo. O acervo poderia ser reconstituído com doações de outros museus com coleções similares às que estavam no Museu Nacional. […] A maioria da coleção está inventariada o que é um aspecto muito importante para saber o que realmente se perdeu”, afirmou a chefe da missão.

No último dia 5 de setembro, o presidente Michel Temer já havia adiantado que as obras de reconstrução do Museu Nacional devem demorar um ano para serem iniciadas. Isso porque seria necessária a estruturação de um plano executivo antes dos trabalhos começarem.

 

Leia também: Brasil pode ter ‘CPI dos Museus’ com orçamento maior que o Museu Nacional
Leia também: Incêndio destruiu cerca de 90% do acervo do Museu Nacional
Leia também: Juscelino foi o último presidente a visitar o Museu Nacional

Fontes:
Agência Brasil-Unesco estima em 10 anos prazo para restauração do Museu Nacional

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *