Início » Brasil » Nova fase da Lava Jato mira em centro de pesquisas da Petrobras
FRAUDE EM LICITAÇÕES

Nova fase da Lava Jato mira em centro de pesquisas da Petrobras

Operação Abismo investiga a suspeita de fraude em processos licitatórios para obras no Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) que teriam movimentado até R$ 39 milhões

Nova fase da Lava Jato mira em centro de pesquisas da Petrobras
Cenpes passou por reformas de modernização e ampliação nos últimos anos (Foto: Petromaxx)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Polícia Federal (PF) deu início a 31ª fase da Operação Lava Jato nesta segunda-feira, 4. Batizada de Operação Abismo, a etapa tem como foco o Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes). Localizado no Rio de Janeiro, o órgão tem como função a elaboração de estudos sobre exploração em águas profundas.

A PF vai investigar a suspeita de fraude em processos licitatórios do Cenpes, pagamentos indevidos a servidores da Petrobras e repasse de verba a partidos políticos em reformas feitas no centro, que fica na Ilha do Fundão.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o esquema teria movimentado até R$ 39 milhões e funcionava em três etapas. Primeiro, uma empresa pagava outra empresa para que ela desistisse do processo de licitação da obra. Depois, eram pagos valores para funcionários da diretoria de Serviços da Petrobras. Por fim, eram pagos valores para o ex-tesoureiro do PT, Paulo Adalberto Alves Ferreira, preso no mês passado na Operação Custo Brasil, que apura fraudes no crédito consignado a servidores públicos.

Criado há 40 anos, o Cenpes passou por reformas de modernização e ampliação nos últimos anos para atender as demandas de exploração do pré-sal. A reforma já havia sido citada em delações premiadas de empresários como fonte de desvio de recursos para partidos políticos.

Fontes:
Estadão-PF deflagra Operação Abismo contra fraudes de R$ 39 mi no Centro de Pesquisa da Petrobrás

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. André Vinícius Vieites disse:

    1 – PAGAMENTO POR TAREFA – Determina-se um número de questionários por entrevistador (possível de ser feito em um dia de trabalho) e assim que a tarefa estiver terminada também estará terminado o trabalho do entrevistador. Esta forma de pagamento é a mais utilizada para pesquisa em Ponto de Fluxo.

    2 – PAGAMENTO POR QUESTIONÀRIO – Esta forma de pagamento é utilizada para trabalhos com questionários mais complexos e o preço de cada um é estipulado pelo tempo de aplicação (duração) e também pela média de preços de mercado.

    3 – PAGAMENTO POR HORA DE TRABALHO – Esta forma de pagamento é utilizada para alguns trabalhos que são realizados dentro do Instituto (crítica, codificação, recebimento, levantamentos estatísticos, montagem ou outros trabalhos internos) e o valor depende do tipo de trabalho a ser efetuado.

    ENTÃO, é ISSO…QUANTO MAIS PESQUISA, MAIS CRÍTICAS E MAIS CENÁRIOS FAVORÁVEIS OU NÃO. ATRAVÉS DE DIFERENTES CENÁRIOS, TEMOS AS RESPOSTAS CERTAS NA HORA CERTA.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *