Início » Brasil » Nos últimos três anos, 57 empresas somaram 52% dos contratos do BNDES
prioridade em operações

Nos últimos três anos, 57 empresas somaram 52% dos contratos do BNDES

Entre 2012 e 2015, o banco fechou 1.160 contratos. Porém, mais da metade do valor financiado (52,7%) foi destinado a apenas 57 grandes empresas

Nos últimos três anos, 57 empresas somaram 52% dos contratos do BNDES
Fato contradiz a principal função do banco, que seria o estímulo a empresas de pequeno médio porte (Foto: Flickr)

A divulgação dos dados do BNDES, feita esta semana no portal do órgão, revelou que o banco prioriza as grandes empresas em suas operações. Entre 2012 e 2015, o BNDES fechou 1.160 contratos. Porém, mais da metade do valor financiado (52,7%) foi destinado a apenas 57 grandes empresas.

Leia mais: BNDES divulga dados de contratos que somam quase US$ 12 bilhões

Os dados fazem parte de um levantamento feito pelo jornal Globo. Segundo a análise, dos R$ 321,345 bilhões, financiados pelo banco no período, R$ 168,775 bilhões ficaram com o grupo de 57 empresas.

O valor supera até mesmo o dos contratos feitos pelos governos e prefeituras para grandes obras de financiamento e infraestrutura. No período analisado, 66 entes públicos fecharam contratos com o banco que somaram R$ 52,728 bilhões, 16,4% do total. Os 31, 1% restantes (R$ 99,842 bilhões) foram divididos entre outras 1.037 empresas e instituições.

Para o economista Joaquim Elói Cirne de Toledo a preferência do banco por grandes empresas contradiz a sua principal função, que seria o estímulo a empresas de pequeno médio porte.

“Isso leva a um questionamento: estas grandes empresas precisam de um órgão como o BNDES? Em um país como o nosso, é justo dar crédito facilitado e subsidiado a quem pode operar em Bolsa, captar no mercado externo? Acredito que o banco deveria ser focado em micro, pequenas e médias empresas, em inovação e em economia criativa. Ele deveria induzir a nossa economia ao futuro”, diz o economista.

Em nota, o BNDES afirmou que “o valor dos financiamentos é proporcional ao porte das empresas e ao tamanho dos projetos de investimento. Aí estão investimentos de infraestrutura, logística, energia, mobilidade urbana, petróleo e gás, mineração, telecomunicações”.

Fontes:
O Globo-BNDES: apenas 57 empresas concentram 52,5% dos contratos

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *