Início » Brasil » No Brasil, 155 mil pessoas vivem em situação de escravidão
trabalho escravo

No Brasil, 155 mil pessoas vivem em situação de escravidão

Ainda assim, país o país apresenta um dos menores índices do continente e ainda têm políticas governamentais para erradicar o trabalho escravo

No Brasil, 155 mil pessoas vivem em situação de escravidão
O Haiti é o país com maior prevalência de escravatura no continente (Reprodução / BBC)

A organização internacional de direitos humanos Walk Free Foundation divulgou nesta segunda-feira, 17, um levantamento que mostra que 36 milhões de pessoas no mundo, incluindo crianças, vivem em situação de escravidão atualmente. Esse total representa 0,5% da população global e inclui trabalho forçado ou por dívidas, tráfico humano ou sexual  e até casamentos em que uma das partes é subserviente.

No Brasil, cerca de 155 mil pessoas vivem em situação de escravidão moderna. Ainda assim, esse total apresenta um dos menores índices do continente americano, ficando atrás de Canadá, Cuba e EUA. Já o Haiti é o país com maior prevalência de escravatura do continente. com 2,3% de sua população nessa condição. Mesmo assim, a América é o segundo continente com o menor índice de trabalho escravo, atrás apenas da Europa. Mesmo assim, cerca de  1,28 milhão de pessoas  são vitimas de escravatura na região.

O relatório da Walk Free Foundation destaca ainda que o Brasil é o pais do continente com respostas do governo mais firmes  contra a situação, e encoraja empresas a pressionar em todas as etapas da cadeia produtiva para acabar com o trabalho escravo.

A maior prevalência desse flagelo está no trabalho agrícola e na exploração sexual. Um dos principais fatores para essa prevalência na região é a mobilidade transnacional. Pessoas vulneráveis abandonam seus lares em busca de trabalho e acabam caindo em armadilhas laborais, em que são submetidas à servidão por meio de dívidas, ausência de descanso, falta de água potável e confinamento físico.

Fontes:
BBC - Brasil tem 155 mil pessoas em situação de escravidão, diz ONG

3 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    A existência de pessoas que se submetem a escravidão, em pleno século 21, mostra que ela só não é pior que a fome.

  2. ANA RITA FUGA disse:

    HUUMMMM ! Não diga ?!! E, agora como vamos contar para a nossa presidentA. Como ela poderá ficar sabendo.? E Vcs só ficaram sabendo depois das eleições ?!. Há que Pena !!!

  3. André disse:

    Seria de vital importância que os direitos humanos se preocupação mais com os trabalhadores de nossa sociedade, pois são eles mais do que ninguém depois das crianças jovens e mulheres as maiores vitimas dos crimes de assédio moral mal remuneração e escravidão por meio de terceirização de funcionários. Hoje a chibata atua de forma sistemática e muito atual, mas vocês não percebem porque os algozes dos 100 e 200 anos atras estão disfarçados de gerentes, encarregados entre outros que não estão a minima para seus colaboradores e aplicam suas chibatadas de forma psicológica, ou seja, a escravidão possui a cara de nosso contexto atual, só vocês dos direitos humanos é que parecem regredir!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *