Início » Brasil » ‘Não vejo nada de mais’ em citações sobre AI-5, diz Bolsonaro
EM ENTREVISTA

‘Não vejo nada de mais’ em citações sobre AI-5, diz Bolsonaro

Questionado sobre as recentes declarações de membros do governo, presidente afirma que 'entende isso como liberdade de expressão’

‘Não vejo nada de mais’ em citações sobre AI-5, diz Bolsonaro
Críticas ao ministro Paulo Guedes visam 'desestruturar na questão econômica', afirmou Bolsonaro (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 2, em entrevista à Rede Record, que não vê “nada de mais” em citações sobre o AI-5.

Bolsonaro disse que não cogitou demitir Paulo Guedes após as declarações do ministro da Economia que sugeriram um “novo AI-5”, ressaltando ainda que ele está fazendo um “excelente trabalho”.

O presidente afirmou também que entendeu “isso como liberdade de expressão” e que as críticas ao ministro Paulo Guedes visam “desestruturar na questão econômica”.

Durante a entrevista, Bolsonaro também falou sobre a relação entre Brasil e EUA, destacando que “somos um grande parceiro” e que orientou Paulo Guedes para que dialogue com o governo americano sobre as tarifas anunciadas por Donald Trump para as importações de aço e alumínio.

O ex-ministro da Secretaria-Geral Gustavo Bebianno, que se filiou ao PSDB, também foi citado na entrevista. Bolsonaro afirmou que ele é “carta fora do baralho” e que “teve todas as chances para ser um ministro leal ao Brasil”.

Já em relação a Lula, Bolsonaro disse que “tem que respeitar a decisão dos outros Poderes”, destacando, no entanto, que o ex-presidente “tem trazido com as falas dele a intolerância”.

Fontes:
Uol - À Record TV, Bolsonaro diz não ver nada demais em citações sobre AI-5

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Roberto Henry Ebelt disse:

    SE não foi extraordinário para o Presidente Bolsonaro, para mim foi. Foi mais do que extraordinário. Basicamente foi um alívio ficar livre das intervenções terroristas daquele tal de Márcio. Na verdade, 13 de dezembro foi a coroação de um ano muito bom, no qual terroristas passaram a ir mais facilmente para a cadeia ao cometer crimes, sequestros e assassinatos. E, acima de tudo, livramo-nos definitivamente das garras do comunismo que já mostrava sinais de decadência depois de 41 anos de fracassos retumbantes.

  2. Rafael de Barros Faria disse:

    Os alemães também “não viam nada de mais” quando os nazistas falavam em anti-semitismo. A história nos mostra quando os dirigentes de uma nação começam a falar contra a democracia, favorável ao xenofobismo, ao racismo e a intolerância.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *